Excessos no trânsito provocam reação da EPTC

Medidas foram anunciadas em coletiva nesta manhã

Foto: Jonathan Heckler/PMPA

A Empresa Pública de transporte e Circulação (EPTC) anunciou nesta quinta-feira, 21, um conjunto de medidas a serem adotadas para coibir excessos no trânsito e diminuir o número de acidentes. As medidas incluem mais 22 pontos de pardais em locais críticos da circulação, e utilização de mais um radar móvel para coibir o desrespeito à velocidade máxima permitida nas vias, com ações principalmente nas madrugadas dos finais de semana.
 
Também haverá incremento de 97 agentes de fiscalização nas ruas; reforço em sinalização para uma maior segurança de motoristas e pedestres; aumento de ações educativas nas escolas e comunidades, nas principais vias, cruzamentos e faixas de segurança não-semaforizadas, em continuidade à campanha do Novo Sinal de trânsito. A partir de dezembro serão intensificadas as autuações aos motoristas que desrespeitarem a travessia dos pedestres em faixas de segurança não-semaforizadas; ações educativas envolvendo motociclistas e pedestres. As medidas serão implantadas em etapas, até o final do ano, para tentar conter a elevação da acidentalidade do trânsito – nos primeiros nove meses do ano foram registrados 19.265 acidentes em Porto Alegre, um aumento de 14,61% na comparação com o ano passado (16.809).

Segundo dados da Coordenação de Informações e Estudos da EPTC, neste ano, até o final de setembro, houve 6.608 feridos em razão de acidentes de trânsito, uma elevação de 20,65% na comparação com o mesmo período do ano passado (5.477 em 2009); 1.150 atropelamentos, aumento de 22,86% (936 no ano passado). Com motociclistas o registro no período é de 3.959 acidentes em 2010, 17,76% a mais do que no ano passado.

Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC, explica que as medidas representam um grande esforço do Poder Público para tentar frear o crescente desrespeito às leis do trânsito: “Houve um aumento da frota de 700 mil veículos na Capital e, embora tenhamos registrado redução de 8,06% no número de vítimas fatais, menos 14,29% em mortes envolvendo motociclistas, menos 11,54% em mortes por atropelamentos, dados positivos, é inadmissível o crescimento na acidentalidade. As ações de fiscalização e campanhas educativas se repetem e muitos ainda não se enquadram nos limites impostos pelas normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), colocando em risco a vida de todos. Temos que mudar esta realidade”.

Fiscalização

Além dos 97 novos agentes nas ruas, atualmente em processo de treinamento, que possibilitarão uma fiscalização mais efetiva, a partir de dezembro, serão implantados 22 novos pontos de pardais nas ruas da capital, que flagram também as motos, totalizando, com os já existentes, 46 equipamentos, em locais considerados de elevado risco. A intenção é coibir o desrespeito aos pedestres nas travessias das faixas de segurança não semaforizadas, o desrespeito à sinalização semafórica, entre outros abusos na circulação. Além disso, mais um radar móvel entrará na programação diária de fiscalização, com ações também a serem incrementadas na madrugada, em conjunto com a Brigada Militar, para conter o excesso de velocidade e o uso de álcool ao volante.

Locais dos radares

Os novos equipamentos, atendendo também solicitações via Orçamento Participativo (OP) e comunidade em geral, serão instalados nos seguintes locais, a partir de 25 de outubro, com funcionamento previsto para início de dezembro, todos identificados por placas e faixas, com 15 dias de antecedência:

Av. Ipiranga, em frente à Praça Marselhesa (bairro / Centro); Av. Eduardo Prado, em frente ao número 1.270 (C/B e B/C); Av. Edgar Pires de Castro, nas proximidades do número 9.331, em ambos os sentidos; Av. Juca Batista, em frente aos números 3.380 (B/C) e 2.910 (C/B); Av. Bento Gonçalves, em frente aos números 4.021 (C/B), 6953 (C/B) e 6.992 (B/C); Av. Manoel Elias, em frente ao número 768 (Sul/Norte); Av. Nilo Peçanha, em frente aos números 2.720 (B/C) e 2.685 (C/B); Av. Assis Brasil, em frente aos números 4.910 (B/C) e 4.935 (C/B); Av. Dante Ângelo Pilla, em frente ao nº 375 (S/N); Av. Castelo Branco Km 1 (Capital/Interior); Av. Castelo Branco Km 1,3 (Interior/Capital); Av. Protásio Alves, em frente ao número 10.566 (C/B) e 10.831 (B/C); Av. Senador Tarso Dutra, próximo ao número 1.105 (Norte/Sul); Av. Padre Cacique,em frente ao número 1.900 (C/B).    

Ações educativas

A EPTC projeta atingir, somando-se às 61 mil crianças até agora, outras 20 mil até o final do ano, através de atividades em escolas e comunidades, pela apresentação de peça de teatro e do projeto “contação de histórias”, com foco no trânsito seguro. Entre as escolas que receberão ações educativas, até o final do ano, estão a Coelho Neto, Colégio Mãe Admirável, Osvaldo Aranha, Especial Renascença, Afonso Guerreiro Lima, São Francisco e Nossa Senhora da Glória.

Também haverá incremento de ações abrangendo motociclistas, com distribuição de fôlderes com orientações para uma circulação mais segura; palestras em empresas; prosseguimento das ações da Campanha do Novo Sinal com distribuição de material educativo junto às faixas de segurança não semaforizadas; ações na Feira do Livro, nas imediações de bares e restaurantes; na Rodoviária, durante as festas de final de ano, envolvendo mais 50 mil pessoas. Terão continuidade, também até o fnial do ano, as palestras com operadores do transporte coletivo, abrangendo, até o final do ano, um total de 1.300 pessoas, entre motoristas, cobradores e fiscais.

    
Engenharia de tráfego

Nos nove primeiros meses de 2010 foram revitalizadas 1.214 faixas de segurança, colocados 3.328 gradis em pontos de risco, como as avenidas Cavalhada, Praia de Belas, Osvaldo Aranha, Protásio Alves, Assis Brasil e Juca Batista; instaladas 3.806 placas de sinalização; e revitalizados 57 mil m² em sinalização horizontal. A meta é implantar mais 1.800 gradis até o final do ano; mais 420 faixas de segurança não semaforizadas; mais 1.500 placas de sinalização e mais 3.500 m² de pintura horizontal, atingindo principalmente vias de intenso fluxo de veículos e regiões de numerosa circulação de pedestres, como as principais radiais.

Câmeras

Além das 36 câmeras já existentes na Central de Controle e Monitoramento da Mobilidade, está prevista, até o final do ano, a colocação de dois novos equipamentos para um melhor ordenamento da circulação: Cristóvão Colombo x Garibaldi e Cristóvão Colombo x Ramiro Barcelos.

Conjunto de medidas para redução de acidentalidade

-Mais 22 pontos de pardais em locais críticos da circulação
-Utilização de mais um radar móvel para coibir o desrespeito à velocidade máxima permitida nas vias, com ações principalmente nas madrugadas dos finais de semana
– Mais 97 agentes de fiscalização de trânsito nas ruas
– Reforço em sinalização para uma maior segurança de motoristas e pedestres
– Incremento de ações educativas nas escolas e comunidades, nas principais vias, cruzamentos e faixas de segurança não semaforizadas, em continuidade à campanha do Novo Sinal de trânsito
-Intensificação, a partir de dezembro, das autuações aos motoristas que desrespeitarem a travessia dos pedestres em faixas de segurança não semaforizadas
– Ações educativas envolvendo motociclistas e pedestres

Prefeitura de Porto Alegre
http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=134276

Share



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

17 respostas

  1. Pedestre não tem habilitação, a obrigação do cuidado no trânsito é sempre do motorista, e é claro que existe pedestre descuidado, inclusive crianças inocentes que saem correndo das mãos dos pais, por isso, em respeito ao nosso maior bem, a vida, quem quer ser motorista tem obrigação de dirigir com todo o cuidado e em baixíssima velocidade, e se não acha seguro andar de carro, por medo de assalto em esquinas, escolha outro transporte ou assuma o risco sem colocar a vida de mais ninguém em risco. Morre muito mais gente em acidente de trânsito que em assaltos.

    Curtir

  2. O “novo sinal” é ineficiente pois tem pedestre que não toma o devido cuidado e sai se jogando na rua de qualquer jeito depois de fazer o sinal, e alguns tentam fazer o sinal em faixas com semáforo (e na teoria só deve ser feito em faixas sem semáforo). Uma vez eu e o meu pai fomos em Alvorada e estávamos passando num lugar com pouca iluminação e uns 3 guris passaram correndo e estendendo a mão na frente do carro, quase provocando um acidente (antes de estender a mão já estavam correndo, num lugar com pouca iluminação, onde um motorista normal teria receio de parar sem saber as intenções dos pedestres). A propósito: várias faixas ficam perto demais de esquinas, e às vezes o motorista entra na via sem ter uma visibilidade boa e já tem um doido se metendo na frente do carro.

    Curtir

  3. Uma pessoa inteligente e sensível não esta nem aí para Azuizinhos de tocaia pois ela irá conduzir seu veículo de maneira consciente, dentro das leis que foram escritas não para encher o saco mas sim para proteger a vida.

    Receber uma multa por excesso de velocidade dentro da cidade é o mesmo que receber um atestado de insensibilidade e falta de consideração com a vida dos outros.

    Curtir

  4. Luciano,

    Suponhamos que seja ilegal,qual a solução não multar? Passar para a brigada? Ou simplesmente adaptar a lei para a realidade, legalizando a EPTC?
    Passar a responsabilidade novamente para a brigada é piada, a brigada e polícia civil juntas não conseguem dar conta dos outros crimes, imagina somar os de trânsito.

    A questão é sempre a mesma, quem não descumpre a lei não toma multa, claro que quem toma a multa não gosta, mas só tomou por que desrespeitou a lei. E convenhamos, para cada multa recebida, com certeza ela já cometeu dezenas de infrações que não foram punidas.

    O bom comportamento no trânsito só tem 3 soluções:

    1) um povo consciente e muito educado, estamos muito longe disso;

    2) Tecnologias que impeçam o motorista de cometa a infração, isso seria ótimo, custa dinheiro;

    3) Certeza de punição, ou seja, multas,mas muitas multas.

    Quanto as áreas azuis, qualquer cidade descente do mundo tem diminuído consideravelmente as áreas públicas de estacionamento,e as poucas que tem são bem caras.

    Curtir

  5. Depois que pensei um pouco mais nesta questão dos PARDAIS, das TOCAIAS realizadas por supostos policiais do trânsito, com seus radares móveis, aplicando MULTAS ILEGAIS, resolvi chutar o pau da barraca!
    A EPTC é ilegal. Pratica autuações sem ter poder para tal. E a Empresa da Área Azul também. E pode ter certeza que dentro de um gabinete tem alguém com cueca cheia.
    Basta ler:
    http://www.jusbrasil.com.br/noticias/2235398/defensoria-publica-gaucha-questiona-na-justica-competencia-da-eptc-para-multar

    Curtir

  6. Thiago,

    Velocidade de 80km/h deveria ser permitido só onde não existem pessoas ou outros veículos circulando além de carros. O cara que tá dentro do carro não tem noção de velocidade, qualquer uma é pouco, já para quem tá fora, 30km/h machuca e muito, inclusive mata!

    Se os motoristas obedecem a lei (andassem na velocidade da via) e diminuissem perto das faixas não haveria os acidentes, ou seja, a culpa não é da “bendita faixa” e sim do motorista criminoso (pois não obedece a lei) No teu exemplo justiça foi feita, o primeiro que saiu ileso era o único correto, pois parou na faixa.

    O pedestre, que na verdade somos todos, é o mais fraco e sempre tem que ter preferência, é estúpido pensar que um motorista com seu carrão ou carrinho tenha que ter preferência onde quer que seja! Nem dentro da fábrica de carro.

    Motorista que atropela alguém deveria perder a carteira na hora ficar sem ela pelo menos por 5 anos e ainda responder um processo criminal! Só ganhar devolta depois de pagar pelo crime e passar por provas rigorosas de direção, não a piada que ocorre hoje em dia!

    No momento que a exigência for rigorosa para com o motorista a vida de todos na cidade vai melhorar muito!

    Quanto a EPTC, ela é muito fraca, dá muito pouca multa, se fosse se multar todas as irregularidades, poucos ainda teriam carteira e dinheiro para manter seus carrinhos.

    Curtir

  7. o engraçado é que a EPTC sempre tem essas iniciativas perto do fim do ano, quando gasta mas com suas premiações, o problema é q se a velocidade é 60 km/h o pessoal passa a 40km/h, nas lobadas eletronicas que a velocidade é 40km/h pode observar dificilmente alguém passa acima de 30km/h….

    Em outras cidade avenidas como a 3º perimetral e ipiranga tem velocidade de 80km/h…

    sobre a faixa de segurança tem q ser muito bem avaliado pois ja presenciei 4 acidentes causados pelo “novo sinal”, dois atropelamentos em avenidas com mais de uma pista, porque o pedestre sinaliza e o carro da primeira pista pára, quem vem na outra pista muitas vezes tem a visão encoberta (principalmente se o carro que parou for um SUV) e quando esta na faixa é surpreendido por um pedestre confiante que acredita ter sido visto por todos, resultado foi atropelado….

    e no outro caso é quando o carro que esta na frente pára imediatamente sem verificar a distancia do que esta atrás, como quem vem atrás as vezes não tem a visão do pedestre acha que o da frente não tem motivo para frear e é surpreendido com uma freada brusca. EXEMPLO: ocorreu na avenida Nonoai antes do pardal, o 1º carro parou o segundo freou forte e o 3º não deu conta e atingiu o 2º sem saber porque o 1º parou(este 1º saiu ileso sem saber o q causou) os agentes que atenderam a ocorrência ja tinha atendido dois casos anteriores no mesmo que o motivo foi a bendita faixa….

    tem que ter muito cuidado em atravessar na faixa em avenidas movimentadas….
    o nosso pedestre infelizmente tem o poder de passar o sinal fechado pra ele, ser atropelado e ainda sair com a razão, e depende do agente que atender a ocorrência ainda quer multar o motorista por atropelar pedestre na faixa…..

    OS ABUSOS JÁ COMETIDOS PELA EPTC SEMPRE VÃO COLOCAR SOB SUSPEITA SUA REAL INTENÇÃO….. (INFELIZMENTE)

    Curtir

  8. Gostei da ideia das lombadas (quebra-molas) obriga o motorista a reduzir a velocidade.

    A questão dos pardais com certeza é arrecadatória, o que não quer dizer que seja ruim, se o dinheiro fosse investido em transporte público. Mas o melhor mesmo é impedir que o motorista ultrapasse a velocidade, e isso só com as lombadas!

    Aumentar as exigências para se conseguir habilitação é uma idéia básica que sempre defendi!

    Mas gostei muito da ideia simples das lombadas :^)

    Curtir

  9. Em vez de levar palestras teatrais para alunos do Ensino Fundamental não seria mais eficaz alterar o grau de dificuldade dos testes de habilitação? E que tal solicitar escolaridade mínima? Ou melhor, que tal estabelecer rendimento escolar mínimo como requisito para os demais testes? É uma forma de valorizar o conhecimento. Pra ter carro teria que ter cérebro e não o simples dindim como testemunhamos atualmente.

    Curtir

  10. Outra divulgação importante, por parte da EPTC, seria publicar o número de multas efetuadas por pardal, a cada mês, ao longo de um ano. A população, assim, poderia avaliar, o custo/benefício de cada um deles.

    Curtir

  11. Olavo eu concordo contigo porém mesmo dentro do nosso atual contexto em que convivemos com poucos seres humanos e com uma maioria de pessoas que tem apenas o potencial de se tornarem seres humanos eu acredito que medidas simples e por isso muito inteligentes podem ser extremamente eficazes para uma diminuição drástica no número de acidentes e igualmente drástica no número de mortes de inocentes.

    Pardais, azuizinhos escondidos, campanhazinhas é tapar sal com peneira. Até ajuda a menter o problema como esta.

    Bom, mas então qual é o segredo?

    LOMBADAS!!!!!

    Projeto: LOMBADAS PELA VIDA!!!!!

    É completamente ridículo permitir que carros circulem a 60km/h por cima de faixas de “segurança” quando o motorista, motociclista e ciclista acha que não tem nenhum pedestre atravessando.

    E eu, ingênuo ser humano, ainda luto pelos direitos dos animais.

    Affff, enquanto sequer respeitarmos os direitos básicos de vida de nossa própria espécie muito difícil alguém lembrar que outros animais também tem direitos.

    LOMBADA não diminue velocidade média de carro em lugar nenhum!!!! Lombada das boas é ainda mais seguro que sinaleira para pedestre essa sim pode fazer motoristas perderem alguns minutos preciosos de suas vidas.

    Pega um Porche Carrera GT às 8e20 da manhã ao lado da minha bike reclinada ali no Bourbom da Ipiranga para uma corrida até a beira do Guaíba.

    A não ser que tu saiba equilibrar o carro sobre duas rodas eu vou chegar antes e vou pedalando numa boa.

    Ou seja!!! Se tiver uma lombada antes da sinaleira desrespeitosamente desligada que tem no meio da Ipiranga a velocidade média de nenhum carro irá mudar e as pessoas que ali atravessam a muitos anos irão se sentir respeitadas por quem tem o dever de representar elas.

    Curtir

  12. O conjunto de medidas é bom para Porto Alegre, mas acho estranho praticamente dobrar o número de pardais (de 24 para 46). Eu gostaria de ver a EPTC publicar seus dados do número de acidentes por endereço para os 22 pardais novos no último período, propalado como com alto grau de acidentalidade. Aumento de pardais nesta quantidade parece medida arrecadatória.

    Curtir

  13. Pfffff. Enquanto que multar os motoristas infratores é uma boa medida, instalar gradis só torna o ato de caminhar pela cidade menos agradável e coloca ainda mais em risco a segurança dos pedestres.

    Por que não existem mais lombadas em Porto Alegre? Deveria haver uma na frente de cada faixa de segurança e próxima a todo cruzamento perigoso.

    Curtir

  14. Todas estas medidas podem melhorar um pouco os números dos acidentes, mas funcionar mesmo só quando conseguirmos diminuir o número de carros nas ruas, melhorando muito as condições do transporte público e desestimulando o uso do carro com taxas de congestionamento, aumento do ipva, aumento nas multas, proibição de estacionamento ao longo de vias e uma real formação de motoristas habilitados, hoje é muito fácil conseguir uma habilitação e muito difícil perdê-la.

    Curtir

  15. Gostei de ver que há mais iniciativas do que colocar pardais. Sempre que se fala de trânsito aqui só se aperta na tecla da velocidade, apesar de vermos diariamente pedrestes que não usam faixa, motoristas qu enão param nelas, sinal vermelho desrespeitado, cruzamentos trancados… Reduzir tudo para o problema da velocidade é muito simplista.

    Tomara que funcione!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: