“Nenhum sistema de drenagem no mundo suporta uma chuva dessa magnitude”, diz diretor do DEP

Arroio Dilúvio subiu cerca de 2,1m e quase transbordou

 

Aumento registrado nesta quinta-feira foi maior que o da última terça - Montagem sobre fotos de Alexandre Ernst

A Capital registrou nesta quinta-feira mais um episódio de chuva de curta duração e forte intensidade que provocou alagamentos e transtornos. Em cerca de 1h20min, choveu 71mm no bairro São Geraldo, 43mm na região próxima da Avenida Ipiranga e 35mm no Jardim Botânico.

Segundo o DEP, foi o equivalente a 21 dias de chuva em pouco mais de uma hora. Ernesto Teixeira, diretor-geral do órgão, definiu a chuva como “diluviana” e garante que ainda que o lixo seja responsável por prejudicar 60% do escoamento, com este volume da água qualquer sistema sofreria danos.

— Mesmo sem o lixo, que é um problema, nenhum sistema de drenagem no mundo suporta uma chuva dessa magnitude — afirma.

Na última terça-feira, situação semelhante ocorreu na cidade, porém, de acordo com o DEP, as pancadas de hoje tiveram consequências ainda maiores. Um acidente no Conduto Álvaro Chaves prejudicou o escoamento de parte da água.

A Avenida Erico Verissimo foi novamente um dos pontos mais críticos de alagamento. Teixeira diz que o quadro na região não é normal.

— A avenida já tinha apresentado problemas na terça-feira, vamos investigar o que está acontendo e pretendemos resolver até o final de janeiro, mas não podemos trabalhar com este tempo.

Conforme o diretor, metade dos pontos de alagamento já estão em obras ou com previsão de melhorias para os próximos dias. Uma delas é a Casa de Bombas Santa Teresinha, que promete acabar com os alagamentos históricos registrados no bairro Santana e região.

A chuva de hoje, mobilizou, de acordo com Teixeira, todas as 25 equipes de plantão do DEP, que estavam nas ruas fazendo a manutenção dos sistemas de escoamento.

Arroios

O Arroio Dilúvio subiu cerca de 2,1m nesta tarde e quase transbordou, de acordo com DEP. O aumento registrado hoje foi maior que o da última terça-feira e os pontos de nível mais alto foram os mesmos: Érico Veríssimo, Azenha e próximo à PUCRS.

— Fora da zona central, tivemos transbordamentos de alguns arroios, como o Arroio da Areia, no bairro Santa Maria Goretti – revela Teixeira.

Guaíba

Segundo o Programa Guaíba Vive e a Defesa Civil, o Guaíba não subiu em função da chuva de hoje. Os órgãos afirmam que ele está em um nível abaixo do seu normal, o que é comum nesta época do ano, e, por isso, dificilmente é afetado por estas precipitações de verão.

ZEROHORA.COM



Categorias:Outros assuntos

13 respostas

  1. Rogério,

    Obrigado pelas respostas! Já tô de seguidor do teu blog, ele é muito bom!

    Curtir

  2. Olavo

    Coleta de água da chuva nas próprias residências é algo empregado em todos os países desenvolvidos. A Prefeitura Municipal de Porto Alegre tem um legislação para isto, mas tem alguns problemas:
    1° – A idéia é captar num reservatório e enviar aos poucos através de um tubo de diâmetro menor para a rede.
    2° – Devido a falta de manutenção e cuidado dos donos dos prédios sujeitos a essa norma, os próprios engenheiros do DEP contrariam a norma e mandam colocar um diâmetro maior do que o calculado, para não entupir, como conseqüência não há uma “laminação da onda de cheia” (engraçado, mas é assim que se fala) saindo a água praticamente na mesma velocidade que entrou.
    3° – Para evitar a criação de mosquitos e outros vetores de moléstias, a norma não se aplica a residências uni-familiares, pois se supões a priori que não haverá manutenção.

    Olavo, em resumo, a idéia funciona, porém para ser aplicada no nosso meio deveria ter um enorme processo de educação, associado a punição de quem não respeitasse as normas. Neste último ponto não creio que o prefeito e os vereadores permitissem a aplicação de multas a grande parte da população (que seria o caso). Além de tudo sairiam os jornalistas escrevendo em nossos jornais:
    A prefeitura está usando o pretexto da fiscalização das caixas de detenção para aumentar o seu caixa.

    Curtir

  3. Rogério Maestri,
    Qual a tua opinião sobre a coleta de água da chuva nos telhados para uso ou simplesmente para liberar aos poucos na rede? Tens algum dado técnico para acrescentar?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: