Atraso em estudo põe em risco o financiamento para o projeto Portais da Cidade

Prefeito José Fortunati deve pedir mais prazo a Portais a fim de obter os US$ 100 milhões da CAF

Apontado como fundamental para reorganizar o transporte público da Capital para a Copa de 2014, o Portais da Cidade tem um dia decisivo hoje. Em reunião com representantes da Corporação Andina de Fomento (CAF), o prefeito José Fortunati deve solicitar a prorrogação do prazo para definições do projeto, devido a atraso nos estudos técnicos.

O encontro ocorrerá pela manhã, no Paço Municipal, no Centro Histórico. Ao lado do prefeito estará o secretário de Gestão e Acompanhamento Estratégico, Newton Baggio, e outros membros da comissão formada em abril passado para tratar do assunto. O pedido será uma tentativa de evitar a perda de financiamento de US$ 100 milhões (cerca de R$ 177 milhões) assegurado pela CAF.

Em 16 de novembro do ano passado, prefeitura e CAF assinaram termo de cooperação no qual o município se comprometeu a realizar, por meio de consultorias privadas, uma série de análises prévias como pré-requisito para a liberação do financiamento. Para essa etapa, foram antecipados US$ 1 milhão (R$ 1,7 milhão). O prazo dado pela instituição financeira internacional, que tem sede na Venezuela, é de 365 dias. E não será cumprido.

Dividida em seis partes, a fase de definições teve início apenas em abril, com a contratação da empresa a consultoria Logitrans, de Curitiba. Por motivo não informado, os estudos estão atrasados.

O funcionamento
– Os passageiros de ônibus procedentes dos bairros da Capital e da Região Metropolitana desembarcarão nos portais e no terminal Triângulo
– Desse terminal, tomarão ônibus articulados especiais para seguir viagem dentro da cidade
– Os veículos percorrerão corredores exclusivos em direção ao centro de Porto Alegre. Também haverá conexões entre os portais
– A ideia é reduzir o volume de ônibus que se deslocam por dia ao Centro, 33 mil em média
– O projeto prevê que os ônibus partam de três em três minutos dos portais
– O passageiro continuará pagando apenas uma passagem, mesmo tomando mais ônibus, desde que não saia dos portais ou das estações
– Nos trajetos, serão construídas estações de embarque e de desembarque com plataforma elevada em relação à via. O passageiro pagará ao ingressar nas estações
– Cada portal terá um prédio, com terminal de ônibus, estacionamento subterrâneo para carros, bicicletário e serviços

Zero Hora

Share



Categorias:portais da cidade

Tags:

4 respostas

  1. Antes de fazer qualquer estudo e definição sobre esses Portais e as linhas de BRTs que se pretende inplantar no lugar dos corredores de ônibus é preciso fazer uma espécie de PLANO DIRETOR de transporte público porto-alegrense (se possível metropolitano), incluíndo a previsão de linhas de metrôs, VLTs e aeromóvel que venham ser construídos no futuro.

    Seria uma falta de planejamento (e disperdício) investir numa linha BRT na superfície, por exemplo, e pouco tempo depois construir uma linha de metrô por baixo da terra na mesma regiãod a cidade. Nesse caso, até que se estabeleça as condições de finaciamento para a vinda inevitável do metrô de POA, é melhor reformar e melhorar os corredores que já existem.

    Aliás, esse Plano diretor de circulação metropolitana já deveria estar pronto há muito tempo. Se isso tivesse acontecido esses atrasos e indefinições que vemos hoje não estariam acontecendo.

    Curtir

  2. É um absurdo isso !!

    Incopetência é pouca nesse caso !!

    Curtir

  3. O atraso deste estudo é um absurdo, quantos anos falamos nestes Portais da Cidade???

    Curtir

  4. A desorganização nessa preparação para a COPA é uma vergonha. O Brasil já sabia em 2003, que seria sede, até porque concorreu sozinho. E deixaram tudo para a última hora…

    O que será a Copa em Cuiabá… Quero ver como será em Porto Alegre, São Paulo… Vou prestar atenção em todas…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: