Nova Iguaçu, RJ, terá aeromóvel também

Aeromóvel: processo de licitação autorizado em Nova Iguaçu

A prefeita Sheila Gama autorizou a abertura do processo de licitação para empresas interessadas em participar da concessão do aeromovel. O decreto, de número 8.795, oficializado no último dia 06, estabelece as responsabilidades das concessionárias, que vão construir e administrar o sistema por 25 anos. O projeto de implantação de um novo meio de transporte para ligar os principais pontos da cidade foi lançado em setembro deste ano e prevê outras intervenções urbanísticas no Centro. A resolução também autoriza a construção do aeródromo, reativando as atividades do antigo Aeroclube.

Elaborado pelo engenheiro Fernando Mac Dowell, o aeromovel será apenas um dos eixos para a construção de uma nova ordem na estruturação urbana do Centro e arredores. Apesar da grandiosidade do projeto, a viabilidade orçamentária do pacote é quase imediata, dependendo quase integralmente da iniciativa privada. “Nova Iguaçu cresce a cada dia. Em cada esquina tem um novo empreendimento. Temos que pensar no futuro. Todo o projeto foi elaborado baseado em estudos, em pesquisas. É um sonho, que com a nossa determinação, se tornará real“, disse a prefeita.

De acordo com a portaria, a Prefeitura nomeará uma comissão especial para realizar a licitação do aeromovel. O grupo será formado por representantes das áreas de transporte, obras e administração pública e deverá analisar todas as propostas para autorizar a concessão. A ideia é que o processo seja feito de forma transparente e que a população participe dos procedimentos. Por isso, o processo licitatório também passará por uma audiência pública.

O Aeromóvel é um meio de transporte urbano automatizado em via elevada que utiliza um sistema de propulsão pneumática.
A princípio, uma linha sairá do terminal da Coderte, no Centro, para o bairro de Cabuçu. A segunda deixará o Centro e seguirá para a área de Santa Rita, passando pelo antigo aeroclube. O passo inicial será a instalação de 4,5 km de plataformas suspensas com cerca de sete metros de altura e a construção de oito estações no Centro para possibilitar a circulação do novo meio de transporte.

Entre as responsabilidades previstas, a empresa escolhida deverá garantir a qualidade no transporte de passageiros durante o dia, e viabilizar o carregamento de cargas à noite. “É um sistema fácil de fazer e de baixo custo. Queremos racionalizar o sistema de mobilidade para melhorar a vida da população”, concluiu Mac Dowell.

Leia mais em: http://noticias.sitedabaixada.com.br/noticias/capa/2010/11/11/aeromovel-processo-de-licitacao-autorizado-em-nova-iguacu/#ixzz154MpghK6

Share



Categorias:Aeromóvel

Tags:,

5 respostas

  1. Ainda na Faculdade de Engenharia da UERJ, tive o privilégio de assistir a uma palestra do Dr. Oscar Koester sobre o sistema de sua invenção. Jamais vi (nem procurei ver) provas relativas ao preço ou à qualificação do palestrante – que presumo ser engenheiro, pois ministrou sua palestra em renomada faculdade de Engenharia de uma das principais capitais do nosso país.

    Por mera lógica, creio que o sistema Koester (ou aerotrem, ou aeromóvel, como se queira chamá-lo) é muito superior, técnica e economicamente, aos sistemas de metrô, subterrâneos ou de superfície, já implantados em muitas cidades.

    Segundo explicou o Dr. Koester, sua implantação é muito mais rápida e barata, pois feita na superfície (podendo se sobrepor a vias já existentes, sem necessidade de desapropriar imóveis, escavar e transportar muitas toneladas de terra, desviar instalações de água, gás, comunicações e eletricidade etc.) e a via é feita em módulos pré-fabricados. Como se não bastasse, os veículos transportam meras velas, que ficam inseridas em túneis existentes nos módulos pré-fabricados do viaduto, e os compressores de ar responsáveis pela propulsão permanecem parados – diferentemente do que ocorre com trens e metrôs, que carregam os pesados motores que promovem seu deslocamento. Assim, o custo de operação é bem menor, pois gasta-se menos energia. Os veículos, dotados de pneus, são mais silenciosos que trens. Ademais, circulando a céu aberto, se houver pane bastará que os passageiros saiam do veículo e se dirijam às escadas de acesso mais próximas (sem problemas de iluminação). O fato de o sistema ser pneumático também elimina a possibilidade de choque elétrico a quem caminhe em sua via.

    Esses aspectos parecem ser, todos, muito evidentes e não exijo prova deles. Não me admira que o projeto do Dr. Koester sofra tanta oposição: governantes corruptos haverão de preferir obras mais custosas e que lhes possam proporcionar maiores propinas ou lucros ilícitos em processos de desapropriação – apenas a título de exemplo.

    Curtir

  2. SONIA ou ZENO: PARA SEU GOVERNO, o custo do KM (incluindo-se os trens e as estações) do AEROMÓVEL, fica em torno de R$ 30 milhões, enquanto o “tão propagado METRÔ” custa somente “CENTO E UM MILHÕES DE REAIS”, ou seja o triplo…O AEROMÓVEL É EFICIENTE: FATO – O AEROMÓVEL É SILENCIOSO: FATO – O AEROMÓVEL NÃO É POLUENTE: FATO – É CORRETAMENTE ECOLÓGICO: FATO – É TRANSPORTE DE MASSA: FATO – Não compreendo a resistência de políticos, técnicos etc e tal quanto ao AEROMÓVEL. Ninguém vem a público identificar os PRÓS E OS CONTRAS. Outro dia ouvi o seguinte: O AEROMÓVEL NÃO É VIÁVEL, pois causa muita sombra…COMO ??? Causa muito barulho ? COMO ??? – E os “MARAVILHOSOS” ônibus ? São cerca de 2000 na Cidade…Causam poluição sonora, visual e do ar, além de serem causadores de inúmeros transtornos ao trânsito, entre eles acidentes…com muitas vítimas…Isso pode…Talvez o problema seja a possibilidade de desemprego de motoristas e cobradores ( ainda existe cobrador de ônibus ? ). PENSO que se as empresas de ônibus criassem uma Empresa, tipo CONSÓRCIO para investir no Aeromóvel (construção e administração), utilizando as principais vias para o transporte deixando os ônibus com algumas linhas circulares bem como para ligarem os bairros às estações (terminais) do AEROMÓVEL. Mas preferem o METRô E OS ÔNIBUS. Quero ver na COPA 2014, nas horas de picos…hehehe…Aquelas lindas paradas de ônibus nas calçadas centrais atrapalhando o pedestre…Inúmeros ônibus causando uma barulheira danada…Uma fumaceira só…hehehe…Veremos dona Sônia e seu Zeno…Veremos…

    Curtir

  3. Em tempo: uma foto de algumas carroças estacionadas na Vila dos Papeleiros em Porto Alegre posta em algum site para um estrangeiro olhar talvez o fizesse também tirar conclusões errôneas sobre nossa cidade. Ou não?

    Curtir

  4. Enche-me de curiosidade o fato de sempre haver uma pessoa que faz o mesmo tipo de post (militância?) em diferentes blogs e sempre com um nome diferente. Um tal de “Zeno Teratopoulos” postou em http://deolhoem2014.terra.com.br/blog/poa/aeromovel-deve-virar-realidade-no-transporte-para-o-mundial-de-2014-em-porto-alegre-49 um texto bem similar: “[…] cujo preço é mais do que o dobro do que o de um trenzinho a vapor.”

    Sônia, por favor, apresente-se para nós.

    A internet, repito, é fonte não confiável de informações. A citação descontextualizada de um site estrangeiro, cuja orientação política é totalmente desconhecida, deve ser recebida, no mínimo, com reservas.

    Quanto ao valor da tarifa na Indonésia, já citei o fato do sistema de 800m da Doppelmayr inaugurado há poucos meses em Veneza custar 1EURO.

    O ataque à Indonésia conquanto país não merece resposta. Jacarta possui até sistema de corredor de ônibus semi-exclusivo (BRT). Não vamos esquecer que Jacarta é a segunda maior região metropolitana do MUNDO.

    Diego

    Curtir

  5. Apesar de já ter sido publicado neste blog, sempre é bom lembrar para os que defendem o ferrorama com unhas e dentes:
    Vamos iniciar conhecendo um pouco da Indonésia, terra de sucesso insofismável do aeromóvel – e que de uma certa forma me faz lembrar a baixada fluminense :
    http://www.expat.or.id/info/traditionaltransport.html
    Vamos também conhecer os preços do transporte com o aeromóvel no mesmo local ( custa o dobro do que um trenzinho a vapor). É bom notar também, que o protótipo da Indonésia, só funciona aos sábados e domingos ( quando funciona).
    http://www.tamanmini.com/index.php?modul=fasilitas&cat=FTransportasi
    É bom conhecer também a origem do financiamento deste projeto, bancado pela família do ditador mais sangrento que se conheceu nesta região – O general Suharto. A “forma de vender” a idéia maravilhosa, não parece ser das mais éticas…
    http://www.hamline.edu/apakabar/basisdata/1997/09/05/0017.html
    “This transportation system is similar with the elevated trains utilized in the Miniature Indonesia Park built in the early 1970s by Tutut’s mother,the late Mrs. Tien Suharto, with controversial “donations” from the private.sector and Indonesian taxpayers. “

    Só para ser justo, é bom lembrar que o Sr. Gilberto Simon, embora já tenha sido alertado, insiste em qualificar o Sr. Oscar Koester como engenheiro, profissão que o mesmo nunca teve. Mas gosta de ser promovido, para tentar dar credibilidade ao seu charutinho de brinquedo.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: