RS é o único Estado a não atingir meta no Ensino Fundamental

Apenas 64% dos adolescentes gaúchos concluíram os estudos nesse período até 16 anos

Geórgia Santos | georgia.santos@rdgaucha.com.br

Uma das cinco metas do movimento “Todos pela Educação” é que todos os alunos tenham o Ensino Médio concluído até os 19 anos. Para isso, os estudantes precisam terminar o Ensino Fundamental com, no máximo, 16. Mas, segundo o relatório da organização, o Rio Grande do Sul foi o único Estado brasileiro a não atingir a meta.

Apenas 64% dos adolescentes gaúchos nessa faixa etária terminaram o fundamental no ano passado. A meta estabelecida, no entanto, era de 71%. O secretário estadual da Educação considera natural que algumas metas não sejam alcançadas. Para Ervino Deon, no geral, o Rio Grande do Sul está muito posicionado. Algumas vezes, acima da média brasileira.

O objetivo do “Todos pela Educação” é que 95% dos jovens brasileiros de 16 anos concluam o Ensino Médio até 2022. O país se manteve no intervalo de confiança do levantamento em 2009. No total, 63% dos adolescentes completaram o fundamental dentro da meta de 64.

Das 27 unidades da federação, o Rio Grande do sul está na 17ª posição quando o assunto é investimento. Mesmo com um gasto de R$ 2,3 mil por aluno, a maioria dos Estados desembolsa mais verbas para a educação. Segundo o acompanhamento da instituição, nenhum dos Estados atingiu as metas de aprendizagem para todos os diferentes níveis de ensino.

Radio Gaúcha



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

2 respostas

  1. O ensino de primeiro e segundo grau no Rio Grande do Sul é uma tragédia. Achamos que o problema está localizado no ensino público, mas se olharmos as últimas avaliações nacionais veremos que o Ensino Privado está pior. Como um exemplo olhando os resultados do ENEM 2009 vemos que dos 100 melhores colégios avaliados pelo Enem 39 estão no Rio de Janeiro, 30 em São Paulo, 14 em Minas Gerais, 5 na Bahia, 3 no Piauí, 2 no Espírito Santo e Pernambuco e no final com 1 só colégio Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Paraná.

    Podem alguns questionar os critérios do Enem, entretanto quando capitaneando em primeira posição se vê o eterno Colégio São Bento do Rio de Janeiro e logo após o Santo Agostinho, do mesmo estado se vê que pelo menos a lógica nas primeiras posições foram impecáveis.

    Além do Colégio Militar de Porto Alegre, que dentre os colégios militares do Brasil tem um desempenho pífio, não há nenhum dos colégios tradicionais. Anchieta, só o de Nova Friburgo no Rio e na Bahia, Israelita, bem colocado o do Rio de Janeiro, em resumo, temos um ensino fraco e deficiente que não se compara com nenhum colégio do Rio, São Paulo ou Minas Gerais.

    Agora qual a importância desta comparação, simplesmente porque se seguir a tendência as nossas melhores universidades serão reservadas para pessoas de fora do estado, restando somente às privadas de segunda linha. No momento que o Enem se firmar como exame de seleção, provavelmente a UFRGS, a UCS e os melhores cursos da PUC e Unisinos, vão aderir ao Enem.

    Ficamos discutindo muito o porquê do atraso do Rio Grande do Sul, culpamos partido A ou partido B, mas talvez esqueçamos que estamos simplesmente esquecendo-se do principal patrimônio que tem um povo, a educação.

    Curtir

  2. Bobagem essas materias….do que adianta 100% terminar a educacao basica ou fundamental, quando somente 11% aprendem matematica adequadamente….e somente 25% compreendeu oque leem, ou seja 75% sao analfabetos funcionais. Alem de que ficou claro no texto, que nao adianta tocar dinheiro na educacao, o problema e’ conteudo, que hoje se resume a proselitismo petista nas salas de aula.

    Aqui nos EUA e’ a mesma coisa.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: