Polêmica: Empregos verdes ou desempregos verdes?

Um leitor nos encaminha este artigo:

Empregos verdes ou desempregos verdes?

Se os senhores colocarem na Internet as palavras “Green Jobs” virão dezenas ou centenas de referências sobre estes empregos, mostrando como a “ecologia” fornece condições de combater o desemprego, porém, se vocês agregarem as duas palavras “Green Jobs cost” aparecerão relatórios, reportagens de jornais famosos, blogs e outras páginas, com uma característica, quase todos eles mostrando que os “Green Jobs” estão criando desemprego em quase todo o mundo.

O coeficiente calculado é em torno de 2,2 a 2,9 empregos perdidos na economia não subsidiada para cada dólar investido.

A Espanha está com um processo de crítica à geração eólica ou fotovoltaica, a Holanda simplesmente declarou uma moratória de energias renováveis e recomeçou uma usina nuclear, ou seja o mundo todo está se dando conta disto.

Agora o Brasil, festejamos a implantação de geradores eólicos, geradores estes que estão vindo abaixo do preço de produção, pois como as encomendas estão sendo suspensas eles estão desovando seus produtos no terceiro mundo.

Vejam há previsão de se gastar algo do em torno dos 4,1 bilhões de reais para parques eólicos que geram uma energia variável ao longo do dia e dependente da existência de outras fontes de reserva. Isto se chama empregos verdes, porém vamos analisar estes empregos.

Um parque eólico é composto de geradores eólicos (todos importados) fixos numa torre metálica, os empregos que se gerarão nesta construção dos parques eólicos serão nos países que produzem estes geradores, na colocação de uma torre metálica e na construção de uma base de concreto.

Se por outro lado estes 4,1bilhões fossem utilizados para construção do metro de Porto Alegre, com EXATAMENTE os mesmos 4,1bilhões de reais (segundo cálculos de 2008) poderia ser construído 37,4 km de metro. A quantidade de empregos gerados nestes 37,4 km sem calcular com detalhes deve ser no mínimo 10 VEZES SUPERIOR AOS VENTILADORES METIDO A BESTA IMPORTADOS.

Que poderiam dizer nossos amigos ecopatas, os geradores eólicos evitarão a produção de CO2.

O que eu poderia dizer para estes senhores.

O metro teria 220.000 usuários dia (que deixariam de andar de carro ou de ônibus, em torno de oito mil viagens dia a menos no centro de Porto Alegre).

A redução do impacto ambiental no centro da cidade reduziria 3.000 toneladas de dióxido de carbono por ano.

O número de acidentes do trânsito reduziria em aproximadamente 14.000 por ano com menos 30 mortes.

Empregaríamos engenheiros, técnicos de nível médio e operários levando o nivel de desmprego na cidade de Porto Alegre em valores ínfimos (diminuição
da violência).

Isto sim que é um emprego verde, não as porcarias que nos procuram vender que não resistem a um bom estudo econômico.

Rogério Maestri – Porto Alegre



Categorias:Energia, Meio Ambiente

Tags:,

11 respostas

  1. Hummm faz sentido, ponto interessante.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: