Transporte hidroviário pelo Guaíba: entre o sonho e o possível, a concretização de um antigo desejo

Imagem: Metroplan

A abertura da licitação voltada para o sistema de transporte hidroviário, entre os municípios de Porto Alegre e Guaíba, aconteceu quarta – feira (17/11), na Central de Compras do Estado (Cecom – RS), com o recebimento da documentação de habilitação necessária para a participação do processo. A modalidade prevista neste procedimento licitatório será de Concorrência de Concessão de Uso.

O próximo passo foi dado nesta sexta – feira (19/11) com a abertura das propostas. No caso, apenas uma empresa se credenciou à participação do processo licitatório, a Viação Tapajós Ltda.

De acordo com os termos contidos em um dos anexos do edital, a empresa vencedora da licitação terá direto à concessão do serviço público hidroviário pelo período de trinta anos. Para tanto, a concessionária deverá requerer seu credenciamento junto à Delegacia da Capitania dos Portos de Porto Alegre.

No exemplo do passado a construção do futuro

A implantação deste sistema atende, assim, os anseios da população que diariamente desloca-se de um município para outro e reivindicava uma via alternativa de transporte. Houve época, inclusive, em que a capital do Estado se ligava a alguns municípios do interior apenas por vias aéreas ou hidroviárias. 
     
Esta situação perdurou até a década de 1950, quando foi construída a ponte sobre o Lago Guaíba e paulatinamente extinto o transporte hidroviário. Com o  novo sistema  implantado voltarão a ser três, de maneira ajustada às necessidades dos usuários deste trajeto, as alternativas de ligação entre a capital e o interior do Estado.

Para esta nova prestação dos serviços de transporte de passageiros serão exigidas embarcações novas, do modelo catamarã (com duplo casco), com ano de fabricação a partir de 2009. Além disto, estão previstos no mínimo duas embarcações, com 120 lugares, cuja projeção de atendimento é o transporte de 4000 passageiros/dia.

Em Porto Alegre as embarcações partirão do Armazém B – 3 do Cais do Porto até o centro de Guaíba, junto à atual Estação Rodoviária daquele município, onde iniciarão o deslocamento inverso. Mais informações sobre o edital podem ser obtidas no site da Cecom – RS (www.cecom.rs.gov.br), no link Consulta a Editais.

Fonte: jornalista Gilberto Grigolletto Maboni/Cecom – RS/Sarh; 19.11.2010

__________________________

Faltou neste estudo para licitação algumas escalas da linha em pontos da zona sul, BarraShoppingSul, etc. Por que ir direto do centro de POA até Guaíba? Em post do Porto Imagem uns dias atrás o jornalista Gustavo Bartzen inclusive nos enviou um mapa sugerindo a rota. Vejam aqui o post.

Share



Categorias:hidrovias

Tags:, , , ,

3 respostas

  1. Mas já é um começo… Agora temos de torcer para que essa linha de certo que logo aparecerão opções para a zona sul de POA.

    Curtir

  2. Se a Ford tivesse vindo pra Guaíba, a segunda ponte do rio já estaria construída há 10 anos.
    Agradeçamos ao nobre Miguel Rosseto..que nos fez a gentileza de entregar a fábrica de mão beijada pros baianos.

    Curtir

  3. Seria interessante analizar aquelas embarcações projetadas pela Marinha do Brasil para atender ao projeto Caminho da Escola, do Ministério da Educação.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: