O Projeto do Cais Mauá, por Adeli Sell, vereador do PT

“O projeto é um acerto conceitual em termos urbanísticos, sustentável econômica e socialmente. Não é um projeto agressivo esteticamente para a Orla, como alguns teimam, pelo contrário, trará uma nova paisagem, com um parque verde nas proximidades do Gasômetro.

Em Belém do Pará, o governo estadual de lá fez a revitalização tirando dinheiro do cofre. Aqui, os 500 milhões poderão ser aplicados em saúde e educação. Lá, o governo desembolsa mais 5.400.000,00 R$/ano, já, aqui, o governo – ao contrário – receberá 2.500.000,00 R$. Pode ser pouco? Aí, é uma questão que a Assembléia e o TCE poderão verificar.

A revitalização é um acerto. Errado está a ANTAQ, pois o Cais Mauá foi desafetado pelo CAP – Comitê de Autoridades Portuárias – em 2004, quando eu era Secretário da Smic. Está lá meu voto favorável.

O porto deveria ser municipalizado a bem da verdade. Mas foi repassado pela União para o Estado do RS.

O resto é por conta da grenalização política, tão maléfica para todos nós.”

Adeli Sell, vereador

 Adeli Sell enviou este texto ao Movimento Quero Cais, hoje, 15/12/2010.

Share



Categorias:Projeto de Revitalização do Cais Mauá, QUERO CAIS

Tags:, , , ,

16 respostas

  1. Então só se dá para chegar a uma conclusão sobre o Cais Mauá, Hermes: a intenção dos corruPTos é manter uma fonte maior para render o caixa 2, apesar dos benefícios socioeconômicos que a revitalização traria para a cidade.

    Curtir

  2. A opinião dos arquitetos do IAB é diferente; inclusive numa palestra recente que assisti lá, uma arquiteta conceituada, que trabalha no exterior, disse que do ponto de vista conceitual nem projeto arquitetônico para o Cais Mauá existe. Todas as opinões são válidas, mas prefiro a dos profissionais da área. Em relação à revitalização do Porto de Belém, que também acho ser positiva, não sei quanto o Governo arrecada (dizer apenas o quanto é gasto, sem mencionar a receita, é não dizer nada). Quanto ao valor do arrendamento, basta uma leitura rápida nos documentos da licitação para saber que, nos primeiros anos, o valor anual a ser pago é de apenas 10 por cento de 2,5 milhões. Duzentos e cinqüenta mil anuais representam 20,83 mil mensais por todo o Cais Mauá (armazéns, estacionamentos, equipamentos, prédio da administração, docas e faixa portuária). Atualmente, sem qualquer dificuldade, a SPH aluga, para festas, 1 (um) armazém, por uma noite, por cerca de 10 mil reais!!!!! Sem falar no estacionamento, que os interessados pagam a terceiros (firmas que trabalham nessa área). O valor do atual projeto está aviltado, e isso é uma obviedade. Realmente a revitalização de áreas portuárias é um acerto, mas determinados projetos de revitalização podem não ser. Se o CAP tem competência (e não tem pela legislação portuária federal) para desafetar áreas portuárias sem a aprovação da Antaq, porque o governo gaúcho foi a Brasilia, dias atrás, para solicitar à Antaq a desafetação do Cais Mauá? A União pode, por lei, delegar os portos aos estados ou aos municípios, mas a decisão é dela, por óbvio. Se um determinado município mostra ter interesse e condições técnicas e financeiras para assumir esse tipo de responsabilidade, certamente a União manifestar-se-á favoravelmente ao pleito. Conheço apenas um município brasileiro onde os políticos (prefeito e vereadores) têm conhecimento da realidade portuária e convivem com seu porto, e lutam por ele (vão atrás da carga, e não de empreendimentos imobiliários). Sou colorado, ainda estou com a cabeça muito inchada (com muita raiva do Roth e do Renan, dentre outros), mas mando minhas saudações aos gremistas (que não têm nada a ver com nosso fiasco no mundial, pois perdemos para nossa própria soberba).

    Curtir

  3. Pobre Adeli, tentando chamar as pessoas para o bom senso no meio de tantos IRRACIONAIS.

    Curtir

  4. Adeli pensa na cidade e não apenas em politicagem como os companheiros.

    Curtir

  5. Ele é petista mesmo?
    a estranho isso… 2012 chegando

    Curtir

  6. Só falta expulsarem ele do PT.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: