O VELHO SOCORRE O NOVO – Fôlego para o aeroporto!

FALTAVA ESTA NOTÍCIA DO JORNAL ZERO HORA…

REALMENTE VAMOS TER “PUXADINHO”, METÁLICO, EM VEZ DE AMPLIAÇÃO DO TERMINAL 1 …

Reativação do antigo terminal ameniza situação crítica do Salgado Filho, que opera com 50% acima da capacidade

O terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Salgado Filho, o mais estrangulado entre os principais do país, continuará a operar acima de sua capacidade pelo menos ao longo do primeiro semestre de 2011. A reativação do terminal antigo, no fim de semana passado, só ameniza a situação crítica.

O prédio tirado da aposentadoria expande em cerca de um terço o número de passageiros que o aeroporto é capaz de atender, mas em 2010 o Salgado Filho já funcionou 50% acima de sua capacidade. A Infraero promete uma solução até junho ou julho.

Projetado para até 4 milhões de passageiros ao ano, o terminal 1 opera acima dessa capacidade desde 2007 – ou seja, ficou saturado quando tinha seis anos de operação. No ano passado, transportou 1,6 milhão de pessoas além do limite – 40% a mais do que deveria, o pior índice entre os grandes aeroportos brasileiros. A projeção para 2010 é de 6,2 milhões de passageiros (50% acima da capacidade).

– As pessoas vão começar a bater umas nas outras, vai faltar fluidez e vão ocorrer mais atrasos. Ocorre uma degeneração geral dos serviços, até chegar ao colapso – explica Cláudio Pinto Alves, professor do Instituto Tecnológico da Aeronáutica.

Estudo publicado neste ano pela consultoria McKinsey por encomenda do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) revelou que, nas horas de pico, Porto Alegre tem o pior check-in (203% de utilização) e a pior restituição de bagagens (350% de utilização) entre 18 terminais analisados.

Em 2007, relatório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já informava que o terminal do Salgado Filho “não comportaria a previsão de demanda para 2010” e que era necessário pensar na ampliação. Na mesma época, o relatório final da CPI da Crise Aérea chegava a conclusão idêntica.

Apesar dos avisos, só agora a Infraero está tomando medidas práticas para evitar o colapso. Enquanto promete a necessária ampliação do terminal principal, que foi empurrada para o final de 2013, a empresa aposta em soluções alternativas. A promessa do órgão é conseguir, com medidas de urgência, dobrar a capacidade do aeroporto até julho, elevando-a para 8 milhões de passageiros por ano. Em 2011, conforme as projeções, 7,3 milhões de viajantes vão usar o Salgado Filho. Se a promessa for cumprida, o aeroporto funcionaria no azul no segundo semestre

Operação mais ágil atrai companhias aéreas

Maior agilidade na operação do avião em solo e menos filas para os passageiros tanto no check-in quanto no raio X levaram a Webjet a se mudar para terminal 2 do Salgado Filho. A estreia foi na manhã de sábado, e os primeiros resultados fazem a companhia projetar que fez uma boa opção.

– Certamente vai melhorar nosso atendimento, reduzindo possíveis atrasos – disse o presidente da Webjet, Fábio Godinho, que ontem à tarde esteve no Salgado Filho conhecendo as novas instalações e o funcionamento da operação.

Apesar de parecer um retrocesso, um dos diferenciais apontados é o uso de escadas, porque os passageiros podem entrar e sair do avião pelas duas portas. Com as pontes, como no terminal 1, é possível usar apenas a porta dianteira, causando filas em voos lotados.

– Como Porto Alegre é o fim de uma linha, todos os passageiros precisam descer, e o uso das duas portas proporciona mais agilidade – disse o vice-presidente de operações, Fernando Sporleder.

Com 12 voos diários em Porto Alegre – serão 13 a partir de sexta-feira –, a companhia calcula que transportará 1 milhão de pessoas a partir da capital gaúcha em 2011.

No próximo dia 15, a Azul Linhas Aéreas também vai transferir suas operações para o terminal 2. De acordo com o superintendente do Salgado Filho, Jorge Herdina, haveria espaço para mais uma companhia aérea. Mas isso dependerá dos planos de expansão da Webjet e Azul.

– Para manter um nível de operação e conforto para os passageiros, no momento não estamos pensado na terceira companhia – disse Herdina.

Como a transferência de espaços ocupados por escritórios no terminal 2, as áreas de embarque e desembarque serão ampliadas a partir de março de 2011, informa o superintendente do aeroporto.

 

Duas frentes para duplicar capacidade

Para duplicar a capacidade do aeroporto Salgado Filho, os trabalhos são realizados em duas frentes. De um lado, com a reativação do antigo terminal – iniciativa que o especialista em projetos de aeroportos Cláudio Pinto Alves, do Instituto Tecnológico da Aeronáutica, qualifica de “quebra-galho”. De outro, com a montagem ao lado do terminal 1 de uma estrutura metálica de emergência, chamada pela Infraero de Módulo Operacional Provisório e que os brasileiros já apelidaram de “puxadinho”.

Segundo a Infraero, a reativação do terminal antigo representa já neste fim de ano uma capacidade extra de 1,2 milhão de passageiros ao longo de um ano para o aeroporto, absorvendo 20% do movimento do complexo. As obras, de R$ 2,5 milhões, seguem ao longo de 2011.

A previsão é recauchutar o terminal antigo e deixá-lo em condições de receber 2,5 milhões de viajantes ao ano no final do primeiro quadrimestre. A medida é vista como uma solução de longo prazo pela Infraero. O terminal antigo seguiria em operação mesmo depois da ampliação do terminal 1.

O Módulo Operacional Provisório, estrutura prevista para entrar em operação até a metade de 2011, agregaria capacidade extra de mais 1,5 milhão de passageiros por ano ao complexo. Ofereceria 32 posições de check-in, quatro a cinco aparelhos de raio X, uma esteira de restituição de bagagem e 1,6 mil metros quadrados de área útil de salas de embarque. O módulo vai operar enquanto não sair a ampliação do terminal principal.

 

Zero Hora

Share

__________________________________

Não acredito no que li ! Teremos um módulo provisório ao lado do Terminal 1 em vez de ampliarmos o Terminal ! Meu Deus ! Não consigo acreditar ! Achei que era uma ideia remota. Por que não tratam de liberar o dinheiro e iniciam logo as obras da ampliação ? Dinheiro deve ter ! O Projeto deve estar pronto! O que falta então ? Vergonha na cara dos diretores da Infraero que não souberam administrar a empresa ? Ou desvios para outras áreas do governo que não foram bem explicados ? Quem responde ?

O grande erro histórico das obras no Brasil. Fazem em etapas. Por que não fizeram o Terminal 1 com o dobro da capacidade, pelo menos ? Por que fazer em etapas ? É só aqui que isso acontece, no Brasil. Nos outros países isto seria um absurdo ! Aqui se planeja para 5 a 10 anos. Não pode acontecer isso. Tem que se p´lanejar pra 30 a 50 anos. Ou mais. Deveriam ter planejado, em todo o Brasil, aeroportos com capacidade pelo três vezes a que construiram.

Meu Deus!

O Brasil deveria desistir de organizar a Copa 2014 ! Deixamos pro Catar !

Vai ser uma vergonha ! 

Comentários via Facebook, após o post acima:

 

Marcelo Volcato – Essa copa do mundo vai acabar em pizza…

Gilberto Simon – Nunca tive tanta certeza disso como agora Marcelo ….

Marcelo Volcato – Copa do mundo sem aeroporto e ferrovia só no Brasil. Daqui uns dias começam a falar em “ampliar as rodoviárias”, você vai ver…

Gilberto Simon – Era pra ter começado a pensar nisso 4 anos atrás, não agora …

Gilberto Simon – Parece piada…

Silvio Belbute – Não se preocupem, já está no script, vide Jogos Panamericanos. Vão deixar tudo pra ultima hora, pra justificar contratações emergenciais, dispensa de licitação e por ai vai…o que hoje custaria 1 milhão, na correria vai custar 15 milhões…e assim a história se repete e nosso suado dinheiro vai pro ralo…ou bolso de uns poucos.

Marcelo Volcato – Tá tudo errado. Mas os problemas não se limitam ao aeroporto Salgado Filho. A ponte sobre o Guaíba já era, o presídio central já era, o Hospital de Pronto Socorro já era… Nossa infraestrutura está em ruínas e não será a copa do mundo que vai dar um jeito nisso.

Gilberto Simon – No mínimo, vamos ser protagonistas de um senhor fiasco!

Marcelo Volcato – Fiasco e desperdício. O desperdício me incomoda mais que o fiasco…

Silvio Belbute – Me incomoda também, mais o desperdicio e enriquecimento alheio, que o fiasco. Mas será assim senhore, a menos que a sociedade se mobilize. E digo mais: AEROPORTO NOVO JÁ. Onde está é um absurdo ampliar.



Categorias:aeroportos brasileiros, COPA 2014

Tags:, , , , , , , ,

15 respostas

  1. PT – PMDB – PSDB e outros partidos, todos se ligam nos grandes esquemas $$$$ no Brasil, em todas as áreas e a Infraero tem obras paradas devidos superfaturamentos. Qualquer partido no governo faz suas falcatruas näo é só hoje o PT, cada um tem suas cores preferidas e suas paixöes

    Curtir

  2. Julião, depois que eu fiquei sabendo que o (des)governo da petralhada doou 25 milhões de dólares para os terroristas da OLP fazer foguete para jogar em Israel (alegando ter doado para a construção de um hospital, mas deveriam pensar em construir um hospital na Restinga ou no Rubem Berta antes de dar dinheiro de graça para vagabundo) eu vi que a situação estava condizente com o slogan do Tiririca. Teve mensalão, cartão corporativo, caos aéreo, tudo o que não prestava antes piorou com os corruPTos…

    Curtir

  3. Daniel, o furo não está só aí. Sabe quanto aumentou a folha de salários do governo Lula em 8 anos?

    100 BILHÕES DE REAIS a mais todo ano (de 80 para 180 bi/ano) – por isso a companheirada dos sindicatos de servidores públicos trabalharam que nem loucos para a candidata do governo.

    E querem mais… cada vez mais. Mas cobrar eficiência, produtividade, índices de desempenho… nem pensar.

    Curtir

  4. Se o “governo” dos corruPTos não “investisse” em mensalão, programas assistencialistas eleitoreiros, auxílio-reclusão e ainda mandando dinheiro para o MST e grupos guerrilheiros esquerdistas de fora do país, seria perfeitamente possível investir em obras para melhorar as condições viárias. Quanto ao AeroDilma, com o preço que se fala daria de fazer uma boa obra no terminal 1.

    Curtir

  5. Alguem sabe o preço do puxadinho metálico??? Pelo que li, custa mais caro que o prédio definitivo. A Infraero tem várias obras bloqueadas por superfauramento.

    Curtir

  6. Em qualquer país decente os governo investem 5, 6, 7% do PIB em infraestrutura e não estou falando da China e países em desenvolvimento, como o Brasil, que investem bem mais com uma carga tributária menor.

    Sabem quanto o Brasil está investindo atualmente?
    +/- 1,5% do PIB…

    Esse é a grande causa de nossa infraestrutura insuficiente, o chamado custo-Brasil. Eu quero mais e acho o Brasil pode fazer mais e melhor, mas para isso precisa reformar esse “estado” ineficiente, gastador e improdutivo.

    Curtir

  7. Concordo plenamente com o Felipe Mobus, esse blog tá muito voltado ao sensacionalismo, de certa forma. Falta pensar um pouco economicamente.

    Se tudo fosse de graça, ja teriam construido viadutos na encol, alias, viadutos por toda cidade, dispensando semaforos. Eu sei como funciona orçamento de construção civil, e é caro. Sem mencionar governos, pois todos tem que investir em muita coisa, não só construção.

    Curtir

  8. E aviões presidenciais milionários…

    Curtir

  9. Governo Lula, uma administração de aeroportos do lata.

    Curtir

  10. Podem apostar que em 2014 com tantos “módulos operacionais provisórios” o aeroporto vai estar parecendo uma vila…

    Curtir

  11. Concordo com Felipe Mobus……oque parece ser nescessario e’ somente um terminal a mais….se esse terminal nao e’ de vidro com a mais nova e radical architetura com raio lazers e portais magicos, nao vem ao caso. Nenhum aeroporto que conheco nos EUA tem aparencia fora do normal….o JFK em NY mais parece uma rodoviaria, feio meio sujo lotado, mas funcional e amesma coisa para o resto NEWARK, ATLANTA, CHICAGO e LA. Nada de se tirar o folego. Mil vezes algo que seja rapido sem estress, limpo e que chegue com suas bagagens do que uma coisa futuristica complicada que leve 2 horas para se encontrar a saida.

    A maioria das pessoas preferem uma esperiencia rapida quandos se trata de aeroportos e avioes.

    Curtir

  12. Pois é, e ainda tenho que aguentar o Lula revoltado, quando os americanos publicam reportagem falando em copa do mundo com “geitinho brasileiro”.

    Curtir

  13. Privatização já!

    Curtir

  14. E eu me oponho a construir um aeroporto inteiro novo. Não vejo fundamento econômico nisso. O problema do Salgado Filho é estritamente o seu terminal, não sua operação aeronáutica. Se realmente precisarmos de outra pista, ao invés de gastar uma fortuna desapropriando em Eldorado como andam sussurando nos bastidores, me faria mais sentido usar a longa pista da Base Aérea de Canoas, construindo um terminal civil na parte sul da base, acessível pela freeway. Interligar o transfer com o Salgado Filho seria uma barbada.

    Salgado Filho + BACO = 50+ anos de operação.

    Curtir

  15. Discordo com a ideia de que fazer por etapas seja errado.

    Construir um aeroporto hoje para uma demanda de trinta anos é muito bacana, mas é inviável, pois requer um capital afundado muito maior do que as receitas de médio prazo – pra não falar no custo inútil de manter uma estrutura subutilizada. Por isso, essas etapas precisam ser planejadas e bem coordenadas. O problema é que essa coordenação simplesmente inexiste, pois cada governo quer tomar o louro de ter feito a obra XYZ para si.

    Ao meu ver, quando o aeroporto atual foi inaugurado, ele estava muito bem dimensionado – até sobrava espaço. Porém, a ampliação gradual da estrutura devia estar planejada desde o começo; algo como: “num ano amplia check-in, noutro sala de embarque; noutro, um finger novo, etc”. O problema é que esses incrementos graduais NUNCA aconteceram. Me parece que até planejaram isso, mas deixaram pra executar tudo uma década depois, quando a demanda já tinha ultrapassado a capacidade.

    Outro caminho: não teria sido errado ter aproveitado estes dez anos que passaram para reformar (aos poucos) o terminal velho, deixando-o nos padrões modernos, e construindo uma interligação mais humana. Faltou visão, e aí temos então um terminal velho com tecnologia estrutural totalmente ultrapassada, separado do terminal novo por uma caminhada desumana ou um ônibus com frequência ridícula.

    É mais racional fazer retrofits em estruturas já existentes do que demolí-las para construir coisa nova. A estrutura já construída é um recurso natural que foi extraído: se destruímos, teremos que extrair de novo – além de estarmos poluindo. A estrutura já construída é um capital que foi investido: jogá-lo fora é temeridade.

    Apliquemos isso à linha 2 do metrô. Poderíamos construir um ramal da São Pedro até o Cairu, para baldear a demanda da zona norte em uma primeira etapa, compartilhando o trilho da linha 1 até o Mercado. Assim reutilizamos uma estrutura já existente, viabilizando crescimento. Não é o sonho final de POA, mas dá pra fazer sem se humilhar pra União.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: