Em Rio Grande, Tarso anuncia apoio a investimentos no polo naval

Governador e vice visitaram a P-55 e ouviram demandas da Engevix, empresa que irá construir oito novos cascos para exploração de petróleo

Segundo Tarso, uma das demandas da empresa é agilizar a liberação de licenças ambientais para a obra. O governador disse que vai buscar meios legais para acelerar o processo - Guilherme Mazui / Agência RBS

O governador do Estado, Tarso Genro, e o vice, Beto Grill, estiveram reunidos com representantes da empresa Engevix Engenharia, em Rio Grande, no Sul. A Engevix é a responsável pela construção de oito novos cascos para exploração de petróleo no polo naval de Rio Grande, obra estimada em R$ 3,5 bilhões. Representantes da Petrobrás também acompanharam a comitiva.

O grupo desembarcou em Rio Grande por volta das 10h e visitou a plataforma P-55. Os primeiros carregamentos de aço para a construção das novas estruturas já chegaram ao estaleiro. A expectativa do governo é pelo anúncio do início efetivo das obras, previsto para março.

Logo depois, o governador concedeu entrevista coletiva e anunciou medidas de apoio aos investidores. Segundo Tarso, uma das demandas da empresa é agilizar a liberação de licenças ambientais para a obra. O governador disse que vai buscar meios legais para acelerar o processo. Uma das alternativas estudadas seria a contratação emergencial de funcionários para a Secretaria do Meio Ambiente.

Começa a construção de oito cascos para exploração do pré-sal em Rio Grande

Engevix e Petrobras confirmaram o início da parte física da obra, que prevê a geração de 5,8 mil empregos

A chegada de chapas de aço ao Estaleiro Rio Grande, na semana passada, foi o marco do início da construção de oito cascos de plataformas de petróleo para exploração no pré-sal. De acordo com Gerson Almada, presidente da Engevix, empresa que executará a obra, 20 mil toneadas de chapas, vindas da Coréia do Sul, já estão em Rio Grande, no sul do Estado.

A obra, com custo estimado em US$ 3,46 bilhões, deve gerar de 800 a mil empregos diretos, ainda em 2011. O pico começará em 2012, com 5,8 mil vagas diretas. A estimativa é que cada emprego direto gere mais três indiretos.

O começo da parte física do Estaleiro Rio Grande 2, área de apoio ao Estaleiro Rio Grande, com 350 mil metros quadrados, orçada em R$ 380 milhões, depende de licença de instalação. A Engevix aguarda a liberação do governo do Estado até março. Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, o governador Tarso Genro anunciou que vai buscar meios legais para acelerar o processo.

ZERO HORA

Share



Categorias:Polo Naval de Rio Grande

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: