Acompanhamento da coleta de lixo domiciliar pode ser feito em tempo real na Capital

No site da prefeitura, há uma página onde aparecem os caminhões - Reprodução / Reprodução

Novo sistema de monitoramento por GPS foi lançado nesta quarta-feira

Os moradores de Porto Alegre já podem acompanhar o andamento da coleta do seu lixo domiciliar. O novo sistema de monitoramento por GPS (Sistema de Posicionamento Global), apresentado nesta quarta-feira pelo prefeito José Fortunati, mostra a localização dos caminhões que realizam o recolhimento do lixo em tempo real.

O serviço está disponível para a população no site da prefeitura e não teve custo para o município, já que a modernização está prevista no contrato com a empresa que coleta o lixo. Fortunati falou das características da coleta domiciliar na cidade, que abrange mais de dez mil ruas e avenidas e atinge cerca de 1,1 mil toneladas por dia.

— Este tipo de coleta tem dias e horários que precisam ser respeitados pela população, que agora vai poder acompanhar pela Internet onde o caminhão está. Isso dá mais transparência ao processo e mais qualidade ao serviço — declarou o prefeito.

Como funciona:

— No site da prefeitura, há uma página onde aparece o conjunto de caminhões.

— Mapa ou satélite: os caminhões ficam sobre o desenho de um mapa da cidade ou sobre a imagem de Porto Alegre fornecida pelo Google.

— Dia, hora e rua: o cidadão precisa clicar sobre o caminhão que está trabalhando mais perto da sua casa. Ao clicar na figura do caminhão, aparacerão as informações de dia, hora e em qual rua está aquele caminhão.

Zero Hora



Categorias:Outros assuntos

16 respostas

  1. “Quanto à distância dos contêineres: Caxias implementou assim e funciona. Quero acreditar que o portoalegrense não é tão mais selvagem assim a ponto de isso ser um problema. Vai ter gente morador largando o lixo fora do contêiner? Que seja multado.”

    Estive em Caxias no final de semana último.
    Em primeiro lugar: Caxias é umas 250 vezes mais limpa do que Poa…por natureza. Não são os contênieres que fizeram isso. Visitem Caxias e percebam que perto de Poa, Caxias parece Oslo. E que não venham me dizer que é uma comparação estapafúrdia, visto que Caxias tem mais de 400 mil habitantes, portanto não é uma cidade pequena.
    Em segundo lugar: Os contêneries de lixo orgânico da Codeca funcionam bem porque são bem fechados e o lixo orgânico não interessa aos catadores de lixo. Em compensação, os contêineres de lixo seletivo vivem abertos, transbordando e vi vários sendo revirados por catadores. Alguns já estavam com as tampas danificadas. Se lá o lance tá assim, imagine como ficarão cá!!!! Não adianta vocês virem aqui me contar “estórias”. Eu fui lá ontem e estou trazendo a VERDADE.
    Que todoa aqui fiquem sabendo; Caxias, que já é uma cidade com seus problemas de pobreza há tempos, está ANOS-LUZ à frente de Poa no quesito civilidade e qualidade de vida. A comparação é cruel para nós porto-alegrenses. Chega ser uma piada. Porto Alegre se transformou num grande lixão a ceu aberto. Ontem andei de ônibus desede à entrada da cidade com o favelão da vila Humaitá (belo cartão de boas-vindas hein!)pelo centro de Poa até o bairro Santa Tereza, e vinha observando nosso centro….uma grande porcaria suja, prédios destruídos, pichados de cima a baixo, gente imunda atirada pelas ruas, vagabundeando pelos parques, entulhos e lixo espalhados por todos os lugares. E a paisagem não mudou até chegar em casa. Uma vergonha. Algo que leva qualquer pessoa que tem amor próprio ao total desalento com a nossa cidade. Mas dizem que sou um pessimista não é mesmo? Me chamam de exigente demais, radical, e coisas parecidas. Deve ser mesmo. Acho que eu enxergo coisas demais. Então ficamos assim. Poa é um baita lugar pra se viver…tem um povo muito politizado, culto e educado, tem shows de rock e pop, shoppings, tem uma baita qualidade de vida… ah!, e tem um belo por-do-sol. rsrs

    Curtir

  2. > Portanto, o planejamento urbano deve contemplar essa
    > demanda SOCIAL. Demanda de massa. Não é a demanda
    > do Augusto.

    Ótimo! Concordamos então que, sendo os carros o meio de locomoção de uma minoria, devem ser preteridos em benefício dos meios de transporte demandados por e capazes de atender a massa.


    Quanto à distância dos contêineres: Caxias implementou assim e funciona. Quero acreditar que o portoalegrense não é tão mais selvagem assim a ponto de isso ser um problema. Vai ter gente morador largando o lixo fora do contêiner? Que seja multado.

    Curtir

  3. “O espaço ocupado por um contêiner é o mesmo que é ocupado por um mísero carro estacionado. Perder uma vaga de estacionamento por quadra no centro não é um impacto tão horroroso assim.”

    Vocês ainda vão em dar razão quando as pessoas continuarem a depositar o lixo no passeio…devido à distância dos contêineres. Porto Alegre vai ter, além do estorvo dos contêineres, lixo pelas calçadas…isso sem contar que o cidadão estará pagando por mais uma conta (a da terceirização do serviço de conteiner).
    Outra coisa que ainda estou aguardando pra ver, são os catadores de lixo e mendigos escalando e violando os contêineres…pra retirar garrafas PET, latas de alumínio e outras coisas.
    Mas tudo bem…eu sei que sou pessimista por natureza. Talvez nada disso aconteça…e ingressemos na era da urbanidade. ha ha ha

    Curtir

  4. “Se é tão importante assim a circulação dos teus adorados veículos no centro, por que não removemos aquelas inutilidades que são o Largo Glênio Peres, a Praça da Alfândega, as paradas de ônibus, as calçadas e substituímos tudo isso por moderníssimas pistas de alta velocidade para que circulem os melhores bólidos do mundo?”

    Em primeiro lugar, os bólidos não são meus. Meu argumento não é direcionado a mim mesmo, aos meus desejos e sonhos. Estou apenas argumentando a conjuntura, o contexto…que nos mostra o número crescente de veículos. Portanto, o planejamento urbano deve contemplar essa demanda SOCIAL. Demanda de massa. Não é a demanda do Augusto.
    Quanto à remoção dos largos e praças….informo-te que a PMPA no projeto Viva o Centro, já está projetando estacionamentos subterrâneos no centro…justamente para ampliar as vagas para veículos.

    Você está apenas capitulando quando, debochadamente, sugere a retirada das paradas de ônibus e todos os demais mobiliários urbanos do centro em prol dos carros. Argumente. Não seja tão irônico de modo intempestivo.

    Curtir

  5. Augusto,

    Se é tão importante assim a circulação dos teus adorados veículos no centro, por que não removemos aquelas inutilidades que são o Largo Glênio Peres, a Praça da Alfândega, as paradas de ônibus, as calçadas e substituímos tudo isso por moderníssimas pistas de alta velocidade para que circulem os melhores bólidos do mundo?

    O espaço ocupado por um contâiner é o mesmo que é ocupado por um mísero carro estacionado. Perder uma vaga de estacionamento por quadra no centro não é um impacto tão horroroso assim. É óbvio que não faria sentido instalar um na Av. Mauá, que é uma via rápida, mas pode-se usar todas aquelas ruas perpendiculares. Não que os horrendos prédios de estacionamento com vista para o rio gerem muito lixo, mas enfim.

    Curtir

  6. Sobre os contêineres: será implantado em caráter experimental em alguns bairros centrais, como Cidade Baixa e Menino Deus, e pelo oq ouvi a distancia maxima entre conteineres será mesmo de 100m.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: