Situação financeira do RS é crítica, segundo o governador do RS

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, revelou que a situação financeira do Rio Grande do Sul “é crítica”. Depois de quarenta dias no governo, Tarso Genro afirma que “os balanços dos últimos quatro anos, disponíveis na Secretaria da Fazenda, mostram claramente que desde 2006 o Rio Grande do Sul arrecadou menos do que previa o orçamento e esta é uma situação que se repete nos 10 últimos anos”.

Tarso diz também que a situação financeira do Estado não é uma surpresa. “Nós sabíamos que a situação era muito ruim e que isto dava continuação a uma situação dramática que se arrasta há 20 anos”. O governador explica também as críticas à governadora Yeda Crusius que dizia, ao deixar o governo, que o déficit “era zero”. Tarso disse que “nós sabíamos que isto não era verdadeiro, que era apenas um trabalho de marketing. Herdamos uma situação de caixa ruim, herdamos muitas dívidas e um potencial de arrecadação que não indica qualquer melhora.

O governador revela também que a tática para contornar este problema será a de agilizar o controle e a fiscalização, imprimir um ritmo acelerado no sistema de cobrança e buscar melhoria no caixa, criando condições para o crescimento econômico da região. Tarso Genro afirma que “nós queremos resolver o problema crescendo. E não deixando de gastar. Vamos gastar com equilíbrio,  mas vamos fazer todos os movimentos para o Rio Grande do Sul ter uma taxa de crescimento superior, inclusive, a do Brasil”.

O governador Tarso Genro está em Brasília na busca de empréstimos junto ao Banco Mundial.

Jorge Seadi – Sul 21

Com informações do Terra

 

Share



Categorias:Economia Estadual

Tags:,

32 respostas

  1. Não se pode fazer críticas ao PT e aos petistas, não sabiam?

    Foi o chefe supremo, deus todo poderoso, para quem o MENSALÃO nunca existiu, Lula quem disse. Se falou isso resta a nós, simples mortais, obedecer e agradecer palavras tão sábias.

    Curtir

  2. Lenilton, aí seria outro tipos de companheiros!!!Esse papinho continuo de baixarias contra o PT, é ridiculo pq é baseada em adjetivações sem conteúdo critico, muitas vezes e deveria haver uma repreensaõ do moderador.
    Mas parece que pelo que vi [é usual e não dá nada!!) .
    Por outro lado, tudo indica que existem algumas viúvas que perderam alguma boquinha da Yeda, do FÔ (I) ou do Rigotto pq alguns estão tão raivosas, despeitados, etc….Será dois pesos e duas medidas??!!!

    Curtir

  3. A única solução para o governo do RS seria uma reforma do pacto federativo, distribuindo melhor com estados e municípios os recursos concetrados na União, principalmente os decorrentes das contribuições sociais. Mas essa reforma, se um dia acontecer, deverá partir dos deputados, pois quem está no governo federal NUNCA iria querer perder poder.

    Outra opção seria o perdão pela União das dívidas federalizadas dos estados (isso representaria quase 2 bilhões a mais de recursos para o RS investir nos serviços públicos e na infraestrutura do estado) e em contrapartida a união poderia continuar a centralizar a maior parte do impostos arrecadados, como acontece hoje.

    Fora isso o governo estadual (aliás todos os governos) deveria(m) continuar insistindo em programas de qualidade, bem como exigindo mais produtividade dos servidores públicos através da premiações e meritocracia. Mas parece que essa nunca foi a filosofia dos governo petistas, que acreditam em governos cada vez maiores e não em governos cada vez melhores.

    Curtir

  4. Simples a solução: privatiza tudo. Fica mais eficiente e menos dispendioso…. Mas aí não teremos mais lugares para os copanhêros…

    Curtir

  5. É incrível como este cara tenta desfazer o governo anterior. Não vou dizer que a Yeda foi só acertos, mas realmente fez diferente num estado acostumado com a mesmice.

    Não votei nem nunca irei votar na corja do PT, mas tudo o que a Dilma fez até agora ganhou minha simpatia (cortes de gastos, ser linha-dura com ministros, acompanhar as catástrofes de perto para melhor gerenciar), mas o que o Farso fez e falou até agora foi só bobagem!

    Curtir

  6. n, disse q o aval político do governo federal n é tão importante

    tanto q a yeda aprovou o empréstimo no senado

    Curtir

  7. Não entendi. Então o empréstimo não saiu?

    Curtir

  8. mas este daí depende mais da cara de pau do q do governo federal… tanto é q a yeda aprovou um empréstimo para renegociar dívidas de 1.2 bilhões na comissão do senado

    e pelo q se ve nos primeiros 30 dias isto n falta ao governo gaucho

    (tarso parece estar seguindo o gov lula, enquanto o país inteiro elogia os 30 dias do governo dilma)

    Curtir

  9. Aval político.

    Curtir

  10. n se trata apenas do aval, um estado q descumpre a LRF como era o RS até o inicio de 2008 n pode contrarir empréstimos internacionais ou mesmo com instituições públicas nacionais)

    pra o senado autorizar o empréstimo o estado tem de cumprir tds as 6 metas da lei, incluindo a relação dívida/receita q o RS só conseguiu cumprir no final de 2008

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: