LIXO NAS RUAS – Falhas na coleta persistem na Capital

Após atrasos no recolhimento, DMLU promete restabelecer serviços

O recolhimento de lixo voltou a ser problema no fim de semana em Porto Alegre, depois de dois incidentes. Superados os percalços, o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) garante que o serviço é operado normalmente esta semana.

O atraso para recomeçar o trabalho de coleta de lixo na sexta-feira, causado por uma paralisação de funcionários, se somou ao acidente envolvendo um caminhão, na Lomba do Pinheiro, no sábado. Por causa da manifestação, motivada por insatisfação dos garis ante descontos nos salários, as escalas acabaram atrasando um turno. O recolhimento da sexta-feira foi terminar somente às 4h de sábado.

– Na manhã de sexta saíram somente nove caminhões. A paralisação foi ao meio-dia, e atrasou tudo. O que era para a manhã passou para a tarde, o que era para a tarde ficou para a noite, e o que era para a noite passou para a madrugada – relatou o supervisor de Operações do DMLU, Adelino Lopes Neto.

As reclamações dos garis diziam respeito a descontos de Imposto de Renda no pagamento do 13° salário e à obrigatoriedade de usar uniforme com calças compridas sob o forte calor que tem sido registrado em Porto Alegre. Os trabalhadores solicitam permissão para que possam trajar bermudas. A assessoria de imprensa da empresa contratada pelo DMLU para fazer a coleta, a Sustentare, não faz objeção ao uso de bermudas, mas lembra que o contrato com a prefeitura determina as calças como traje dos garis. O protesto, considerado pela empresa um problema de comunicação, foi contornado quando os trabalhadores aceitaram a explicação sobre os descontos. No entanto, o serviço acabou prejudicado. Focos de lixo permaneceram em bairros como Intercap e Jardim do Salso, além de grandes avenidas como 24 de Outubro e Cristóvão Colombo, apontou o DMLU. O acidente com o caminhão, que bateu em um muro, sem deixar feridos, também prejudicou as tarefas, que foram executadas ao longo do sábado e em regime de plantão no domingo, quando foram concluídas.

A Sustentare e o DMLU garantem que não há mais focos de lixo com recolhimento atrasado esta semana. Para evitar que o transtorno recomece, a empresa planeja utilizar GPS para monitorar o trabalho dos caminhões. O objetivo é fiscalizar mudanças de rota, por exemplo. A assessoria de imprensa da Sustentare estipula que o sistema poderá estar funcionando daqui a dois meses.

 

Os problemas
11 DE JANEIRO
As idas e vindas do recolhimento do lixo
– Zero Hora publica reportagem dando conta da suposta precariedade de estruturas da empresa Sustentare, responsável pelo serviço.
– A prefeitura alegava aumento da quantidade de resíduos e condições climáticas adversas para justificar falhas no recolhimento de lixo, mas a reportagem de ZH apontou falta de pessoal e dificuldades no conserto dos caminhões.
21 DE JANEIRO
– Na sexta-feira passada, o serviço teve problemas na Capital, com atrasos em diversos bairros (reportagem acima).
– Ao longo de quatro horas, garis insatisfeitos com as condições de trabalho oferecidas pela empresa cruzaram os braços e impediram a saída de caminhões para as ruas.

Zero Hora

Share



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

1 resposta

  1. DMLU vamos reciclar 100 % o lixo asssim temos mais emprego……

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: