Construtora de Sapucaia vence licitação para obras do Aeromóvel do Aeroporto

Empresa será a responsável pelos trabalhos civis da via elevada, em Porto Alegre
 
Porto Alegre – A Trensurb divulgou nesta sexta-feira o nome da empresa vencedora para a execução das obras do Aeromóvel, que ligará a estação Aeroporto do trensurb ao Terminal 1 do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. A Construtora Premold, de Sapucaia do Sul, com a proposta no valor de R$ 7.229.768,19 será a responsável pelos trabalhos civis na via elevada, que iniciam em janeiro de 2011.

Todas as propostas foram recebidas na manhã desta sexta-feira no auditório da Trensurb, na Capital.

Termo de cooperação – Nesta semana, a Trensurb assinou o Termo de Cooperação com a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária). O protocolo é importante em função da implantação do sistema.

Projeto – Orçado em R$ 29,8 milhões, o projeto usa tecnologia 100% nacional e será totalmente desenvolvido no Rio Grande do Sul. Os veículos suspensos, movidos a ar, permitirão integração e acesso rápido e direto dos usuários ao terminal. O trajeto de 944 metros, com duas estações de embarque, será percorrido em 90 segundos. A linha contará com dois veículos, um com capacidade para 150 pessoas e outro para 300. A escolha de qual carro estará em funcionamento dependerá da demanda do período.

Desenvolvido pelo Grupo Coester, de São Leopoldo, o Aeromóvel é um meio de transporte automatizado, em via elevada, que utiliza veículos leves, não motorizados, com estruturas de sustentação esbeltas. Sua propulsão é pneumática – o ar é soprado por ventiladores industriais de alta eficiência energética, por meio de um duto localizado dentro da via elevada. O vento empurra uma aleta (semelhante a uma vela de barco) fixada por uma haste ao veículo, que se movimenta sobre rodas de aço em trilhos.

Obras do aeromóvel devem começar em janeiro

Trensurb asssinou na terça-feira termo de cooperação com a Infraero
  
Porto Alegre – Um termo de cooperação entre a Trensurb e a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária – Infraero foi assinado na tarde de ontem, no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. O protocolo faz parte da implantação do Sistema Aeromovel, que ligará a estação Aeroporto da Trensurb ao Aeroporto Internacional Salgado Filho. As obras devem começar em janeiro de 2011, com previsão de término para novembro. Será o único aeromóvel no Brasil e deverá ter a média de 7 mil usuários.

O gerente de mobilidade urbana da Trensurb, Sidemar Francisco da Silva, afirma que o termo de cooperação estabelece as regras que vão definir a forma de relacionamento entre os dois órgãos, regulando aspectos como segurança e questões operacionais. De acordo com o diretor-presidente da Trensurb, Marco Arildo Prates da Cunha, o termo consolida a conjunção de esforços das empresas do governo federal para a implantação da linha.

Servirá de transporte do trem até aeroporto
A linha será implantada pela Trensurb e fiscalizada pela empresa Aeromovel Brasil S.A. O veículo é um meio de transporte automatizado, em via elevada, de produção totalmente brasileira. Será uma segunda linha do metrô que permitirá o transporte de passageiros do trem até a estação Aeroporto sem custos adicionais. “É para quem está dentro do metrô e quer se deslocar ao Aeroporto Salgado Filho e vice-versa”, diz o gerente de mobilidade urbana da Trensurb, Sidemar Francisco da Silva.

Ele também conta que a obra tem um investimento de R$ 29,8 milhões e possui três licitações como a de implantação do elevado ferroviário, a de veículos e de implantação da estação. O veículo proporcionará melhor acessibilidade ao aeroporto, que contava apenas com um ônibus circular para transportar os passageiros até o local. “Também vai potencializar o turismo e melhorar o acesso para a zona aeroportuária”, conclui Silva.

 

Fonte: Jornal VS

Share



Categorias:Aeromóvel, aeroportos brasileiros

Tags:, , , ,

21 respostas

  1. UMA LÁSTIMA, POIS JÁ NASCERÁ OBSOLETO!

    O traçado deveria incluir o Terminal 2 do Aeroporto! Mentes retrógradas, atrasadas, sem visão de futuro, pois num futuro muito próximo o aeroporto de Porto Alegre já estará com sua capacidade aumentada em milhões, e o T2 ganhará uma suma importância, devendo, desta forma ser incluído no traçado original do Aeromóvel, do que adianta fazer este aeromóvel se as pessoas ao embarcarem/desembarcarem no T2 ficarem à mercê e ignorados, não estando somento no Terminal 2, mas sim serem cidadãos de 2ª!

    Curtir

  2. “Augusto, tu fizeste o meu dia hoje.”

    O que houve?

    Eu disse que prefiro que usem os trinta milhões dessa microlinha de aeromóvel, num projeto de aeromóvel que atenda toda a cidade. Que se economize esses 30 milhões e invista-os em um projeto realmente amplo. Pode ser pouco, comparado com o montante total para construir uma rede de aeromóvel…mas mesmo assim, seriam 30 milhões a mais para algo realmente útil.
    E caso que não haja uma rede de metrô ou aero na cidade, pegue-se esses 30 milhões e invista-se em outras coisas na cidade..que aliás, está precisando urgentemente. Tudo é uma questão de bom senso e adequação às necessidades conjunturais. Isso é administrar.

    Curtir

  3. “ou, usar o dinheiro para construir uma rede de aeromóveis (…)”

    Augusto, tu fizeste o meu dia hoje.

    🙂

    Curtir

  4. “Apenas acho que tu deverias ter a mente um pouquinho mais aberta. Se todos os grandes poetas, filósofos, músicos, artistas e cientistas pensassem tão reativamente assim como tu, teríamos um mundo bem menos sortido, colorido e interessante.”

    Administrar o erário não se faz com poesia nem missangas. Se gerencia o dinheiro do povo com racionalidade, ética, lógica e eficiência estratégica.
    Trinta milhões para uma linhazinha que ninguém vai usar (a não ser por mera curiosidade turística) é uma fábula de dinheiro. O lógico é reservar essa grana pra investir em outras prioridades…ou, usar o dinheiro para construir uma rede de aeromóveis ou uma rede de metrôs. Trinta milhões podem ser irrisórios pra construir o metrô…mas seriam muito melhor empregados na contribuição de uma obra muito mais cara…do que decorando o trajeto entre a estação aeroporto e o terminal de passageiros.
    A vida é feita de prioridades, amigo…..prioridades. Os investimentos precisam ser seletivos…ainda mais num país no qual dinheiro para obras públicas não cai do ceu.

    Curtir

  5. Em nenhum momento disse que tu eras bobinho, pelo contrário.

    Apenas acho que tu deverias ter a mente um pouquinho mais aberta. Se todos os grandes poetas, filósofos, músicos, artistas e cientistas pensassem tão reativamente assim como tu, teríamos um mundo bem menos sortido, colorido e interessante.

    Não pense nos R$ 30 milhões de forma tão unidimensional e reducionista, pense sistemicamente. Pense em quantos engenheiros mecânicos (como tu), arquitetos, técnicos, construtores, operários etc vão participar desse empreendimento, projetado E construído totalmente no Brasil. A Embraer, expoente da tecnologia brasileira, passa longe, muito longe disso. Agora faça a mesma conta para um metrô com tecnologia francesa, por exemplo.

    Eu sou engenheiro mecânico como tu, pois bem, sabemos nós que o estudante dessa faculdade não consegue almejar muito mais do que a área de manutenção, pois há pouco desenvolvimento de ponta no Brasil, com honrosas exceções (EMBRAER entre elas, claro).

    É bom saber que com empresas genuinamente nacionais como a Aeromovel, e sua cadeia produtiva formada por mais de uma centena de outras empresas nacionais, há sim oportunidade para inovação. Esse é o diferencial.

    Dê uma chance ao teu país. Ao final, cobre com rigor o resultado e sua efetividade, mas nesse momento, dê seu voto de confiança.

    Abraços
    Diego

    Curtir

  6. “Esta será uma linha PILOTO de ligação entre aeroportos e sistemas de transporte troncais, aplicação inexistente no Brasil. Favor não confundir tecnologia com aplicação, são conceitos de engenharia completamente distintos.”

    Então diga isso para alguns forumistas que sustentam que essa nanolinha “piloto” na verdade não funcionará como teste da tecnologia, mas como piloto….pois um dos argumentos mais citados aqui é sobre o teste.

    Só pra deixar bem claro. Eu cursei engenharia mecânica na Unisinos e trabalho com planejamento urbano há 23 anos….não sou tão bobinho assim.

    Curtir

  7. “aproveitar os 100 milhões para construir uma rede de metrôs”. Com R$100 milhões não se constróem nem 300 metros de metrô, quanto mais uma “rede”. O custo por km de uma linha de metrô varia entre US$100 a 200 milhões.”

    O impressionante é que tu passaste os olhos no texto mas não LESTE o mesmo. Eu disse que, em vez de se gastar 100 milhões numa linha de teste do metrô…poder-se-ia pegar esses 100 milhões e colocá-los na construção de uma rede de metrôs. Foi isso o que eu escrevi que tu não tivesses a capacidade de ler. É EVIDENTE que uma rede de metrô custa vários bilhões de dólares…não me obrigue a ser tão óbvio só pra ter que te explicar o que todo os cosmos já sabe.

    Porque será que as pessoas hoje em dia leem textos com os glúteos?

    Curtir

  8. Impressionante o conhecimento de engenharia de transportes do colega Augusto.

    “aproveitar os 100 milhões para construir uma rede de metrôs”. Com R$100 milhões não se constróem nem 300 metros de metrô, quanto mais uma “rede”. O custo por km de uma linha de metrô varia entre US$100 a 200 milhões.

    A linha do aeroporto NÃO é linha de testes. Testado e retestado o Aeromovel já está há anos. Esta será uma linha PILOTO de ligação entre aeroportos e sistemas de transporte troncais, aplicação inexistente no Brasil. Favor não confundir tecnologia com aplicação, são conceitos de engenharia completamente distintos.

    Curtir

  9. “Ele vai ser o início de uma nova fase do aeromóvel, que vai servir de exemplo para ver que este tipo de transporte pode dar certo e servirá basicamente de vitrine para o Brasil e quiça, outras ciudades do mundo.”

    Proponho-te um raciocínio. Digamos que queira-se implantar um metrô em Porto Alegre. Pois muito bem. Para isso, seguindo-se a lógica da nanolinha de aeromóvel do aeroporto, se construiria um piloto de percurso equivalente de metrô ligando, digamos, o aeroporto ao trensurb..ou a rodoviária até o mercado público. Assim sendo, gastaríamos uns 100 milhões para apenas construir um projeto piloto e testar como ele funcionaria. Na boa, Gilberto: você acha interessante torrar uma grana dessas apenas para teste ou acha que seria melhor aplicar a grana em outras áreas? Será que não seria muito mais proveitoso, dispensar o teste e a aproveitar os 100 milhões para construir uma rede de metrôs? Pra que torrar um dinheiro desses em linhas teste? Então que se use os 30 milhões que vão gastar na linha que leva lugar algum e coisa nenhuma…em outros projetos de mobilidade urbana mais úteis.
    Esses trinta milhões não reverterão em benefícios à população. Será um pessimo investimento público. Eu sou favorável a se gastar um bilhão numa rede de aeromóvel espalhada pela cidade….mas sou absolutamente contra gastar 30 milhões num teste inútil.

    Curtir

  10. “Augusto, eu já disse várias vezes que eu sou a favor do aeromóvel. Mas isso não quer dizer que eu não ache caro.”

    Daniel…eu apenas quis ser irônico, entendes?

    abraço.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: