Em Montevidéu, Tarso conhece projeto para construção de ferrovia entre o Uruguai e o RS

Em um encontro com cinco embaixadores uruguaios, o governador Tarso Genro soube, em primeira mão, da existência de um projeto — com recurso de US$ 50 milhões — aprovado pelo Fundo de Convergência Estrutural para a construção de uma ferrovia ligando o Uruguai ao Rio Grande do Sul.

A repórter Ivani Schütz, que acompanha a primeira viagem internacional do governador relatou à Rádio Gaúcha que a comitiva de Tarso reuniu-se com cinco embaixadores uruguaios para atualizar-se sobre o trabalho feito pela Comissão Permanente do Mercosul para promover a integração entre os países.

Depois de almoçar com seis ministros, Tarso deve, à tarde, encontrar o presidente uruguaio José Mujica.

Zero Hora



Categorias:Economia Estadual

14 respostas

  1. olá Ander,
    sobre meu apelido, fala-se jake (masc.) (i.e. jay-q ou jeyk e não (jáke de jaqueline)

    Eu tentei discutir isso com alguns ‘groups’ e fui maltratado acusado de discriminar meu país de origem, o Brasil por falar em camisetas coloridas e espaços urbanos comuns coloridos de forma geral (um exemplo extremo e bem ilustrativo seria comparar uma rodoviária brasileira de uma americana, você verá os contrastes)
    Gostei do que falou que tudo influi like cultura, luminosidade, economia dentre outros fatores.

    Eu não sei fazer reconhecimento de tantos lugares como você faz, mas sei na hora quando uma foto é tirada no nosso país ou não, isso eu sempre sei. Nunca parei pra pensar nesses detalhes que citaste (luz, clima etc) e acho que isso é o fundamental para a distinção.

    Vou visitar o flickr de porto alegre.

    Curtir

  2. Jânio (ou Jake, nunca sei)
    na real é assim com qualquer país. É que vc está mais acostumado com a cultura americana.
    Mas eu reconheço paisagens inglesas, islandesas, russas, sul-aficanas, australianas…
    Tudo influi, a cultura, a economia, o clima, a luz… tudo.
    Assim como eu reconheço fotos de Poa ou Rio mesmo sem mostrar uma paisagem característica.
    Aliás, o grupo “Porto Alegre” do flickr, que eu modero, estava numa discussão semelhante, já que estamos fazendo a faxina de fotos que nada tem a ver com a cidade.

    Curtir

  3. Ricardo, respeitando seu pensamento, que eu concordo em partes, os EUA não tem cidade pobre de visual.. eu já vi uma coleção de fotos de NY nas décadas de 70,80 e 90 e em bairros como harlem, brooklin etc e em alguns pontos a coisa era feia, mas ainda assim.. não era tão feia sabe.. dava pra ver que era os EUA.. qdo vc vê uma foto de alguma realidade dos EUA(sem referência alguma de que seja os EUA), você sabe parece que subconscientemente, aí é os EUA.

    Curtir

  4. Vai dar uma olhada nos bairros e cidades pobres dos EUA pra ver que limpo que e’… rsrs A “limpeza” visual e’ diretamente ligada ‘a riqueza da regiao, seja aqui no Brasil ou no exterior. O Brasil tem muito mais lugares feios pelo obvio fato de que e’, no geral, bem mais pobre.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: