Porto Alegre deu a largada, em 2010, à maior evolução urbana das últimas três décadas

Porto Alegre nunca teve tantos recursos para investir no setor de turismo. Foto: Jonathan Heckler / PMPA

Em julho deste ano, o blog revelou: no filme que Lula apresentou na África, mostrando ao mundo a próxima sede da Copa do Mundo, não havia sequer uma cena de Porto Alegre. Reconhecida pela qualidade de vida, mas sem o dinheiro de São Paulo, as belezas do Rio, a floresta da Amazônia e o calor que atrai para toda a costa brasileira (menos para a gaúcha), o Rio Grande do Sul acostumou-se a ficar fora dos roteiros de lazer. Não por outra razão, a capital gaúcha é uma das cidades-sedes que mais deve evoluir até o campeonato. O que pode ser comprovado com a declaração que o secretário municipal do Turismo, Luis Fernando Moraes, deu ao De Olho em 2014 em agosto: “antes da [notícia da] Copa, trabalhávamos sozinhos. Agora, a importância do turismo está na boca do povo”.

Jamais, como em 2010, o município teve tanto dinheiro para investir no turismo. Somando valores que o Ministério do Turismo repassou à cidade nos três anteriores, os recursos disponíveis em caixa beiraram R$ 20 milhões, distribuídos em projetos que vão de pesquisas sobre a qualidade dos serviços turísticos à criação de um novo cais para passeios de barco.

Com um prefeito que foi chamado de “o homem da Copa em Porto Alegre” (antes de assumir o cargo de José Fogaça, que deixou a Prefeitura para concorrer ao Governo do Estado, José Fortunatti já tinha assumido o posto de Secretário Extraordinário para a Copa do Mundo de 2014), a cidade ganhou obras de norte a sul, principalmente viárias. Há quem diga que teremos, até 2014, a maior evolução urbana das últimas três décadas. É exatamente o tempo que os moradores esperam pela transformação do porto quase inativo em um centro de turismo e lazer, como existe em Buenos Aires e Barcelona – não por acaso, a assinatura do contrato para a revitalização foi assinado nos últimos dia de dezembro e da gestão Yeda Crusius.

Obras do único túnel de Porto Alegre, exemplo da maior evolução urbana dos últimos 30 anos. Foto: Jonathan Heckler / PMPA

A sensação que se tem é que todos os setores da economia sonham com os ganhos que podem vir antes, durante e depois de 2014. Uma das maiores preocupações locais, admitida até em rodas de amigos, é a qualidade dos serviços na capital. Não há quem não se pergunte, por exemplo, se os taxistas porto-alegrenses conseguirão se comunicar com estrangeiros. Para saber a resposta, esta repórter se disfarçou de turista, foi para o aeroporto Salgado Filho e tentou falar inglês. No balcão de informações da Secretaria Estadual de Turismo, a atendente, pelo menos, entendeu as perguntas. No café, foi necessário apelar para a mímica. E dentro do carro, confirmei o que saberia depois, da cooperativa que reúne os motoristas do local: só dois deles falam o idioma que, daqui a três anos, será fundamental para receber bem.

Com vários problemas para resolver, mas acreditando no sucesso do evento (segundo pesquisa realizada em 25 municípios no meio do ano, apesar de quatro a cada seis entrevistados acharem que o Brasil não está preparado, 61,7% apostam que tudo dará certo), o Rio Grande do Sul viu, na penúltima semana de dezembro, uma cena que contraria a famosa dicotomia gaúcha – quem nasce costuma ser Grêmio ou Inter, Chimango ou Maragato, sem muitas chances de exercer o meio termo. Conforme prometeu ao blog em outubro, antes de ser eleito para dirigir o Estado, Tarso Genro (do PT de Lula) sentou à mesa com Fortunatti (do PDT de Brizola) para discutir a segurança pública em 2014. A partir de primeiro de janeiro, o tema será tratado pessoalmente pelo prefeito e pelo governador, sem intermediários. 

De Olho em 2014 – Dezembro / 2010

Share



Categorias:COPA 2014, TURISMO

Tags:, , ,

8 respostas

  1. Ainda bem que a Copa sera em POA – unica esperanca para melhorar as ruas sujas, predios degradados, mendigos por todos os lados, a extrema violencia (experimente passear apos as 18h na Av. Farrapos), precaria iluminacao publica, enfim, um caos.

    Curtir

  2. Só pode ser propaganda paga pelo governo.

    Curtir

  3. O legal que tem várias obras, mas para o transporte coletivo ó… NADA, só planos e estudos que nunca saem do papel…

    Curtir

  4. Temos de relevar certas manifestações sobre a cidade nesses dias, pois o verão em Porto Alegre, com seu calor aviltante, é uma época deprimente. Tudo parece ficar muito pior em janeiro.

    Curtir

  5. Rogerio esta’ com complexo de vira-lata. Acho que so’ um psicanalista para ajuda’-lo. Com relacao ao post, excelente.

    Curtir

  6. La tinha ruas arborizadas?

    As ruas de Porto Alegre estão mais arborizados do que nunca.

    Curtir

  7. Com essas notícias ufanistas, parece que com a Copa todos problemas de POA se resolverão para o cidadão comum…tomara que fosse, mas quanto: ao lixo acumulado nas ruas ( que não tem sinalizações adequadas..), moradores de rua deixados ao desamparo (e descaso discursivos justificador de que não querem ir aos abrigos, se os 3 a 4 mil fossem para abrigos nem teria vagas…somente tem 300), isso pelo menos é possivel de resolver até Copa de 2014. Tem tempo!!

    Curtir

  8. Porto Alegre já foi uma cidade com boa qualidade de vida. Quem olha de fora pode dizer que a nossa cidade é a capital nacional da Latinha. Por que?
    La tinha uma boa educação (pública e privada).
    La tinha um transporte público eficiente.
    La tinha saneamento público.
    La tinha segurança.
    La tinha ruas arborizadas que se conseguia andar sem que o sol do verão incomodasse.
    La tinha um pessoal educado que não atirava lixo no chão.
    La tinha tudo, agora só existe um povo que não vê quanto está ficando para trás em relação ao resto do país.
    Só ficaremos com o título da capital nacional da Latinha.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: