Prefeitura da Capital decide fechar o minozoo da Redenção

É só uma questão de tempo. Criado em 1925, sofrendo alterações no decorrer dos anos, e passando, em 1984, a receber o nome de uma conhecida defensora dos animais de Porto Alegre, Palmira Gobbi Diaso, o minizoo do Parque da Redenção está com os seus dias contados.

Macaco no Minizoo - Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

A superintendência estadual do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) somente aguarda o envio de documentação formal por parte da prefeitura de Porto Alegre anunciando sua intenção de não manter e nem de realizar melhorias nas instalações, para autorizar o fechamento e remoção dos animais do local. A decisão foi tomada ontem, durante reunião do superintendente do órgão João Pessoa Moreira Junior com a primeira-dama do município, Regina Becker, e técnicos.

Segundo a primeira-dama, as instalações não apresentam mais condições de abrigar os seus 85 moradores, como micos-prego, jabutis, araras e papagaios. Conforme Regina, em recente vistoria do Ibama o local foi reprovado. “Essa situação nos preocupa muito. Precisamos urgentemente realocar esses animais para áreas mais apropriadas, para que tenham uma vida melhor e não fiquem tão expostos como, infelizmente, acontece hoje.”

Minizoo da Redenção - Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

Mas o problema não se resume às instalações do local. “Outros fatores que nos levam a tomar essa atitude são, por exemplo, a vulnerabilidade dos bichos à ação de vândalos, a exposição à poluição, o intenso fluxos de veículos na região e até as grandes obras que estão sendo realizadas próximas àquele local. É importante frisar que estamos lidando com vidas e nosso compromisso é garantir que sejam preservadas”, observa.

Segundo a veterinária responsável pelo minizoo, Simone Gutkoski, as péssimas condições em que vivem os animais podem também ser comprovadas pelos efeitos provocados em algumas espécies. “O caso dos macacos é emblemático. A maioria apresenta alterações de humor e comportamento”, argumenta, lembrando que recentemente morreram três micos-prego e outros quatro estão doentes.

Conforme ficou acertado na reunião, a documentação necessária deverá ser enviada para o Ibama ainda nesta semana. Caberá ao instituto elaborar os procedimentos e a logística necessários para o remanejamento dos animais, bem como apresentar os criatórios conservacionistas habilitados a abrigar os bichos. Ao mesmo tempo, a prefeitura ficará responsável pela logística para a retirada dos animais e pela alimentação pelo período de um ano. Também ficou acertado que a área do minizoo irá abrigar um memorial sobre a história do lugar, com fotos e informações sobre espécies da fauna silvestre.

Jornal do Comércio

Share

Anúncios


Categorias:Parques da Cidade

Tags:, ,

15 respostas

  1. Pena que não pensam em fazer um novo em algum local mais adequado. Para população mais carente deve ser complicado ter que sair da cidade para visitar um.

    Curtir

  2. Na boa? demoro pra tirar o bichinhos lá, zoo no meio da redenção? no maconhodromo? Quem quiser ver os bichinhos de perto que pegue o trem e vá a Sapucaia!

    Curtir

  3. Até porque a passagem de trem custa apenas 1,70. “População mais carente” gasta muito mais por semana em cachaça, qual o problema de pegar o trem até sapucaia?

    Curtir

  4. Uma pena, tenho uma relação afetiva com o minizoo. Mas é uma decisão inteligente, fechá-lo. O entorno do zoo mudou muito desde que foi construído. Há muita poluição sonora. Os bichos devem estar estressados.

    Curtir

  5. qualquer zoológico não é lógico, que fechem todos.

    Curtir

  6. Zoológicos são como presídios. Que fechem todos!
    “Prender” para preservar não faz sentido nenhum. Temos que preservar os hábitats naturais e os milhares de espécies animais que neles habitam, e não engaiolar meia dúzia sob o manto da “proteção”.

    Curtir

  7. Há muito tempo atrás vi uma defesa dos zoológicos que vai contra a muitas coisas que acima são ditas.

    As pessoas conhecem os animais nos jardins zoológicos, infelizmente não se tem dinheiro para viajar por todos os continentes para se conhecer a sua fauna, e este conhecimento que leva o ser humano a criar laços afetivos com os animais e pensar na sua preservação.

    No ritmo que vão as coisas só se conheceremos os animais em programas de televisão, e o vínculo que criamos com os animais cada dia será mais distante.

    Ampliar as instalações, permitir que estes animais tenham condições dignas é caro, fica mais fácil enviar para outros locais que ficam distantes dos nossos olhos e talvez seja mais barato colocar uma tela de 200″ com imagens de animais selvagens, é a velha tática, quando se está com febre, se coloca o termômetro fora.

    Curtir

  8. Pois eu conheco o zoologico maravilhoso do Central Park ao lado da 5a Avenida em NYC e ninguem vem com essa “balela” de poluicao….
    http://www.centralparkzoo.com/animals-and-exhibits/exhibits.aspx

    Curtir

    • Ótimo depoimento Gerson. É sempre bom termos o outro lado. Temos que avaliar melhor estas ações e ver se realmente não são pra agradar alguns grupos específicos ….

      Curtir

  9. Desculpa mas não tem cabimento comparar o zoo de NY com o de POA…Não precisa ir tão longe…zoo de Buenos Aires,tudo bem, não aberto ,mas fica no meio da cidade…mas nós estamos falando de Brasil>>RS>>POA….

    Curtir

  10. Também acho que demorou para fecharem. Com certeza os animais serão transferidos para um local mais adequado,onde serão mais felizes. Depois, Sapucaia é aqui do lado!!

    Curtir

  11. Sou contra zoológicos. Animais devem ficar em seus ambientes naturais e não exibidos como objetos para nós humanos. Que se trate de preservar a biodiversidade e que se evite capturar animais sóa para entretenimento urbano. Sou favorável a reservas ecológicas e áreas de preservação, onde o ingresso ajuda a cobrir os custos para manutenção e proteção ambiental do projeto. Do mesmo modo, sou contra a utilização de animais em circos.

    Mas..pegando o mote do fechamento do minizoo…daria pra aproveitar as jaulas e enfiar os vagabas que perambulam pela redenção lá dentro.

    Curtir

    • Um zoológico bem feito é uma das alternativas de garantir a sobrevivência das espécies. Pois todo mundo sabe que não da pra confiar nas reservas biológicas, que são invadidas pelos caçadores inescrupulosos que colocam em risco as espécies. Portanto, ao meu ver, é muito bonito dizer que é contra os zoos, mas na prática, eles são muito importantes neste sentido. Só que existem zoos e zoos. Eles tem que ser redesenhados para garantir um minimo de condições para os animais. Há muitos zoos pelo mundo que podem ser mantidos como estão. Outros, tem que ser repensados. O que tem que se fazer na verdade é abrir a mão e investir grana pra torna-los melhores. E sem essa de fechar os zoos. Fechar zoológico é incompetência de suas administrações!

      Curtir

  12. “Pois todo mundo sabe que não da pra confiar nas reservas biológicas, que são invadidas pelos caçadores inescrupulosos que colocam em risco as espécies. Portanto, ao meu ver, é muito bonito dizer que é contra os zoos, mas na prática, eles são muito importantes neste sentido.”

    Qualquer empreendimento mal administrado é ruim, INCLUSIVE um zoológico.
    Zoológicos não preservam espécies. Eles apenas EXIBEM exemplares. Pandas não sobreviveram por causa de zoológicos…mas por causa de programas estatais e privados em áreas de preservação ambiental dentro do seu próprio habitat.

    Curtir

  13. Tb sou contra fechamento de Zoo…mas vamos combinar que o que tem na redenção são meia duzias de gaiolas com bichos presos.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: