Comentário lúcido sobre o Cais Mauá e as PPPs

Acho que se pode fazer uma leitura política também da decisao do Governo de atual assinar o contrato apesar dos pedidos do tarso para reconsider, etc.

Se o tarso se opor a assinatura do contrato ou mesmo se em algum outro nivel federal se conseguir uma maneira de adiar as obras a ponto de inviabilizar o término do novo cais em 2014, toda a responsabilidade política recairá sobre o tarso e o PT. E isso com certeza ja seria utilizado nas eleicoes municipais de 2012. Com certeza a populacao de porto alegre votaria contra um candidato do PT, cujo partido seria acusado de perder um momento histórico, etc.

Se nao tivesse a copa em 2014, nao haveria problema politico em o PT recomeçar tudo de novo e propor outro conceito de revitalizacao. Mas nesse momento nao aprovar ou nao facilitar para que os cais seja revitalizado a partir de 2011 vai ter um custo politico enorme, tentao em 2012 como até em 2014, no caso de uma reeleiçao.

O cais é uma maçã podre e envenenada para o tarso. Se ele comer, quer dizer, nao mostrar interesse em dar continuidade ao projeto, alegar problemas legais, etc, acho que vai pagar um alto preço em votos, pelo menos na região metropolitana de porto alegre.

Se o tarso tivesse a sabedoria do lula (lembrem as PPPs sao do lula!), faria pequenas modificacoes que nao prejudicassem o inicio das obras, se esforçaria para que os problemas legais a nivel federal se dissipassem, e terminaria o projeto em 2014 antes da copa, colocando a sua marca pessoal nele, mostrando como foi ele que salvou o projeto e, mais do que simplesmente tratar de questoes burocraticas, foi o homem que fez acontecer.

Se ele fizesse isso, o pt levaria a prefeitura de poa, seria reeleito ao governo do estado e ainda colocariam uma estatua dele no porto! Acho que no fundo no fundo a psdb está até torcendo para ele aceitar essa maçã envenenada e se opor ao projeto e inviabilizar o término antes de 2014. Vai ter farto material contra o pt até depois de 2014 eles  poderao dizer “nós fizemos tudo que podiamos fazer, a culpa é do PT se nao nao se fez”. Se ao contrário ele fizer, poderá dizer, “apesar de o psdb cometer uma série de ilegalidades, que impediriam a revitalizacao, e ter uma proposta mal planejada, que colocava em risco a realizacao da obra, nós conseguimos corrigir todos os problemas a tempo, fazer as modificacoes necessarias, para o bem da comunidade, e vamos inaugurar o nova cais da Mauá, graças aos nossos esforços nos últimos 4 anos”. O que o psdb poderia dizer? “mas nós fizemos a licitacao…” muito pouco na verdade se comparado com a obra realizada e sendo disfrutada
pelos gaúchos.
Em vez de fazer menos que o psdb, obstaculizando a obra, deveria fazer mais, realizando a obra e melhorando-a. Deixaria o psdb la  para tras, ganharia a estima de todos e ainda realizaria algo que ficaria no seu curriculo para toda a vida….

Por Jorge Ignacio Pujol

 

Share



Categorias:Opinião, Projeto de Revitalização do Cais Mauá

Tags:, , , ,

16 respostas

  1. Gostei da atitude inteligente do Tarso na entrevista coletiva :

    http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=42831

    Esse é o caminho para uma verdadeira soluçao. No caso do Caís Mauá existe um componente simbólico muito grande, que nao está presente nas outras duas PPPs. Tem que se ter uma visao mais ampla, de estadista. A revitalizacao do Cais Mauá nao é uma apenas um projeto do psdb, ou do governo yeda, é uma legítima aspiraçao do povo de Porto Algre e da regiao metropolitana. É uma necessidade para refundar nossa identidade, de entrar no sec XXI, de dar a Porto Alegre algo para se orgulhar, para ser a primeira pedra de muitas outras coisas nessa década que é estratégica. De atrair mais pessoas a capital e dai ao interior, é uma necesidade para o estado como um todo. Porto Alegre pode e deve se inserir na Economia da Experiência, na Economia da Cultura… O espaço do cais pode ser o primeiro passo, combinado com a revitalizacao do centro histõrico. E além disso, quem vai colher os frutos politicos de tudo isso é o proprio Tarso em 2014…. como nao ir nessa direçao? Porque criar uma imagem negativa desde o primeiro mes de governo? A confrontacao politica com o psdb nesse momento nao tem masis sentido…. o tarso ganhou no primeiro turno com folga… a yeda ficou em terceiro…. para que se desgastar se opondo a um projeto como se fosse o projeto da Yeda? Simplesmente aconteceu de a licitacao ser aberta no seu governo.

    Imaginem se fosse ao contrario, se é no governo do Tarso que se abre a licitacao, todo um novo projeto desde o zero, mas é um outro partido que ganha a eleicao e deve confirmar o contrato… esse partido estaria contentissimo…nao vai ter todo o desgaste politico e burocratico inicial….e vai inaugurar todas as obras, que a populacao espera a décadas…. Isso vale menos que ficar provando que o governo anterior (já derrotado) nao fez tudo certinho e por isso nao vamos das continuidade a essa PPP , que nao tem custo nenhum para o Estado? Só para provar que nao esperaram a Antaq, que a culpa é deles que nao saiu? Nao se está supervalorizando o psdb dessa maneira? Nao se está comportando como se estivesse ainda na oposicao? Só vai dar vida e energia á oposicao do psdb logo nos primeiros meses…. A Yeda tem o mérito dela, mas mérito muito maior terá quem entregar esse novo cais á cidade…. é uma expectativa de décadas que está acumulada…
    Essa entrevista talvez seja um sinal de existe uma visao maior especialmente no caso especifico do Cais Mauá…. vamos ficar observando os próximos passos….

    Curtir

  2. Falando em janela de oportunidades, já deixamos escapar o metrô de Porto Alegre, pois tenho certeza que se tivesse havido união de todos os partidos e políticos locais teríamos conquistado mais esse grande sonho da cidade. Agora teremos de esperar década para ver essa realidade se concretizar.

    Por isso de forma alguma podemos perder essa oportunidade, mais uma vez, de tornar útil para cidade esse lindo cartão postal de Porto Alegre – seu cais.

    Curtir

  3. Apenas um comentário sobre o que foi colocado acima, um pouco colocando em duvida as empresas que fazem parte do consórcio (“Que a diretriz não seja meramente comercial, do tipo imobiliário, que não seja orientada por um “plano de negócios”).

    O consórcio, que apresentou a proposta de revitalização, é liderado pela Contern, braço da construção civil do grupo brasileiro Bertin.

    Em agosto de 2010 saiu na impresan que o governo federal fechou acordo com as 11 construtoras que vão construir a Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu. Entre elas, está a Contern. Só esse contrato vai mais do que dobrar as encomendas da empresa. Pelo que sei essas empresas tem normalmente negócios como o governo lula e nao ha discussao sobre isso. Inclusive ha uma relacao de amizade entre o lula e o empresário José Carlos Bumlai.

    Bumlai tem relacoes de parceria com a Bertin que por sua vez tem como socio o proprio BNDES, ou seja, a Bertin tem o aval do BNDES…. E não sou eu que digo … é o MST:

    “Instalada em Dourados em 2009, a usina São Fernando é um empreendimento dos grupos Agropecuária JB (Grupo Bumlai), especializado em melhoramento genético de gado de corte, e Bertin, um dos maiores frigoríficos produtores e exportadores de produtos de origem animal da América Latina.

    Dono da Agropecuária JB, José Carlos Bumlai foi apresentado em 2002 ao então candidato presidencial Luiz Inácio Lula da Silva, que gravou ali os programas sobre agronegócio que foram usados na campanha, segundo matéria da revista Dinheiro Rural reproduzida no site da Agropecuária JB. De acordo com a matéria, nos vídeos de campanha Lula teria assumido “um compromisso em defesa da propriedade e da produção, afugentando o fantasma de uma reforma agrária radical, que sempre pesou sobre os ombros do PT”.

    O Grupo Bertin, que está em processo de união com o frigorífico JBS Friboi, maior empresa do setor no mundo, tem 27,5% de suas ações controladas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).”
    http://www.mst.org.br/node/8238

    Curtir

  4. Não concordo com o novo comentário do Pujol, especialmente em relação ao aspecto temporal e na dependência (não existia, foi recentemente criada) do projeto em relação à Copa do Mundo, mas reconheço que é uma manifestação de excelente nível. Esclareço que o advogado da área financeira que mencionei não, por óbvio, o ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba Jaime Lerner (DEM), um velho político que também é arquiteto. Também tenho um link a respeito disso, é sobre a conexão paranaense do mensalão do DEM no DF (http://politica.horahnews.com.br/2010/09/conexao-paranaense-do-mensalao-do-dem.html). Quanto à Petrobras, informo que a maioria absoluta da diretoria é altamente profissional, nem poderia ser diferente pois ela é uma das maiores empresa do mundo. Mas reconheço que os políticos, de todos os partidos -PT, PSDB, PMDB, DEM, PPS, PDT, PCdoB, PSB, PP, e outros, costumam aparelhar boa parte da estrutura estatal. Infelizmente. Nem por isso a Petrobrás, junto com o BNDES, deixou de investir mais de 40 bilhões de reais em Rio Grande. Aqui também sugiro um link, a respeito do aumento dos desembolsos do BNDES ao setor privado ( http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Destaques_Primeira_Pagina/20101109_desempenho.html). É isso, por ora.

    Curtir

  5. Caros colegas de discussão, o fato de Porto Alegre sediar a Copa em 2014 para mim não é um dado menor. Isso estabelece um horizonte e coincide com o calendario politico estatual e nacional. É claro que se poderia fazer outro projeto, ter todo o tempo do mundo para se discutir mais ainda a questão, fazer bem devagar e sem pressa e termos uma obra quase perfeita no cais…. isso seria o ideal…. mas acho que devemos pensar no real, no que se pode fazer dentro das circunstancias em que estamos. A copa é um estímulo para que os governantes usem a sua capacidade de solução de problemas. Perder essa janela (claro que a Copa nao é tudo na vida) é uma opção, mas tem que ficar claro que é uma opção política…. Todas as eventuais conseqüências negativas serão pagas políticamente là na frente… é um dilema…. nenhum deles é bom… eu acho o menos pior desde um ponto de vista político modificar, melhorar, reorientar e realizar até 2014. E se bem administrado podemos transformar esse limao numa limonada…

    Essa é a opção A do nosso “alfabeto” para o Cais…. claro que se pode dizer, esquece a Copa, fazemos depois a revitalizacao…. tem B, C, D, E, F…. etc… sempre tem essas opcoes “virtuais”, mas sem esse horizonte da Copa, embora nao seja impossivel, eu acho bem mais dificil. Eu acho que o A está na nossa frente olhando para nós com seus defeitos e sua realidade. É uma escolha…. cabe ao governador e a coligação no governo refletir sobre isso. O fato de A nao ser a perfeiçao faz parte da vida…. depois de iniciado, se cria uma dinâmica, outras coisas irão se agregar ao projeto, haverá mais espaço para discussão e participação, eu pelo menos acredito na História e que o Homem é capaz de modificá-la e com o Tarso no governo liderando essa trasnformacao muito mais chances ainda de no final chegarmos perto do ideal. É isso que eu chamo reorientar simbólica e políticamente o projeto. Sem dúvida é mais fácil dizer vamos começar do zero de novo, discutir outro projeto, mas ai vai chegar muito rápido 2014, a copa, as eleições, e entao veremos se algo concreto palpavel foi feito…. e as consequencias políticas da decisão tomada agora serao colhidas lá (acho que mesmo antes em 2012). Espero sinceramente que a melhor decisao seja tomada….

    Curtir

  6. Concordo com o Hermes. Deviamos fazer outro projeto, que não tivesse qualquer ligação com um “advogado da área financeira” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Jaime_Lerner), e também não deviamos nos deixar levar por “aventureiros em busca de bons negócios” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo). E não se enganem em achar que são recursos privados, pois quem pagará pela obra é o BNDES (http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Navegacao_Suplementar/FAQ/bloco2r.html).

    Alias, o BNDES emprestou 55 bilhões em 2009, dos quais 25 bilhões somente à petrobrás (http://pt.wikipedia.org/wiki/Banco_Nacional_de_Desenvolvimento_Econ%C3%B4mico_e_Social#Suprindo_a_demanda_por_cr.C3.A9dito), empresa que é dirigida por integrantes ou aliados do PT e tem portanto total autonomia para mover estes resursos da forma que quiserem.

    Algumas noticias interessantes abaixo sobre quem quiser apoiar o PT como os caras acima:

    http://oglobo.globo.com/pais/mat/2008/05/07/elvio_gaspar_diretor_do_bndes_libera_as_verbas_vai_as_festas-427274429.asp

    http://wwo.uai.com.br/UAI/html/sessao_3/2009/06/25/em_noticia_interna,id_sessao=3&id_noticia=116045/em_noticia_interna.shtml

    Curtir

  7. As placas do gigantescos empreendimentos em Rio Grande, por exemplo, ostentam o logotipo do BNDES (além dos logotipos do Governo Federal e da Petrobras, é claro). É para isso que serve o BNDES – para alavancar o desenvolvimento do Brasil e do RS!

    Curtir

  8. O BNDES deveria pegar esse dinheiro e aplicar em títulos públicos, pois nada no mundo é mais seguro e lucrativo do que ganhar 10% ao ano. Mas da onde vem o dinheiro do BNDES mesmo? Para que serve o BNDES mesmo?

    Curtir

  9. É verdade… e ainda não engoli essa do Lerner metido no projeto.

    Curtir

  10. O comentário apresenta, de fato, uma abordagem interessante, mas incorre no erro lógico do “falso dilema”, a saber: se faço “a obra”, viro herói, e faturo politicamente; se não faço “a obra”, torno-me vilão, e arco com os custos políticos disso. As duas alternativas excludentes têm um denominador comum – “a obra”, mesmo que seja objeto de pequenas “correções”, mas continua sendo “a obra” (o atual “projeto”, leia-se). Prefiro trabalhar com outra alternativa – fazer outra “obra”, revitalizar o cais com outro projeto, outra concepção (que não seja concebida por advogado da área finaceira …). Que a diretriz não seja meramente comercial, do tipo imobiliário, que não seja orientada por um “plano de negócios”, e sim por um projeto arquitetônico global, feito por quem entende do assunto, não por aventureiros que andam em busca de “bons negócios”. Não há qualquer dependência com a Copa do Mundo, nunca houve; atualmente essa possibilidade, de sediar um ou dois jogos da Copa, é usada “ad nauseum” para justificar tudo, para esquentar qualquer tipo de iniciativa ligeira … Mesmo assim, sobra tempo, até porque não existe nada, absolutamente nada! Alguns desenhos e folders não constituem projeto arquitetônico, nem mesmo anteprojeto; quanto aos projetos de engenharia a situação é ainda pior (sua elaboração, exame e aprovação leva cerca de 2 anos, na melhor das hipóteses). Lembrem-se: esse “projeto já estava em andamento no governo Rigotto, e levaram mais 4 anos (!) somente para licitar, e de forma desastrada – com erros legais grosseiros e sem concorrência (ou “concorrência feita para um só candidato”, com fotografia e tudo).
    Assim, o comentário acima é bom, sem dúvida, mas parte de um falso dilema – se faço A, me consagro; se não faço A, caio em desgraça. O alfabeto do “fazer” tem mais letras … Para outros projetos também tem dinheiro, e a fonte é a mesma – estatal, pública (BNDES). Aqui no porto, até pequenos navios construídos pela iniciativa privada local são, na verdade, financiados pelo Poder Público, pelo Estado. Para ver isso, basta entrar no site do BNDES e examinar de onde saem os recursos para os grandes empreendimentos privados. Não são recursos privados, nunca foram.

    Curtir

  11. Claro, não discuto a necessidade da obra. Tomara que saia e que saia logo a revitalização do Cais; e tomara que esteja tudo dentro da lei…

    Curtir

  12. Quem entrará com dinheiro no negócio será somente o empreendedor. O Estado (impostos) e a população (lazer e empregos) só tem a ganhar com essa revitalização do caís.

    Curtir

  13. E quem pagará a conta de um contrato feito no’’apagar das luzes’’ sem muita segurança jurídica? Nós…

    Curtir

  14. O problema é que os políticos petistas tem compromissos com essas “organizações sociais” do atraso. Elas normalmente são utilizadas como massas de manobras em períodos eleitorais, mas cobram um preço alto por essa submissão – apoio em suas causas retrógradas.

    Curtir

  15. O Fortunatti, futuro aliado do governo Tarso em sua base de governo, é a minha esperança para a realização desse sonho da revitalização do Cais da Mauá. Ele sabe da importância desse local para receber bem os turista que virão para a Copa e não quer, de jeito algum, atrasos no cronograma desse projeto. Por isso, segundo suas próprias palavras, deve procurar o futuro governador para conversar sobre o assunto.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: