Tarso quer convocar Assembléia para aumentar salários de “Categoria Especial”

O novo governo gaúcho quer começar o ano com um pacote de novas despesas, aumentando os salários do seu pessoal mais chegado, avisou o deputado Edson Brum, do PMDB). É para isto que Tarso Genro quer convocar extraordinariamente a Assembléia.

Ao criar uma nova casta de servidores, algo como marajás, uma espécie de primus inter pares entre dirigentes de autarquias e fundações, a Categoria Especial, o governador Tarso Genro parece ter mirado pontualmente para a situação do Sr. Mauro Knijnik, que é o novo presidente da Agência de Desenvolvimento e Promoção de Investimentos, a AGDI, empossado no cargo nesta segunda-feira.

O novo governo procura buscar melhores salários para sua gente mais qualificada, mas seu Partido, o PT, no RS, sempre classificou como ?coisas de marajás? todos esses supersalários. O problema é que tucanos, peemedebistas ou tucanos, se não pagar bem, não dá.  No caso, Knijnik, ex-secretário da Fazenda em governo da ditadura militar, é um consultor reconhecido no Estado. Ele é ex-presidente da Federasul.

Yeda enfrentou graves restrições por parte do PT quando aprovou a Lei 13.345, de 4 de janeiro deste ano, que tratou da remuneração mensal de dirigentes de autarquias e fundações autárquicas, no seu anexo, definiu apenas os salários das Categorias A e B, o maior dos quais não passa de R$ 10 mil.

O governo anterior nem se atreveu a criar uma nova categoria, a Especial, como a que quer criar Tarso, e com salários que vão de R$ 20 mil (diretor) a R$ 24 mil (presidente).

Agora o sr. Tarso Genro ignora os protestos anteriores do seu próprio Partido e vai muito mais longe.

Apesar disto, na proposta que modificará seu próprio projeto-de-lei 274 (Yeda protocolou o projeto, mas a iniciativa foi de Tarso) o novo governo mantém os salários defasados, estabelecidos em janeiro por Yeda para as categorias A e B.

As propostas de extinguir 128 CCs e fixar teto para diretores de estatais  são  apenas  factóides destinado a confundir o eleitorado, passando a impressão de que os novos altos salários serão compensados pelos cortes. A primeira proposta é irrelevante e a segunda é apenas burra. Se convocar extraordinariamente a Assembléia, as propostas de Tarso poderão ser derrotada, porque ele ainda não possui maioria (leia nota a seguir sobre o tamanho da base na Assembléia).

A posse dos novos secretários de Tarso, mudou a composição da Assembléia por 30 dias. Na bancada do PT entram Luiz Fernando Schmidt, os suplentes Julio Quadros e Cecília Hypolito no lugar dos secretários Ivar Pavan, Fabiano Pereira e Stela Farias. No PDT, assumem Elemar Sand e Osmar Severo nas vagas abertas com a saída de Kalil Sehbe e Ciro Simoni. E no PTB,  Carlinhos Vargas substitui Luis Augusto Lara.

CLIQUE AQUI para ler o artigo “Desprezo pela opinião pública”, do Estadão de hoje.

http://www.polibiobraga.com.br/

 

Share



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

3 respostas

  1. Petismo é um crime não só de improbidade administrativa, mas também de lesa-pátria.

    Curtir

  2. Isso sem falar no empréstimo (sabe-se para que) que ele já anunciou que vai pegar.

    Curtir

  3. Imagina o cara ja no primeiro dia, ja comeca endividando o estado para aumentar salarios dos seus kumpanheiros!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Alguem tinha qualquer duvida que isso iria acontecer???????? E’ por isso que ele nao quer que obras nenhuma sejam comecadas. Vai precisar de todo o dinheiro que a yeda deixou em caixa e mais os 2 bi que quer emprestado. Mas votaram no cara, esses sao os espertos. Eta povo BURRO. 4 ANOS QUE SERAO JOGADOS FORA. Que deus proteja o rio grande, de sua propria populacao.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: