TRILHOS ESCONDIDOS – Canoas tem projeto para trem subterrâneo

Prefeitura pretende construir trecho do trensurb sob parte da região central

Em vez de trilhos, árvores. Essa é a ideia do prefeito de Canoas, Jairo Jorge, que anunciou ontem um projeto propondo o remanejamento da linha da Trensurb na região central do município. O objetivo é enterrar o trem por cerca de 2,1 quilômetros na área próxima à Avenida Inconfidência e à Rua Rio de Janeiro.

A obra, orçada em R$ 198 milhões, está entre os pedidos de investimentos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade do governo federal. O anúncio da inscrição do projeto, feito na tarde de ontem, dá início ao processo de revitalização do centro de Canoas. De acordo com o prefeito, essa etapa do PAC tem investimento estimado em R$ 2,4 bilhões. Dessa quantia, cerca de R$ 900 milhões serão repassados ao governo estadual e devem ser distribuídos entre as prefeituras da Região Metropolitana. Para o prefeito, esse é o momento ideal de pôr em prática o projeto.

– Quando foi implantado o trem (em 1980), existiam todas as condições de fazer isso que estamos fazendo agora. Esta era uma dívida que tínhamos com a população de Canoas – diz ele.

No sentido Porto Alegre-Canoas, o projeto prevê que o trem desça uma rampa logo após a Avenida Inconfidência, por cerca de 380 metros. No trecho seguinte, de cerca de 1,3 quilômetro, o veículo deverá utilizar a passagem subterrânea, antes de subir à superfície em outra rampa, ao lado do Canoas Shopping, por mais 350 metros. Com isso, a atual estação Canoas/La Salle seria reconstruída no subsolo, com saída para a Praça da Bandeira. Sobre os trilhos existentes hoje está projetada a arborização da região.

Na semana que vem, Jairo Jorge deve iniciar o movimento para conseguir apoio político junto ao poder público. Ele conta principalmente com o apoio do deputado federal Luiz Carlos Busato, do presidente da Câmara, Marco Maia, e do senador Paulo Paim, todos com vínculos com a cidade.

Definição sobre obra deverá ser divulgada em 12 de junho

O secretário de Transportes e Mobilidade de Canoas, Luiz Carlos Bertotto, afirma que o trânsito não seria interrompido durante as obras. Além disso, ressalta que as ruas Doutor Barcelos e Brasil poderiam ser utilizadas como alternativa e aponta, ainda, que a obra, se concretizada, facilitará a circulação urbana:

– Teremos um grande bulevar com duas grandes avenidas (Guilherme Schell e Victor Barreto) ao lado – afirma Bertotto, que não descarta o alargamento das duas vias.

Segundo ele, a divulgação do resultado – se for aprovada ou não – está prevista pelo governo federal para 12 de junho. Depois, a prefeitura terá oito meses para abrir licitação e desenvolver o projeto de construção. Se os prazos forem cumpridos, a obra levaria cerca de 20 meses e seria entregue no final de 2013.

Zero Hora (impressa)

____________________________________

Muito boa notícia! Deveria ser copiada por outras cidades por onde o Trensurb passa, inclusive Porto Alegre. Os trilhos em Porto Alegre poderiam ser enterrados entre a Rodoviária e a Estação Central, do Mercado, facilitando e qualificando a revitalização do centro, em frente ao Cais Mauá. O que é a diferença entre uma cidade que pensa grande e uma que pensa pequeno ! Porto Alegre tem muito ainda que aprender (e não ter vergonha de copiar) com outras cidades !



Categorias:Metro Linha 1

Tags:, , ,

13 respostas

  1. Ainda não foi feito

    Curtir

  2. o metro de canoas sevia ser em elevada desde o início, como é o caso da cidade de são leopoldo, porque é um custo mais berato e não atrapalha o trânsito da cidade, ou o trecho próximo a br 116 teria que ser subterraneo, assim não atrapalharia o transito da cidade que em dias comuns ja é um inferno, sou morador de canoas e utilizo todos os dias o transporte ferroviário para estudar no centro

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: