Comunidade de volta à Praça Júlio de Castilhos

Uma praça mudada, e para melhor. Um ano e dois meses depois de o ZH Moinhos retratar os problemas motivados pela presença excessiva de moradores de rua na Praça Júlio de Castilhos, a reportagem do caderno retornou à área verde para conferir como está a situação no local.

Há 14 meses, a principal reclamação dos moradores das proximidades era de que a comunidade estava apartada da praça. Na manhã da sexta-feira passada, a equipe do Moinhos encontrou uma praça organizada e limpa, com ajardinamento bem feito, chafariz e fonte funcionando, bancos pintados e bem cuidados, bom número de lixeiras e banheiro asseado. Em vez de moradores de rua, crianças brincavam e frequentadores curtiam a sombra das árvores. O local é adotado pelo Hospital Moinhos de Vento.

– Relato de Ivan Vieira, morador das imediações da praça

“Deu uma boa melhorada a questão dos moradores de rua na Praça Júlio de Castilhos. Não sei se foi uma ação efetiva ou se é apenas o verão, quando eles normalmente somem.

O problema que tinha à noite, com arruaça e até sexo na praça, não tem mais. Vamos esperar para ver se, quando terminar o verão, eles retornam da praia ou ficam por lá. ”

> Programa de parcerias do poder público com a iniciativa privada, o Adote uma Praça permite a qualquer entidade civil assumir a responsabilidade de urbanizar e manter áreas verdes públicas. Informações: 3289-7597.

Zero Hora Moinhos

 

 

 



Categorias:Outros assuntos

25 respostas

  1. Everton, é AnDERvaz, de Anderson.
    Quanto a tua citação, em relação aos políticos, eu faço a minha parte. Em relação à mendigada, não vou andar com um pinico ou saquinho de lixo recolhendo seus perdigotos.

    Curtir

  2. Valorizando a cultura portuguesa de Eça de Queiroz para AndreVaz: ” O políticos e as fraldas devem serem mudadas frequentemente pela mesma razão”.
    Uns cagam nas praças, outros….

    Curtir

  3. Eles são tão inteligentes como o marcelo.

    O problema são os vícios, que os tornam tão fracassados.

    Curtir

  4. O direito de ser um fracassado tem, Marcelo. Mas não tem o direito de sujar as ruas, assaltar, transar na rua, cagar nos caminhos dos parques… Morador de rua precisa ser encaminhado a um abrigo público. Se há poucas vagas, taí um foco que nossos governantes precisam ter.

    Curtir

  5. Eu não nego o direito de serem fracassados e perdedores, desde que não venham querer ameaçar o meu direito à propriedade privada nem perturbar o sossego público.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: