Restrição a caminhões causa polêmica na Câmara da Capital

Projeto de lei impede veículos de grande porte de circular nos horários de pico

Vanderley Capellari, diretor presidente da EPTC, Mário Fraga, Gilberto da Costa Rodrigues, representante da Setcergs, e André Carus, em sessão da Câmara Crédito: Lívia Stumpf / CMPA / CP

A restrição da circulação de caminhões pelas vias de Porto Alegre durante os horários de pico foi tema de uma audiência pública na noite desta quinta-feira, na Câmara de Vereadores da Capital. A proposta do vereador André Carús (PMDB), que proíbe o tráfego dos veículos pesados entre 8h e 9h30min e 17h30min e 19h, foi o foco dos debates.

O texto vale para as vias de até três faixas, o que engloba quase todas as avenidas da cidade. O vereador acredita que a medida pode evitar os congestionamentos, problemas que ocorrem principalmente na Zona Norte da cidade. Conforme Carús, foi a Associação dos Moradores do Bairro Lindóia que sugeriu o projeto.

O Sindicato das Empresas Transportadoras de Cargas do RS (Setcergs) demonstra preocupação quanto aos prejuízos para a logística das empresas na entrega das mercadorias. Segundo a entidade, se o trânsito for restrito para os caminhões, os veículos terão de percorrer vias que não possuem estrutura para suportá-los. A entidade sugere que seja feito um estudo para comprovar que a aplicação do projeto vai beneficiar a sociedade diminuindo os congestionamentos.

Carús enfatizou que seu texto não culpa apenas os caminhões pela retenção em horários de pico, mas salientou que deseja contribuir para a busca de alternativas que minimizem “o trânsito caótico na cidade”.  Ele citou os exemplos de São Paulo, Diadema e Curitiba, que já adotaram a limitação de veículos pesados nas regiões centrais com sucesso. Apesar de a audiência ter ocorrido nesta noite, o projeto já está na ordem do dia, aguardando a votação da casa.

Correio do Povo 17/03/2011 22:25



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

6 respostas

  1. “Mas ajuda em outras areas como a terceira perimetral.”

    O assunto aqui não é caminhões no centro?

    Curtir

  2. ^^

    Mas ajuda em outras areas como a terceira perimetral.

    Ja na Bento e na Assis Brasil, ir de pela pista de carro é mais rapido mesmo… idem na Farrapos.

    Curtir

  3. “Libera lotação e taxi com passageiro para trafegarem no corredor de ônibus, assim como é em Sampa.”

    Amigão; o foco aqui é o CENTRO da cidade. No centro não há corredores de ônibus.

    Curtir

  4. Toda a grande cidade do mundo há restrições ao movimento de caminhões durante determinadas horas ou em alguns casos indefinitivamente.

    Dizer que isto dá problemas de logística é porque a maioria dos empresários de “logistica” são empresários de transportadoras, não conseguem estabelecer centros de distribuição que com a racionalização provavelmente os custos diminuiriam. Hoje em dia para levar uma caixa de pregos no centro, vai um enorme caminhão até o local e entrega a caixa de pregos, se houvesse um esquema de logística iria um moto-boy e entregaria a caixa.

    Os nossos amigos empresários tem que usar a inteligência e contratar ENGENHEIROS especializados em logística para organizar tudo, mas no fundo eles querem é continuar com o esquema que funcionava bem em 1960.

    Curtir

  5. Honestamente não creio que seja tão custoso eles evitarem os horários de pico. Mas é complicado, são Paulo fez toda uma estrutura viária em volta da cidade para facilitar isso.

    Curtir

  6. Libera lotação e taxi com passageiro para trafegarem no corredor de ônibus, assim como é em Sampa.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: