Ao contratar um CEO, o Inter faz o Brasil ingressar no mundo global dos negócios do futebol

Inter contrata Aod Cunha para a posição de CEO (Chief Executive Office ou algo como presidente executivo, contratado).

É o primeiro grande clube brasileiro que se atreve a tanto.

Clubes europeus como Manchester United, Barcelona e Bayer, cada um a seu modo, só alcançaram a posição de empreendimentos bilionários depois que profissionalizaram suas administrações.

No Brasil isto será inevitável.

O Internacional resolveu partir na frente, não apenas porque precisa administrar com melhor eficácia o seu empreendimento, mas porque precisa investir algo como R$ 300 milhões até a Copa de 2014.

No momento em que os grandes clubes paulistas, cariocas e mineiros fizerem o mesmo, o Internacional já terá feito o serviço de casa. Nesse momento, como disse Aod Cunha, poucos grandes clubes dominarão o mercado no Brasil. E o peso de São Paulo será avassalador.

Aod Cunha, ex-secretário da Fazenda, consultor empresarial e até do Banco Mundial , foi o escolhido. Ele chegou a vacilar, porque também examinava um convite de Jorge Gerdau para servir ao governo Dilma Roussef.

http://www.polibiobraga.com.br/

Share



Categorias:COPA 2014, Gigante para Sempre (Beira Rio)

Tags:, , ,

2 respostas

  1. Se há uma coisa que pode ser dita é que o inter está aproveitando bem a visibilidade que teve nos últimos 5 anos para fazer investimentos ousados…

    Curtir

  2. Chief Executive Officer*

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: