Obra de alargamento de trecho da Avenida Ipiranga em frente à PUCRS está 60% concluída

Previsão é de término para antes do início das aulas, em 1º de março

Pistas serão ampliadas para garantir fluidez do trânsito nos horários de pico. Foto: Ronaldo Bernardi

Prevista para terminar até o fim do mês, a obra de alargamento da Avenida Ipiranga em frente à Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) está com 60% do andamento concluído, segundo o engenheiro da Divisão de Obras da PUCRS, Flávio Rodrigues.

As pistas em frente à universidade, junto ao Arroio Dilúvio, foram alargadas, numa extensão de 900 metros no sentido centro-bairro, com o objetivo de garantir a fluidez do trânsito nos horários de pico.

Antes com 2,5 metros, as pistas agora terão até 3 metros de largura, sendo que a faixa destinada aos ônibus será um pouco mais larga. Um refúgio com 160 metros de extensão entre o pórtico da Instituição e o estacionamento dos funcionários será construído para facilitar o embarque e desembarque de carros. No local, serão mantidas as paradas de ônibus e táxis.

— Todas as pistas foram ampliadas para melhorar a circulação no local. No total, a avenida tinha 11 metros de largura e agora terá 12,5 metros — afirmou Rodrigues.

No sentido oposto (bairro-centro), outro refúgio será feito, na esquina da Cristiano Fischer com a Ipiranga, para a conversão de veículos à direita.

O motorista José Izidoro Martins, 76 anos, acha que o alargamento da Avenida Ipiranga vai facilitar o fluxo:

— É um lugar que tem muitos estacionamentos e a obra vai melhorar o trânsito.

Já a taxista Maria Angélica Alves Viana, 47 anos, que frequentemente utiliza a via, acredita que a obra não vai solucionar o problema:

— Pode até resolver no local do estacionamento da PUC, mas há muito tráfego no local. Para desafogar o trânsito é preciso resolver o trânsito na Rua Dr. Salvador França com Avenida Cel. Aparício Borges — opina Maria Angélica.

O bloqueio do trecho entre a Nelson Brochado e a Cristiano Fischer teve início em 7 de dezembro. Desde então, a Secretaria Municipal de Obras e Viação Porto Alegre (SMOV) vem fiscalizando o andamento das obras. De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), responsável pela fiscalização no local, a obra transcorre sem transtornos para o trânsito.

Zero Hora

Share



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: