ÁREA RESIDENCIAL – Obra no Eucaliptos mudará trânsito

Prefeitura de Porto Alegre aprovou Estudo de Viabilidade Urbanística

A área do antigo Estádio dos Eucaliptos, na Capital, dará lugar a torres residenciais, ala de comércio e serviços e vagas de estacionamento a partir do ano que vem, resultando em mudanças no trânsito. A construtora Melnick Even, que arrematou a área do Internacional em agosto passado, conseguiu a aprovação do Estudo de Viabilidade Urbanística do projeto junto à prefeitura.

Com a aprovação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano Ambiental, presidido pelo secretário do Planejamento Municipal, Márcio Bins Ely, o projeto executivo será agora apresentado pela construtora. A expectativa do diretor comercial da Melnick Even, Juliano Melnick, é obter autorização para o lançamento do empreendimento no segundo semestre, o que permitiria iniciar as obras nos primeiros meses de 2012.

No total, a área tem 23 mil metros quadrados. O projeto prevê a construção de sete prédios de 33 metros de altura (11 andares cada), totalizando 308 apartamentos de alto padrão. Serão 595 vagas de estacionamento, o equivalente a dois ou três boxes por apartamento.

A área de comércio e serviços do empreendimento terá apenas 200 metros quadrados. Por obrigação legal, 20% do total da área serão transformados em praça aberta à comunidade. A área verde ocupará uma faixa ao longo de todo o lado da Rua Silveiro, considerado o mais movimentado. Ainda não há prazo para a demolição de arquibancadas do antigo estádio.

Antes da compra pela Melnick Even, o limite de altura da quadra foi aumentado de 18 metros para 33 metros a pedido do Inter, com o objetivo de tornar a área mais atrativa no leilão que obteria recursos para a reforma do Estádio Beira-Rio. O valor da aquisição do terreno é mantido em sigilo por uma cláusula de confidencialidade, mas teria sido superior a R$ 25 milhões – o preço inicial do negócio era de R$ 20 milhões.

Agora, o investimento na construção dos prédios deverá ficar entre R$ 100 milhões e R$ 150 milhões. A expectativa é concluir a primeira fase após dois anos e meio de obras. A segunda, um ano depois desse prazo.

Para reduzir o impacto do empreendimento na região, o estudo indicou mudanças no trânsito da região, aprovadas pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Vias do entorno como Silveiro, Otávio Dutra, Dona Sofia e Dona Augusta sofrerão alterações de sentido, bancadas pela construtora (veja abaixo).

Zero Hora 



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

13 respostas

  1. Um absurdo este arranha-céu, completamente fora do plano diretor e da caraterística do bairro.
    Nem as mudanças no trânsito serão o suficiente para acomodar esta anomalia.
    Estão usando a copa do mundo para que alguns poucos, como esta construtora, encham os bolsos.
    Este tipo de obra beneficia apenas a constutora, e acaba com a qualidade de vida do bairro.

    Curtir

  2. Caro Augustus

    Cada cidade tem o Coliseu que merece, e o imperador!

    Só uma retificação, o Coliseu tem quase 2100 anos, me referi ao desmanche que foi feito numa época bem posterior a sua construção.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: