Imagem inédita da privatização da orla do Guaiba

 Não é novidade que a Capital tem vastas áreas sem acesso à orla, que é privatizada, tem acesso proibido.

Imagens das mansões ou escolinhas de futebol já são conhecidas. Mas hoje achei essa imagem inédita de Orla Probida. Um ângulo que ningém vê ou tem idéia de como é. Conheça a Orla Proibida ocupada por favelas:

E não é num lugar longíncuo, longe da cidade.  É logo ali após o Barra Shopping.

Veja a foto grande, com todos os detalhes, aqui: .http://bit.ly/fECu7K

Essas imagens não são inéditas:

Há pescadores também. Mas quanto às construções, há favelas, sim. Já fiz pesquisa da FEE e andei lá dentro: chega a haver ruelas e becos, e é tudo irregular. Há casas sobre pelafitas, há casas miseráveis… mas também há casas muito boas! Casas com gente com carro novo na garagem… E há até comércios emrgentes, e CONTINUAM A SURGIR NOVAS CONSTRUÇÕES, como essa de três andares, e a prefeitura deixa. Deixa, não faz nada, e deixa aumentar ainda as construções miseráveis e as construções de classe média com dinheiro, tudo livre sobre nossa (nossa?) orla.

Os governos usam a desculpa de que ali é “diferente”, porque trata-se de pescadores. Isso é populismo. De direita e de esquerda. 

E assim, surgem predios novos de três andares…

Quer saber? Nunca alguém falou alguma coisa contra até hoje, então NUNCA vão sair essas casas dali.

Qual será o futuro de nossa orla? Toda ela. Um dia teremos acesso à nossa orla? 

Hoje só temos acesso na agradável Ipanema e no barranco do Gasômetro.

Share



Categorias:ORLA, Outros assuntos, Zona Sul

Tags:, , , , , ,

50 respostas

  1. Srs.

    Considerando que todos têm direitos a expressar suas opiniões vai lá, mas temos que vir a pensar antes de simplesmente elaborar uma interminável discussão e fixa – lá a apenas a um preceito do qual não é correto efetuar afirmações e deduções a respeito de ponto de vista pessoal. Explicando melhor, seria mais correto e propício avaliar todos os direitos e todos os envolvidos na questão imposta, bem como, vila dos pescadores, clubes (Veleiros do Sul, SAVA Clube, Iate Clube Guaíba, Jangadeiros e etc..), residenciais com orla particular como temos no bairro Tristeza, Ipanema, Guarujá e por ai vai.
    A orla é de direito de todos sim, mas antes de rotular, degradar e impor com princípios pessoais os direitos que tem os moradores da Vila em questão deve-se também avaliar os demais envolvidos que bem sabemos são sim os mais beneficiados, os moradores em questão chegaram ao local com direitos impostos pelo governo da época. Gerações foram sendo criadas e sim foram evoluindo como todas devem ser.
    Questões levantadas como, talvez utilização de bens de consumo de Classe Média, bem como, carro e casa, claro as famílias tendem a buscar crescimento econômico.
    Os moradores da Vila dos Pescadores têm sim direitos a habitar o local no qual foi disponibilizado aos seus antepassados como no meu exemplo pelos meus avós há mais 70 anos, deve-se começar a discussão por direitos habitacionais e de uso de todos pelos clubes e condomínios de luxo que existem na orla.

    Curtir

  2. Acho que aqui ninguém coloca em questão a qualidade das pessoas que moram ali. O que eu coloco em questao é o seguinte: se foi um desastre o que aconteceu em 41 em Porto Alegre… o que foi o que aconteceu na Europa em 45? Uma destuição de vidas humanas e bens incomparavelmente maior. Veja o que aconteceu lá depois de 70 anos… O que o poder público fez aqui depois de 70 anos?
    Não é a mesma coisa? Não é… mas isso justifica que depois de 70 anos estejamos ainda com essa situação sem estar resolvida? Vai precisar de 140 anos?

    Curtir

    • Não dá para comparar tragédia com tragédia, pura e simplesmente. Como você deve saber, caro Jorge, uma guerra tem diversas motivações e tem muita grana envolvida. Inclusive, grandes avanços na história da humanidade foram atingidos com a 2.ª guerra mundial, a passar pela medicina, pela indústria automobilística, entre outras coisas. A Europa se recuperou por que era o centro do mundo, para o mundo não valia a pena ver esse continente destruído. Agora, vamos ao caso de Porto Alegre, uma cidade isolada que sofreu com uma tragédia natural. Nos recuperamos rápido, assim como a Europa, mas essa recuperação passou pela reorganização do espaço da cidade, na qual a Vila dos Pescadores faz parte. A Vila faz parte da história, não há como negar e aquele espaço não foi invadido, mas cedido. Não escrevi sobre as pesssoas da comunidade simplesmente para defender nossa permanência, mas para mostrar que na Vila dos Pescadores existem pessoas dispostas a lutar pelo futuro e preservar o espaço em que vivemos.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: