Nova ponte do Guaíba pode ser construída em menor prazo

Secretário de Infraestrutura e Logística afirma que é possível fazer a obra sem alteração de tarifa

Beto afirma que é possível fazer a obra sem alteração de tarifas. Foto: Rodimar Oliveira

Brasília – O secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, propôs em audiência nesta quinta-feira, com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, em Brasília, uma alternativa para solucionar o impasse da construção de uma nova ponte sobre o Guaíba. Para ele, o melhor caminho para que a obra seja concluída antes da Copa do Mundo de 2014, seria a partir de uma negociação com a Concepa para que a empresa assuma a construção.

O custo da nova ponte está calculado em R$ 700 milhões, mas Beto garante que é possível fazer essa obra sem que haja qualquer alteração ou majoração de tarifa. “Não terá nenhuma alteração de praça e o prazo a compensar será sob novos parâmetros que o governo federal tem usado de remuneração”, explicou Beto.

Na conversa com o ministro, ficou acertado que será solicitado um parecer da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para que a proposta seja levada pelo ministro Nascimento à presidente Dilma Rousseff. “A decisão está nas mãos da presidente Dilma, mas nós gaúchos não podemos ficar olhando o problema sem tomar uma iniciativa”, disse o secretário.

Beto lembra que a Concepa tem uma linha de montagem pronta e por isso teria condições de construir a nova ponte num prazo de 700 dias. “A idéia é reduzir o número de pilares. A empresa trabalha com pontes pré-moldadas, o que agiliza o processo de construção”, destacou ele. Em 2006, Beto já havia apresentado uma proposta de ponte alternativa para o Guaíba em reunião com empresários na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs).

Com relação ao custo da obra, o secretário afirma que é preciso incluir no cálculo o custo social e econômico do projeto. “Pouca gente calcula quanto custa para a sociedade e para a economia de nosso Estado ter uma ponte pronta dois anos antes do que está sendo previsto”, avaliou ele, dizendo que quem paga o preço da demora são os gaúchos. “Precisamos tomar uma decisão até março sobre como construir a nova para que dê tempo de concluir antes de 2014”, completou.

O ministro dos Transportes demonstrou simpatia pela tese do Governo e afirmou que assim que tiver em mãos o parecer da ANTT tratará de levar a proposta à presidente Dilma. A idéia é construir uma ponte paralela à atual com 3 quilômetros, vão fixo de 40 metros no centro e interligando as BRs 116 e 290 com a Rua Dona Teodora.

Fonte: Movimento Ponte do Guaíba  e Secretaria de Infraestrutura e Logística do RS

Share



Categorias:Nova ponte Guaíba

Tags:,

10 respostas

  1. Vamos esclarecer para os desenformados alguns detalhes.
    1º O secretário Beto Abulquerque esta procurando destaque por uma coisa que já esta praticamente decedido, se ele realmente tivesse intenção de fazer alguma coisa pela Construção da Nova Ponte já poderia ter feito Veja: ” Foi Secretário de transporte no Governo Olivio, de 1998 a 2002, assumiu a Secretaria dos Transportes do RS. Em 2002 retornou à Câmara e assumiu a titularidade na Comissão de Viação e Transportes (CVT). Em setembro de 2003, assumiu a presidência da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, integrada por >>210 deputados federais<<". Outro deputado das obras prontas Dep. José Spertto. Disse ele: " Eu tirei o Posto do ICMS da entrada de Poa. Mentira quem tirou foi o Mendes Ribeiro Filho é so procurem nas Materias da Ana Amelia quando ela era Reporter. Ele garante que tratou do Viaduto da entrada de Guaíba, outra mentira que tratou foi o Saudoso Prefeito Nelson no Tempo da Ford, é só pegar a data das primeiras trataivas sobre o viaduto verão que o Sperotto nem Deputado era. Agora esta Dizendo que é o responsavél pela construção da 2ª ponte do Guaiba, mentira maior ainda o titular político da Ponte é o Sérgio Zambiasi e agora a Senadora Ana Amelia Lemos. Gente vamos parar com tanta epocresia e vão trabalhar mais e não pegar o trabalho dos outros.

    Curtir

  2. PT/PMDB/PSDB, com esta cambaga, o Rio Grande não anda, E os engarrafamentos da BR-116, do Salgado Filho e da ponte do Guaíba. Quero dizer que, o Rio Grande esta engarrafado.

    Curtir

  3. Se a Ford (que o PT expurgou) tivesse vindo pra Guaíba, a segunda ponte já estaria construída há muitos anos.

    Curtir

  4. Na Zero Hora de semana passada há uma declaração do Tarso dizendo que agora a ponte é inviável, que só depois de 10 anos poderia ser construída (como se ele fosse ficar eternamente no governo). E agora me surpreendo com o seu secretário negociando a ponte. Afinal, quem é manda?

    Curtir

  5. Não era a Yeda, foi a concessionária que fez o projeto e apresentou para o governo federal. Na época foi recusado por ser PPP, o que era inaceitável pelo governo federal.
    Essa estória é velha conhecida. Um projeto barato é barrado enquanto outro bem mais caro é aceito sem problemas.

    Curtir

  6. Há uma coisa que se procura passar para nós todos como se fossemos idiotas, se vem e vai com uma dada história, que é a seguinte:

    – Como o governo não tem dinheiro para construir coisa e tal se passa para a iniciativa privada e ela constrói e nós não gastamos os nossos impostos.

    Isto é gozação, como disse um economista norte-americano, não existe sanduíche de graça.

    Quando se entrega algo para a iniciativa privada os donos das empresas não são mecenas que farão as obras sem nenhuma gratificação, ninguém está aí para trabalhar de graça.

    Agora quando se quer fazer um negócio o mais barato possível não se entrega no primeiro preço sem consultar outros, há uma coisa que se chama concorrência pública, e fazer uma ponte sobre o Guaíba há no Brasil no mínimo umas vinte empresas com capacidade técnica para tanto. O que o nosso secretario da mobilidade está fazendo é aproveitando a copa para entregar a obra para uma empresa sem concorrência nem nada, e quem paga isto no fim, o usuário que ficará mais trinta anos pagando um pedágio com um preço que o construtor da ponte vai acertar com o mesmo secretário.

    Pra mim o negócio está cheirando mal pra cachorro, e se eu não gostava de negócios que cheiravam mal no tempo do governo Ieda porque vou mudar de nariz.

    Curtir

  7. E outra coisa: se na matéria estivesse escrito que o custo era de 250 milhões, estariam reclamando que o projeto era barato, fuleiro, medíocre, e bla-bla-blá…

    Curtir

  8. O que a Yeda tem a ver com essa ponte? A Yeda NUNCA quis construir essa ponte… a tal ponte que ela falava era mais pra zona sul da cidade… Esquece a Yeda! É passado!

    Curtir

  9. Gozado….Essa ponte nao estava orcada em R$ 250 milhoes a pouco mais de 2 anos atras quando nao deixaram a Yeda fazer!?!?

    “…Nos planos da concessionária, seria construída uma ponte, orçada em R$ 250 milhões, com cerca de 2,3 quilômetros, da interseção da Rua Dona Teodora com o quilômetro 95 da BR-290, no bairro Navegantes, na Capital (a 1,6 quilômetro do acesso à ponte atual), até o Saco da Alemoa. Seriam duas pistas com duas faixas em cada sentido e com 40 metros de altura a partir do nível da água – altura que o vão móvel atinge hoje quando içado. Como contrapartida, a Concepa negociaria com o governo federal o aumento do prazo de concessão para mais 20 anos….”
    http://kiminda.wordpress.com/2008/12/29/nova-ponte-do-guaiba-antes-da-copa/
    29/12/08

    Agora ja ta em 700 milhoes……hummm!

    Curtir

  10. A última vez que o Beto Albuquerque negociou com concessionárias foi no governo Olívio, a tarifa aumentou e passaram para a cobrança bidirecional, evitando que se escapasse do pedágio.

    Agora provavelmente o Estado vai ficar com a fatura e a Concepa com o lucro.

    Que papo furado é este dizer que a Concepa tem uma linha de montagem pronta para a ponte, em engenharia civil não existe isto, cada obra é uma obra.

    Tão nos passando a conversa, parece que o financiamento das próximas campanhas do Beto e do Tarso não vão ter muito problemas.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: