Porque Porto Alegre ignora sua orla ?

Que a população da capital gaúcha vive de costas para sua orla não é novidade.

As mais concorridas opções de lazer nunca são na orla. Os mais procurados imóveis também não. Hotéis, então, quanto melhor forem, mais longe do Guaiba devem ser: hotel bom bom tem que se situar quilômetros para dentro da cidade.

Mas esta matéria não é para ficar criticando os portoalegrenses. É para tentar descobrir porque isso aconteceu com nossa cultura. Criticar é fácil, mas sempre estive pensando quais as causas desse fonômeno praticamente único no planeta.

Hipóteses:

– Grande Enchente de 41

Levou os governos a construir sistemas de defesa, como diques e o muro que separou uma importante parte da cidade do seu lago. Nos anos 70 o Centro, então ainda um local prestigiado da cidade, se divorciou do Guaiba.

– A existência de inverno

O clima hostil e frio de boa parte do ano não incentivaria empreendimentos de “calor”.  Embora a desculpa do frio não seja, em minha opinião, uma boa desculpa, porque por outro lado, praticamente de outubro a abril tenhamos calor, e calor fortíssimo. Também devemos lembrar que cidades como Santos (SP), Montevideo, Cidade do Cabo, Sidey, Chicago, também tenham frio no inverno, mas suas orlas são valorizadas e bonitas.

Também podemos lembrar que até os anos 60 Porto Alegre tinha vários empreendimentos na orla da zona sul, como paradouros, bares, até hotel. Eram usados como “veraneio”.  Ou seja, havia a sazonalidade do verão, que restingia o uso da orla somente a alguns meses do ano, mas mesmo assim empresários achavam que valia a pena investir.

– Crescimento acelerado da poluição do Guaiba a patir dos anos 70, junto com o surgimento da Free-Way

Tenho mil fotos da família tomando banho em Ipanema no início dos anos 70.  Relatos também não faltam comprovando que até o início daquela década as pessoas ainda tomavam banho em Ipanema.

Juntamente com a poluição que se acelerou naquela década, mais a comoção da poluição da Borregard, e a inauguração da Free-Way em 1973 provocaram uma mudança cultural nas pessoas que passaram a preferir o mar , agora com fácil acesso.  Sendo bem sincero, a cultura da cidade decretou que bom agora é o mar:  Guaiba é coisa de pobre.

– Surgimento do pensamento ecológico; transformação da cidade em Bastião da Esquerda; desfiguração da ecologia para ecologismo ideológico

Primeiro foi o surgimento da ecologia, fenômento em que POA foi precursora nos anos 70.

Houve o caso da Borregard, que lançou fumaça com odor terrível por toda a cidade, e também catapultou a liderança do ecologista (de verdade) José Lutzemberger. Em 1975 houve o caso famoso do universitário que ousou desafiar o autoritarismo e o capital subindo numa árvore para impedir que ela fosse derrubada.

Em 1979 os novos valores já tinham força até para dominar o Plano Diretor que, naquele ano, promoveu a mais radical proibição de altura de prédios vista neste país. A cidade ganhou aparência de uma extensa Marau a partir daí.

Nos anos 80, aconteceram “abraços” ao Guaiba para impedir a construção da avenida Beira-Rio. Também aconteceram abraços e gente se deitando no chão para impedir um plano de urbanização para o Parque Marinha, que iria dotar o parque de infraestura, atrações e lazer.

No fim dos anos 80 até 2004 a cidade foi dominada pelo governo PT, que instiuiu em várias esferas da sociedade, da máquina pública, dos trabalhadores, professores, movimentos ecológicos, nas entidades de bairros, o pensamento de esquerda, o pensamento do contra, o pensamento contra-burguês, trouxe para cá radicais ilustres de todo o planeta, etc.

Além de os setores do contra serem mais anabolizados em Porto Alegre, isso contaminou também os movimentos que eram ecológicos, que hoje demonstram facilmente sua motivação ideológica e a falta de argumentos racionais, além de fecharem os olhos para vários problemas graves da cidade, focando só assuntos onde há a ameaça do lucro.

Em consequência, há vinte anos vemos várias iniciativas de aproveitamento da orla serem combatidas por essas entidades. E também pela população. Sim, sempre que há manifestos e abaixo-assinados dos contra-tudo, a polulação, como a que frequenta parques, gasômetros, com seu chimarrão, assinam esses manifestos, e saem orgulhosos. A mesma população vota (em eleições, algo que tem representatividade, não em consultas populares não obrigatórias, que não tem representatividade nenuma) em massa em partidos que tem histórico de ser contra-tudo.

E você, qual hipótese tem para que Porto Alegre seja uma cidade sem orla? Uma cidade  igual a  Cuiabá, Curitiba, Goiânia…

RicardoH

Share



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , , ,

14 respostas

  1. Eu mudei para a orla há muitos anos e acho que foi a coisa mais certa que fiz na minha vida. Venham pra cá e sejam felizes!

    Curtir

  2. Complementando meu comentário, já dizia Martin Luther King:

    “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”

    Curtir

  3. Concordo plenamente com o comentário da Cassiana Schuhl.
    Devemos criar movimentos em prol das causas pró-Porto Alegre e parar de ficar apenas de conversa fiada nos comentários do blog. Tá certo que o blog possui uma visibilidade considerável, mas grande parte da população está alheia a isso, e é ai que o pessoal do contra se aproveita.

    Se ouve um movimento contra o cais, por que não ouve um movimento a favor do projeto, ou visitas a camara de vereadores e assembléia apoiando a revitalização?

    Movimentos são importantes para a conscientização da população, por que do jeito que está apenas uma das partes está sendo ouvida.

    Curtir

  4. Prq POA foi populada por muuuitas pessoas de fora da cidade, pessoas que nao eram cosmopolitas ou metropolitanas e jamais viveriam no centro da cidade….numca existiu essa cultura metropolitana em porto alegre…ela numca se desenvolveu, as pessoas queriam casas e nao apartamnetos…eu sei porque meus pais foram assim….DEUS NOSLIVRE VIVER NO CENTRO!!!! Meus avos que vieram para porto alegre quando eram jovens, adoravam a cidade….Moravam no centro na Jose ignacio….aqueles que vieram depois dos anos 30-40-50 nao queriam apartamentos prq depois o centro ficou degradado e perigoso….foram embora e acho que isso se repetiu com milhares de pessoas. Mas esse exodo urbano aconteceu aqui nos EUA tambem, degradacao urbana foi violenta e agora estao tentando renovar as areas centrais.

    Curtir

  5. Gilberto, por que a esquerda cresceu tanto em Porto Alegre? Érico Veríssimo sempre disse que Porto Alegre era a capital mais classe média do Brasil. Acontece que depois do “milagre econômico” veio a crise do petróleo. Aí todos entraram em crise também; foram décadas perdidas. Então, a classe média empobrecida se virou totalmente para o discurso fácil da esquerda. A partir daí, até filho de general virou esquerdista. Excelente o teu comentário! Só não esquece que a região metropolitana é toda voltada para a zona norte. Os empreendimentos, então, acontecem todos por lá.

    Curtir

  6. Ricardo, acho que fizeste uma bela análise.

    Todas as hipóteses contribuíram para o abandono do Guaíba.

    Hoje, muitos constroem belíssimas casas no litoral (até melhores do que as tem na capital). Muitos também estão construindo casas na serra gaúcha. Não sei se isso é causa ou consequência ( ou ambos ).

    Parece que as pessoas só estão morando em Porto Alegre pra trabalhar…

    A cidade está degradada. Muito degradada! Os poucos investimentos que fazem não conseguem renovar a cidade. Apenas dão uma tapeada! Essa é a capital dos shoppings centers, é o que mais tem aqui. Falta lazer ( ciclovias, parques BEM cuidados com paisagismo e limpeza, marinas públicas, mirantes nos morros com segurança, um centro da cidade mais limpo, conservado e embelezado com prédios modernos, um Cais do Porto turístico, etc…)

    Curtir

  7. Um fator importante e que não foi citado são os aterros, que afastaram a orla da área urbanizada. Principalmente na região do bairro Praia de Belas. Também o porto da cidade foi um fator. As docas próximas ao Mercado Público foram isoladas pela construção do Trensurb, que foi uma violência ao Centro, junto com o muro.

    Curtir

  8. Mas movimentos reais, sair pra rua.

    Curtir

  9. Deveríamos organizar através do blog movimentos por essa causa!

    Curtir

  10. Acho q isso tudo acontece porque as pessoas que realmente se importam são uma pequena minoria. “Porto Alegre” se acomodou.

    Curtir

  11. Analisando aquela terceira hiopótese (“Crescimento acelerado da poluição do Guaiba a patir dos anos 70, junto com o surgimento da Free-Way”) é bom lembrar que ter orla não serve só pra tomar banho, pra entrar na água. orlas bonitas existem também para serem usufruidas por sua beleza, contendo parques bonitos, calçadões, restaurantes, bares, ramblas, árvoves, bancos, bares e quiosques à noite, marinas, lazer, etc, etc, etc.
    Há vários exemplos de orlas bonitas, de mar ou de lagoas, que não são usadas pra banho, mas são usadas para APRECIAÇÃO, para CONVIVÊNCIA.

    Curtir

  12. Mas resumindo a discussão, nosso problema HOJE são os grupos pseudo ecológicos que não permitem que nada aconteça. Infelizmente tem bastante, e junta tanto gente mal informada quanto gente que quer ter algum ganho político ou midiático com isso.

    Curtir

  13. Gilberto, concordo com teus pontos com excessão do inverno. Temos cidades mais ao sul (vide Montevideo) com uma orla que parece praia.

    Acho que uma questão importante também é o fato do crescimento da cidade ter sido para o norte. Acho que isso aconteceu ao menos em parte devido ao 4o distrito (industrial) ser naquela região, puxando o crescimento para lá. Se ele ficasse mais ao leste, aposto que a cidade cresceria mais ao sul, e em consequência na orla.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: