Porto Alegre perderá outra fábrica: a centenária Neugebauer

Neugebauer vai a Guaíba   

A Vonpar vai aplicar R$ 168,5 milhões na construção de uma nova fábrica para produção de chocolates e bombons no Distrito Industrial de Guaíba. Dona da Neugebauer desde o início deste ano, a fabricante da Coca-Cola reforça assim seus investimentos na área de produtos alimentícios, iniciados no final de 2009 com a compra da Mu-Mu e da Wallerius. O investimento foi aprovado semana passada pelo Conselho Diretor do Fundopem e terá benefícios do Integrar. Além disso, a Vonpar teve aprovados R$ 20,8 milhões para a duplicação da Mu-Mu, unidade de leite e derivados, em Viamão. Segundo o comunicado do Fundopem, o projeto da Vonpar prevê a expansão da unidade de chocolates com sua relocalização para Guaíba. O complexo terá uma área física de 35,8 mil m2 e capacidade produtiva de 40 mil tonel! adas/ano de produtos derivados ou compostos de cacau ou manteiga de cacau. A expansão deve resultar na abertura de 108 novos postos de trabalho.

A Capital perde indústrias   

Porto Alegre está perdendo mais uma fábrica, a centenária Neugebauer, que vai se transferir para Guaíba, assim como já aconteceu com outras importantes marcas, entre elas, Tintas Renner e o grupo Mundial (ex-Zivi Hércules), que se transferiram para outras cidades da Região Metropolitana. Sobram para a Capital os serviços e a tecnologia de informação.

www.affonsoritter.com.br

Share

A cidade está precisando de uma política de atração e de permanência de indústrias. Caso não seja feito algo em pouco tempo, a cidade ficará sem qualquer indústria e se tornará simplesmente uma cidade de serviços. Por que não transformam a área ao longo da Free-Way em distrito industrial? A Coca-Cola (Vonpar) se instalou nesta área uns anos atrás, outras podem seguir o mesmo exemplo. A cidade tem que pensar inclusive em algum incentivo a indústrias de grande porte. Não concordo que a cidade tenha que ter somente indústria de ponta. Indústria alimentícia, textil, mecânica ainda podem se instalar aqui.

Vonpar transfere para Guaíba a Neugebauer

Unidade deve ocupar 35,8 mil metros quadrados e abrir 108 vagasA Vonpar vai aplicar R$ 168,5 milhões na construção de uma nova fábrica para produção de chocolates e bombons no Distrito Industrial de Guaíba. Dona da Neugebauer desde o início deste ano, a fabricante da Coca-Cola reforça assim seus investimentos na área de produtos alimentícios, iniciados no final de 2009 com a compra da Mu-Mu e da Wallerius. O investimento foi aprovado na semana passada pelo Conselho Diretor do Fundopem/RS e terá benefícios do Integrar/RS. Além disso, a Vonpar teve aprovados R$ 20,8 milhões para a ampliação da Mu-Mu, unidade de leite e derivados, em Viamão.

Segundo o comunicado do Fundopem, o projeto da Vonpar prevê a expansão da unidade de chocolates com a relocalização da unidade industrial em Guaíba. O complexo terá uma área física de 35,8 mil metros quadrados e vai alcançar uma capacidade produtiva de 40 mil toneladas/ano de produtos derivados ou compostos de cacau ou manteiga de cacau. A expansão deve resultar na abertura de 108 novos postos de trabalho.

Já para a Mu-Mu, os recursos serão utilizados na aquisição de equipamentos para a duplicação do processamento industrial de leite e derivados, abrindo 102 vagas. A empresa já pertencia a um dos segmentos da família Vontobel, controladora da Vonpar, mas foi incorporada ao grupo em novembro do ano passado. Na mesma época, a empresa comprou a Wallerius, fabricante de balas e doces de Arroio do Meio. Com o novo ramo de atividades, a Vonpar criou a Divisão de Alimentos, responsável pelo segmento que deve expandir seus negócios, já que a franquia na área de bebidas limitava o crescimento da empresa.

A Neugebauer, mais antiga fábrica de chocolates do País – foi fundada em 1891 -, possui sua fábrica instalada na zona Norte de Porto Alegre. A centenária empresa gaúcha trocou de donos várias vezes. Já pertenceu ao grupo Fenícia, à Parmalat e à Florestal. Com a transferência, Porto Alegre perde mais uma de suas tradicionais empresas. A exemplo do que aconteceu com a Tintas Renner e com a Mundial, que se transferiram para a Região Metropolitana, a Neugebauer também deixa a Capital.

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=49782&codp=21&codni=3



Categorias:Economia da cidade

Tags:, , ,

13 respostas

  1. Jose:

    A Base Aérea de Canoas tem sua utilidade. Mas, de fato, sua pista é tão pouco utilizada pela FAB que não seria uma má ideia ter um uso compartilhado entre os civis e militares, a exemplo do que ocorre em Guarulhos. Poderíamos construir um terminal civil ao Sul da pista, mantendo-se a estrutura militar ao Norte. Construir uma interligação para o Aeroporto Salgado Filho seria trivial – basicamente seria um prolongamento da Av. das Indústrias para o Norte, atravessando a Free-Way. Um serviço de shuttle ou mesmo uma expansão do aeromóvel fariam o transporte de passageiros em conexão.

    Mas toda essa estrutura é desnecessária por agora, ao meu ver. O Salgado Filho não tem déficit de pista em sua operação – esse é um problema restrito à SDU e CGH. Reportagem recente da ZH (não tenho o link) mostrou que os maiores déficits do Salgado Filho estão no terminal de passageiros. Nas últimas vezes que usei o Aeroporto, observei isso de forma clara.

    Curtir

  2. E para que serve a pista da Base Aérea de Canoas??? Desativem a Base Aérea e passem a pista para a Infrazero????? Vamos votar???

    Curtir

  3. Bah, valeu pela informação, Gerson!

    Não sabia que só havia uma pista nesse aeroporto aí. Realmente então a falta de uma segunda pista não é o maior entrave então para o salgado filho.

    É que falam tanto que guarulhos precisa de uma 3ª pista que achei que, sendo assim, valeria a pena investir numa segunda pista para POA enquanto aquela área ainda é um vazio urbano, pois em GRU fala-se em indenizações milionárias para desocupar terrenos próximos para fazer a tal 3ª pista, assim como estamos tendo que fazer para desocupar a vila dique para ampliar a nossa pista atual.

    A infraero gastou milhões na contrução da atual segunda pista de Brasília para agilizar as operações e em Confins há um projeto para fazer o mesmo. Realmente não é algo de extrema necessidade, mas facilitaria/agilizaria as operações, pois diminuiria futuramente as inúmeras filas de espera de aviões para pousarem e decolarem, como ocorria em BSB e ocorre em CGH. Mas, como no nosso país nem o necessário se faz, seria muito difícil mesmo construíssem uma 2ª pista ali.

    Grande abraço!

    Curtir

  4. “O aeroporto de Gatwick em Londres movimenta quase 35 milhoes de pass/ano…e so com uma pista.”

    Sempre lembrando que Londres tem 3 aeroportos…sendo que Heathrow é o maior.

    Curtir

  5. ^^ portofan, o Salgado Filho nao precisa de uam 2a pista.
    O aeroporto de Gatwick em Londres movimenta quase 35 milhoes de pass/ano…e so com uma pista.
    Desde que tenhamos equipamentos de ultima geracao e a ampliacao da pista, nao teremos problema pelo menos por 50 anos.

    Curtir

  6. Ah, e eu já ia me esquecendo, nem mesmo os prédios que serão construídos na área da arena do grêmio seriam problema, aos quais os aviões sobrevoariam antes de pousarem nessa 2ª nova pista do salgado filho, pois em Congonhas e outros aeroportos há prédios muito mais altos e mais próximos e isso não impede o pouso de aviões, sendo que essa nova pista seria bem mais afastada da avenida dos estados do que a atual, o que permitiria que os aviões pousassem tranqüilamente ali.

    Curtir

  7. Aquela área ao longo da freeway, entre o Makro e a Vonpar/Coca-Cola poderia ser utilizada para agora, numa segunta etapa, fazer uma segunda pista, paralela à atual, para o aeroporto salgado filho, o que permitiria a operação simultânea de ambas as pistas, bem como até mesmo, numa terceira etapa, um novo terminal e pátio de operações poderiam ali serem contruídos, tornando o Salgado Filho um aeroporto digno de 1º mundo. Apesar da área ser baixa e alagadiça, isso não é impedimento, pois, para a engenharia moderna que constrói aeroportos em ilhas artificiais no meio do mar, um simples levantamento do nível da pista e instalação de sistema de escoamento daquela água não seria nada demais.

    Espero que nós gaúchos não percamos a possibilidade de anexar aquela área ao sítio aeroportuário do salgado filho (acho até que aquela área pertence ao estado), pois seria burrice torcer por um futuro novo aeroporto mais distante da capital. Todo mundo prefere o Santos Dumont ao Galeão, Congonhas à Guarulhos, Pampulha à Confins, seria burrice perder a chance de ampliar o salgado filho (que, depois do santos dumont, deve ser o aeroporto mais próximo do centro de uma capital) para termos que ir para outro município pegar um avião, tendo que fazer uma viagem antes da viagem propriamente dita.

    Abraços, sou fã do site (portoimagem.com), mas ainda não havia me manifestado por aqui (blog), que também achei bem bacana.

    Curtir

  8. O empresário vê onde pode gastar menos $$$, e ganhar mais $$$. Sair de POA pode ampliar a produçâo e o châo de fábrica. Os impostos…. Escoamento da produção ….Terreno de graça…..
    Isto pesa, nos centavos de cada item produzido. Até eu faço o mesmo$$$$

    Curtir

  9. melhor comentário do augusto que eu já li

    Curtir

  10. hahaha, essa do augusto foi boa

    Curtir

  11. O meu sonho é que Porto Alegre perca a Câmara de Vereadores e a Prefeitura. O problema é que nenhuma outra cidade vai querer hospedá-las.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: