METRÔ NOS TRILHOS – O projeto da Capital

Ao credenciar o projeto do metrô de Porto Alegre junto ao Ministério das Cidades ontem, a prefeitura definiu traçado e contrapartidas para viabilizar a construção de quase 15 quilômetros de trilhos subterrâneos ligando o Centro Histórico à Zona Norte. A expectativa é de que a presidente Dilma Rousseff anuncie em junho a obra, que começaria no ano que vem, com início das operações comerciais em 2017.

Depois de cumprido o último rito da fase prévia do projeto do metrô de Porto Alegre, os olhos dos gaúchos se voltam para Brasília.

Sonhada há 21 anos, a construção de trilhos subterrâneos como alternativa para desafogar o trânsito na superfície deverá ser anunciada em 12 de junho pela presidente Dilma Rousseff como uma das obras que receberão recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Na tarde de ontem, seis dias antes do prazo final, a proposta foi credenciada junto ao Ministério das Cidades via internet. O prefeito José Fortunati reuniu, no Salão Nobre do Paço Municipal, autoridades de diversas esferas para demonstrar unidade política em favor do projeto.

– O metrô unifica todos nós – afirmou Fortunati, ladeado pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Marco Maia, da Assembleia, Adão Villaverde, e da Câmara de Vereadores, Sofia Cavedon, e do secretário estadual do Planejamento, João Motta, representando o governador Tarso Genro.

Para não extrapolar o teto de R$ 2,4 bilhões imposto pelo governo federal, o prefeito José Fortunati optou por retirar da primeira fase o trecho que liga a Borges de Medeiros ao bairro Azenha. Com isso, foi alongado o traçado na Avenida Assis Brasil, para contemplar uma área de garagem e manutenção dos trens. O trecho excluído poderá ser executado em uma segunda fase, a partir do fim da década.

– O traçado definido é o mais adequado porque é o corredor mais denso que a cidade tem. A extensão até a Fiergs beneficia também Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí. E isso conta para que o projeto seja contemplado. Se ficasse restrito a Porto Alegre, poderia ficar de fora do PAC – avaliou o engenheiro civil João Hermes Junqueira, professor de Trânsito e Transportes da Unisinos.

Obras podem ter início em meses

A primeira fase terá 14,88 quilômetros de extensão, com 13 estações. O trajeto deve ser subterrâneo, sob corredores de ônibus, mas há possibilidade de o trecho entre as estações Triângulo e Fiergs ser elevado, nos moldes da Trensurb em São Leopoldo.

O projeto tem custo total estimado de R$ 2,4 bilhões, dos quais R$ 1,5 bilhão sairiam do Orçamento Geral da União. O governo do Estado ofereceu isenção de ICMS para a execução das obras na ordem de R$ 243 milhões, exigindo em contrapartida a contratação de mão de obra da Região Metropolitana dentro do possível, preferência por fornecedores gaúchos na compra de insumos e participação nos licenciamentos ambientais.

A prefeitura entrará com isenção de ISSQN, estimado em R$ 22 milhões, e contrapartida de R$ 300 milhões, diluída em 15 anos. O montante a ser financiado pelo setor privado é de R$ 323 milhões. Se confirmado o recurso, o projeto básico deverá ser concluído em oito meses. As obras poderiam começar ao longo do ano que vem, com início das operações em 2017.

O consórcio que vencer a licitação executará a obra em período de cerca de cinco anos e receberá concessão para operar o sistema durante 35 anos. Será criada uma empresa pública para administrar o metrô.

Para baixar o pdf, em tamanho maior, clique aqui.

Zero Hora



Categorias:Metro Linha 2

Tags:

12 respostas

  1. Olhem o vídeo. Entrevista do Fortunati. Nesta semana disseram que o metrô começaria a ser construído no final de 2011. Nessa entrevista ele disse que talvez no final de 2012….hehehe…já sei onde isso vai parar.

    http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=175042&channel=49

    Curtir

  2. “Acabei de achar no site da Hype Studio um projeto muito interessante para a estação Fiergs:”

    Obaaa! Mais uma visão da cidade que não existe. Poa poderá exportar grandes designers. Temos o know-how.

    Curtir

  3. Acabei de achar no site da Hype Studio um projeto muito interessante para a estação Fiergs: http://www.hypestudio.com.br Nao consegui colocar aqui, mas tem lá em projetos. Foram eles que fizeram o video para a apresentação do metro, haverá alguma relação?

    Curtir

  4. Não entendi porque as linhas do metrô e trensurb não vão se cruzar? Também não entendi porque um trecho as linhas são paralelas e bem próximas?

    Curtir

  5. ZH, 29/03, página 3:

    “Bola de Cristal
    Uma espécie rara de minhoca será descoberta durante as escavações do metrô de Porto Alegre. Diante da possibilidade de danos ambientais irreparáveis, a obra será paralisada por vários meses.”

    Muito bom! É realmente o que sempre acontece em Poa. Só faltou escrever que ambientalistas irão “abraçar” as escavações.

    Curtir

  6. Sinceramente.

    Vejam a rapidez com que o Fortunati tem conseguido as promessas (pelo menos estas) para o metrô de POA, se o BUN… do Fogaça não tivesse ficado naquela eterna indecisão que caracteriza o seu comportamento já estaríamos com a obra em andamento.

    Não gosto do Fortunati, entretanto no momento ele está agindo de forma impecável, se ele seguir no rumo que começou, talvez se transforme num grande prefeito para Porto Alegre.

    Curtir

  7. gente. quero indicar um site para quem quiser conhecer Porto Alegre. site com eventos, restaurantes e mapas. muito completo.
    http://www.visiteportoalegre.com vale o clique.

    Curtir

  8. O milagre se chama PAC da mobilidade que vem aí, mas ninguém sabe com dinheiro de onde, nem como se dará o financiamento. Provavelmente esses recursos não virão a fundo perdido (do orçamento federal), mas via empréstimo do BNDES com juros subsídiados ou “equalizados”, por isso a necessidade de uma PPP (alguma empresa da iniciativa privada com agilidade e disposta a correr o risco de fazer obras públicas com dinheiro emprestado pelo governo a ser pago em décadas), assim como deverá acontecer com o prometido trem-bala.

    Curtir

  9. Que reviravolta hein! Quem diria? Passamos de um categórico, sonoro e explícito NÃO para o projeto do metrô…a algo diametralmente oposto em questão de 3 meses…e isso tudo com a contenção de gastos do PAC e do orçamento. uau!
    Deve ter havido algum milagre nesse ínterim. Parece a bíblica multiplicação dos pães. Tem dinheiro brotando nas árvores e caindo do ceu, pelo visto.

    Curtir

  10. Eu penso que ao invés da estação Bourbon, seria mais lógico haver uma estação junto à 3° perimetral (estação Dom Pedro II), e outra na confluência da Av. Assis Brasil com a Av. Brasiliano de Moraes (estação IAPI). Assim teriam melhores integrações com linhas de ônibus que cortam a Assis brasil nesses dois pontos.

    Curtir

  11. Eu penso que ao invés da estação Bourbon, seia mais lógico haver uma estação junto à 3° perimetral (estação Dom Pedro II), e outra na confluência da Av. Assis Brasil com a Av. Brasiliano de Moraes (estação IAPI). Assim teriam melhores integrações com linhas de ônibus que cortam a Assis brasil nesses dois pontos.

    Curtir

  12. Concordo com a linha 2 indo até a FIERGS, para que no futuro, possa ir até Cachoerinha e Gravatai, MASSSSS, é desnecessário criar uma linha paralela a uma já existente, será menos de 1 Km de um trilho ao outro. São 4 Km de obras que atrapalharão muito o centro e Farrapos. Essa obra pode partir do Aereporto e continuar pela Assis Brasil, como o Projeto atual. E em plena COPA começar essa gigantesca obra, pra quem ja espero mais de 20 anos, pode esperar mais 2 anos.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: