RS terá Projeto Oasis International

ATENÇÃO

Esta notícia nada mais é do que uma brincadeira inspirada em outra brincadeira criada por Rogério Mendelski e outros (inclusive Luis Fernando Verissimo) em meados dos anos 80, se nao me engano. Na ocasiao, Rogério e sua trupe conseguiram enganar uma boa parcela da populaçao portoalegrense com a história ficticia do grupo empresarial Ivanhoe e da familia Balaustre, fundadora do mesmo. Para maiores detalhes sobre a brincadeira, leiam a série de livros “Anedotário da Rua da Praia” – me esqueço o nome do autor. Nao me lembro em qual das tres ediçoes se encontra o capítulo “Ivanhoé”, mas vale a pena ler os tres livros. Um abraço. Rodrigo. Leitor do Blog.

 ————————————————————————–

Retiramos do ar, pois este Blog não tem interesse em difundir brincadeiras.

No entanto, deixamos a fonte de onde foi retirada a “matéria”.

http://www.previdi.com.br/arquivo/fevereiro2.htm

Também manteremos os comentários, por respeito ao leitor.



Categorias:Outros assuntos

Tags:

46 respostas

  1. “Se agora me der na telha, eu pego meu carro e estou na praia.
    Se eu decidir ir pro aeroporto, vou pegar fila, atraso de voo, perder voo, fazer check-in, contar com o horário que a empresa aérea julgar melhor pra mim, aí já vira a novela que o cara que quer se esconder na praia não quer. Entendeu a diferença?
    Um vôo leva seus 45 minutos/ 1 hora pra Floripa. Mas tem toda hora? Não atrasa? Não tem os problemas de sempre ligados ao aeroporto e vôos?”

    Não vai não. Você tem que trabalhar. Você não escolhe de relance isso. Você tem negócios e compromissos profissionais. Você não tem essa prerrogativa toda. Um profissional liberal bem sucedido tem AGENDAS a cumprir e responsabilidades com sua empresa. Ele PLANEJA seus dias e planeja ainda mais as suas férias e descansos. Ele não tem muitas brechas para escapadinhas a beira-mar. Quando ele finalmente consegue um tempinho…uns diazinhos…ele tem tudo planejado com a devida anteced~encia…e aí ele compra as passagens de avião pela internet e reserva hotel ou vai para sua casa de praia…em floripa, litoral catarinense, punta, nordeste, etc.. Esse é o perfil do cara de grana. Ele mal tem tempo para ele mesmo…e quando arruma, já deixa tudo planejado para que não se ausente mais do que deve da empresa. Quem faz grana não é dono do seu próprio tempo. O único rico que não tem responsabilidsdes é o filhinho de papai…o playboizinho PAItrocinado.

    Curtir

  2. O motivo que levam as pessoas comprarem casas em condomínios caros na nossa costa são simples, demonstração de riqueza e oportunidade de negócios. Explico.

    Todo o EMERGENTE que se preze tem que demonstrar que ele é um emergente, afinal das contas como ele não tinha nada alguns anos atrás ninguém atribuiu ao mesmo riqueza.

    A segunda parte, a oportunidade de negócios é uma conseqüência da primeira premissa, a demonstração de riqueza. O EMERGENTE passa todo o fim de semana fazendo churrasco de avestruz (picanha está fora de moda), bebendo Whisky importando (caro, de preferência) e convivendo com outros emergentes, na convivência resultam negócios e oportunidades.

    Bem este quadro tem uma dada sobre-vida, uns cinco a dez anos, por que?

    Primeiro, como a concentração de oportunidades é grande, vários não tão emergentes compram casas para se aproximar de negócios, como com o tempo, vários emergentes entram em falência (ou quase falência), juntando com os que entraram para fazer negócios, a maior parte dos condôminos que tem realmente dinheiro começam a migrar para outras regiões, ficando este condomínio cada vez mais próximo do que eles são. Longe da praia, sem o mesmo cuidado que tinha antes (lembrar que a primeira coisa que emergentes falidos fazem é não pagar o condomínio, muito menos o da praia) e na costa Gaúcha.

    Quem é rico mesmo, compra por 99 anos o direito de usar uma ilha oceânica e vai até lá de helicóptero, isto que é ser rico!

    Curtir

  3. “É verdade. Os aviões ainda não foram inventados.
    Aposto que esses caras também têm casa no Lami….mais pertinho de casa ainda. Sabe como é….um chalé a beira-lago também tem o seu charme.”.

    Se agora me der na telha, eu pego meu carro e estou na praia.
    Se eu decidir ir pro aeroporto, vou pegar fila, atraso de voo, perder voo, fazer check-in, contar com o horário que a empresa aérea julgar melhor pra mim, aí já vira a novela que o cara que quer se esconder na praia não quer. Entendeu a diferença?
    Um vôo leva seus 45 minutos/ 1 hora pra Floripa. Mas tem toda hora? Não atrasa? Não tem os problemas de sempre ligados ao aeroporto e vôos?

    Um chalé a beira de um lago tem seu charme. Mas não é mar. Não é praia. Não tem o clima de veraneio, de férias para os filhos. Pergunta pra um guri de seus 10, 12 anos se ele prefere ir pra casa em Xangri-lá, reencontrar todos os amigos de verão, ir pro mar, brincar em dunas ou se ele prefere ir pra um chalé na beira de um lago em São Francisco de Paula.
    Eu prefiro o chalé, pra ir a dois, pra ficar uns dias.
    Mas pra ir com toda a minha família, prefiro nosso litoral. Que em janeiro estava perfeito. Onde se encontram todos que aqui em Poa mora um em cada lado, um em cada cidade da região metropolitana.

    Bom, mas não quero te convencer de nada. Opinião cada um tem a sua.
    Eu, tô com a grande maioria por motivos bem óbvios.

    Curtir

  4. “Entao se a cidade nao oferece nada, que os moradores se unam e construam aquilo que os agrade.”

    Nós estamos falando de condomínios, não de cooperativas Phil.

    Curtir

  5. “O cara da mansão de 4 milhões também tem casa em Floripa, em Gramado, apê em Miami e Paris. Mas também quer uma em Xangri-lá, mais próximo da família.”

    É verdade. Os aviões ainda não foram inventados.
    Aposto que esses caras também têm casa no Lami….mais pertinho de casa ainda. Sabe como é….um chalé a beira-lago também tem o seu charme.

    Curtir

  6. “Se eu tivesse uma casa numa dessas “maravilhas” iria todos os fins de semana para lá. Trabalharia a semana toda em Porto Alegre, e na sexta feira me mandaria com toda a família, amigos, etc. Passar o fim de semana num clima mais agradável, pescar, passear nas lagoas, etc. e voltar na segunda pela manhã, 1 hora e meia de viagem, é simplesmente o máximo!”

    E se eu tivesse grana pra torrar num casão daqueles…pegaria um avião e em no máximo 30 minutos estaria pescando e me banhando em Floripa. Sem enfrentar engarrafamentos na Freeway. Não seria muito mais racional? Ou quem sabe em Punta.
    Não vão conseguir me explicar nem em 100 mil anos…o motivo de ter casa de luxo em condomínio (ou não) no litoral gaúcho. Ficar trancado na Freeway, andar de BMW a 60 km/h na estrada do mar…pra depois de 2 horas e meia (ou mais)…finalmente chegar na mansão é VERY estranho.
    Mas…gente chique é assim mesmo. A gente não compreende os gostos. rs

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: