Polêmica sobre térmicas de Candiota surpreende população

Prefeito acredita que o MPF concederá prazo solicitado pela CGTEE para ajustar parâmetros

Com a seca em Candiota, população sentiu o efeito das cinzas da usina termelétrica no ar da cidade no verão Foto: Cristiano Lameira, Especial, 05/01/2011, BD

Orgulho do município de Candiota, as usinas termelétricas estão sob suspeita após o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para que as mesmas parem de funcionar por estarem provocando prejuízos ambientais. A polêmica surpreendeu a população da cidade com pouco mais de 8 mil habitantes que convive há décadas com as geradoras de energia.

— Essa história pegou a todos de surpresa, penso que isso foi um blefe, uma má interpretação. Acredito que logo tudo será esclarecido — aposta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do município, Jaime Fernandes.

Preocupado com o impacto negativo que pode gerar a paralisação, o prefeito Luiz Carlos Folador (PT) acredita que o MPF terá bom senso de avaliar melhor a situação, dando o prazo solicitado pela CGTEE, responsável pelas usinas, para colocar as fases A e B (mais antigas e preocupantes) dentro dos parâmetros corretos.

— O MPF precisa entender o que esse investimento representa para a região, porque são poucas as alternativas e o carvão mineral é a melhor delas — defende.

Outros moradores relatam que o sentimento da população é dúbio. Para Pablo de Andrades Lima, ao mesmo tempo em que temem as demissões e o afastamento de futuros investimentos, os moradores sentem-se satisfeitos, uma vez que, no último mês têm convivido com as cinzas decorrentes das usinas.

ZERO HORA

Share



Categorias:Energia, Meio Ambiente

Tags:,

1 resposta

  1. Bom dia , vendo sobrte essa infarmação como sempre nunca da em nada , E sobre o alto indice de pessoas com cancer na cidade ,Será que é por causa do gás toxico da usina gostaria de saber?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: