Estado e Capital vão pressionar a União

Segundo dados do Ipea, as obras de ampliação do Salgado Filho devem ficar prontas só depois da Copa Foto: Ricardo Giusti / CP MEMÓRIA

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, esteve reunido na tarde de ontem com o governador Tarso Genro, no Palácio Piratini, para tratar da questão das obras no Aeroporto Internacional Salgado Filho para a Copa de 2014. De acordo com dados divulgados durante a manhã pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a situação é preocupante. O relatório alerta que o Salgado Filho figura entre os nove aeroportos que não ficarão prontos para o Mundial da Fifa.

A informação provocou a indignação do prefeito, que ganhou o apoio do governo do Estado em busca de solucionar o problema. “A prefeitura fez todo esforço para cumprir suas obrigações e agora vamos pressionar o governo federal, porque não abrimos mão dessa obra tão importante para a economia da cidade e do Estado”, destacou o prefeito.

Segundo ele, os governos municipal e estadual vão pressionar a União para agilizar o início das obras de ampliação do aeroporto da Capital. Na próxima semana, será enviada uma carta conjunta dos dois executivos à presidente Dilma Rousseff sobre a situação do Salgado Filho. O tema deverá ser incluído na pauta do encontro entre Dilma e Tarso Genro, previsto para ocorrer na próxima semana. A situação dos aeroportos deverá repercutir também na reunião entre governadores e prefeitos de cidades-sede da Copa, na próxima terça-feira. “Iremos a Brasília buscar soluções e mostrar nossa inconformidade com a decisão da Infraero”, ressaltou Fortunati.

Operação acima da capacidade

Os dados divulgados ontem pelo Ipea também indicam que 14 dos 20 maiores aeroportos brasileiros operam acima da capacidade, devido ao incremento do volume de usuários do transporte aéreo e aos investimentos ainda insuficientes para atender às necessidades de adequação da infraestrutura aeroportuária.

Conforme o Ipea, o total de investimentos públicos para o setor aumentou de R$ 503 milhões, em 2003, para R$ 1,3 bilhão, em 2010. As altas taxas de ocupação dos terminais de passageiros, contudo, apontam para a necessidade de que os investimentos futuros sejam ainda maiores.

Para o Ipea, a Infraero necessita de “um choque de gestão” para melhorar a aplicação dos recursos. Entre 2003 e 2010, a estatal executou apenas a média de 44% do valor autorizado. Os técnicos avaliam que os 20 principais aeroportos do país perdem eficiência operacional devido às melhorias da infraestrutura não acompanharem a demanda.

Obras levariam seis anos e meio

Segundo os técnicos do Ipea, obras de infraestrutura em transportes costumam levar, em média, 92 meses para serem executadas e finalizadas. Nessa perspectiva, as obras dos aeroportos de Manaus, Fortaleza, Brasília, Guarulhos, Salvador, Campinas e Cuiabá (MT), todas em fase de elaboração de projeto, não estarão prontas antes de 2017. No Aeroporto Internacional Salgado Filho, embora os projetos de reforma já estejam prontos, as obras também devem demorar em torno de seis anos e meio para serem concluídas.

Paim defende um novo aeroporto

O senador Paulo Paim (PT-RS)defende a necessidade da construção de um novo aeroporto internacional no Estado. “Independente das indispensáveis obras de ampliação da pista e duplicação do Aeroporto Internacional Salgado Filho, a situação aeroportuária da região Metropolitana tende a se tornar caótica”, projetou. Paim ainda afirmou que, segundo previsões de incremento no número de passageiros, “em pouquíssimos anos” o Salgado Filho será completamente incapaz de atender à demanda, por suas limitações de área física. “O Salgado Filho não tem como crescer e é, hoje, o aeroporto brasileiro com maior déficit percentual na relação entre capacidade instalada e número de passageiros”, enfatizou. De acordo com o senador, várias regiões do Estado têm condições de receber o novo aeroporto.

Paim recebeu estudo elaborado por um grupo de voluntários, integrado por aeronautas e especialistas em aviação civil, incluindo o diretor da Faculdade de Ciências Aeronáuticas da PUCRS, Elones Ribeiro. A principal conclusão aponta para a necessidade de um novo aeroporto na região Metropolitana, operando paralelamente ao Salgado Filho. Segundo Paim, o novo aeroporto, com nome provisório de 20 de Setembro, construído em uma área entre Nova Santa Rita e Portão, com mais de 16 quilômetros quadrados de extensão, atenderia à demanda aeroportuária gaúcha por mais de quatro décadas. “Será uma alavanca para o desenvolvimento, capaz de atender 85% do PIB estadual”, considerou.

Correio do Povo

____________________________

Acho que poderiam nomear a Rússia a sede da Copa 2014, e a do Brasil a da Copa de 2018 (ou 2022, 2026)… Ainda dá tempo de trocar … e evitar o vexame. Pois assim como tá, teremos vexame certo !



Categorias:aeroportos brasileiros, COPA 2014

Tags:,

34 respostas

  1. (Leiam essa história e avaliem sobre as desapropriações em Porto Alegre ) Desapropriações no Jardim Floresta -Porto Alegre) Depois de ler a reportagens nesse Site sobre as impossibilidades de seguir as obras do Aeroporto salgado Filho,segue anexo um dos motivos que o impedem e um apelo de que as Autoridades resolvam nosso problema.Moramos a 40 anos no Bairro Jardim Floresta, (antes denominado Vila Floresta) na Rua Avaré nº 535,situado na área que esta sendo parcialmente desapropriada pela Infraero,numa propriedade titulada pelas autoridades como área pública(ou verde).Em 1974 minha mãe e meu Padrasto tomaram a posse do terreno construindo ali sua casa,hoje em discussão com a Infraero.Minha mãe residiu no local até 1983 onde veio a falecer deixando o terreno para seus 3 filhos,(John Presley),(Paulo Dioceses) e (Andréia Dias) como única herança, já que a mesma sofreu muito naquela época prá criar 3 filhos com muita dificuldade sendo ela costureira em casa.Em 1983 minha irmã (Andréia) foi morar com seu Pai, sendo assim, eu (John) e meu irmão ( Paulo ) na época dividimos o terreno em duas partes.Meu irmão (Paulo ) hoje trabalha e reside no local com sua família onde mantém uma pequena oficina de chapeação e pintura (de onde tira seu sustento).Eu (John ) somente moro no local com minha família.Na época separamos as contas de água,luz e telefone,bem como as outras correspondências recebidas no local.O bairro foi se desenvolvendo, ruas foram sendo asfaltadas e o progresso chegando, e nós dois alí continuavamos a residir sem nenhuma intervenção de nenhum orgão Público,Privado ou Federal, sendo que inclusive as benfeitorias de ruas,canalizações e asfalto foram desviadas de nossas casas, (o que serve como prova de que a gente estava sendo reconhecido e aceito no local muito antes deles).No ano de 2009 foram iniciadas as especulações sobre a tão comentada Copa do Mundo passar por Porto Alegre causando uma revolução momentânea nos orgãos Federais,Estaduais e na Infraero; e conforme divulgações nos meios de comunicação foram liberados 60 milhões de Reais para as indenizações, foi então contratada uma empresa privada para fazer os orçamentos ,medições e tiragem de fotos nas residências, sendo que a nossa (por ser considerada por eles área verde) foi ficando sempre em segundo plano.(Na verdade até hoje não fomos nem visitados).Sendo assim todos os moradores legais escriturados receberam uma avaliação de seus imóveis numa audiência pública realizada no saguão do Aeroporto Salgado Filho realizada em Dezembro de 2010,onde eu (John), meu irmão (Paulo)e nosso vizinho do nº 534 (Elson Medeiros) fomos lá participar sem ao menos sermos chamados,no final da audiência não havia nenhum documento destinado ao nosso endereço, na qual fomos descartados sem ninguém saber de nossa existência.O fato estranho é que no mapa da área com as residências a serem desapropriadas lá constava nosso terreno como (área com benfeitorias não identificada) sinal de que eles sabem de nossa existência no local,até hoje ficamos assim a espera de algum sinal que alguém nos pudesse dar auxílio.Em Janeiro foram convocados o segundo lote de moradores a serem desapropriados e novamente fomos esquecidos sem nenhuma resposta.
    Resolvemos então iniciar alguns contatos com a Procuradoria (PGE) na pessoa do (Dr Paulo Jardim-Procurador)onde repassamos a ele algumas provas de que residimos no local a 40 anos onde consta nas documentações contas antiguissimas de luz,água e telefone,fotos do local da época e atuais provando que na época da posse não havia alí nem ao menos o muro de hoje do Aeroporto e sim cercas de arame farpado; documentos estes que provam nossa moradia no local,fotos,certidões de óbido de nossa mãe( Maria Jurema ) e certidões de nascimento de nossos filhos que nasceram no local, sendo (Maikel Rodrigo) filho de (Paulo Dioceses) hoje com 30 anos e ( Karine Bianca ) filha de (John Presley) hoje com 21 anos.
    Acho que prova maior que essa não existe !!!Tentamos também com a Defensoria Pública Federal abrindo um processo contra a Infraero que não resultou em nada pois os mesmos se comunicavam com a Infraero através de e-mail´s numa lentidão enorme.Resumindo assim, pedimos auxílio aos senhores colunistas alguém intessado nesse assunto polêmico de que nos ampare ou divulgue esse e-mail nos meios de comunicação, pois a Infraero se nega a reconhecer nossos direitos de cidadão, negando-se a indenizar no mínimo a área construída,muito foi gasto nesses anos prá conquistar-mos nossas moradias onde o Sr pode conferir nas fotos enviadas.
    Não exigimos a indenização pelo terreno já que eles alegam ser público, mas que na verdade é uma sobra de muitos anos de um loteamento que foi feito nessa área da Vila Floresta.O que exigimos dentro da forma da Lei é uma indenização pela área construída pois achamos que temos todo o direito de sermos ressarcidos.Existe também ao lado do nosso terreno na Rua Avaré nº 534 outro morador na mesma situação, (Sr.Elson Medeiros),que reside no local com sua filha (Elissa) de 06 anos,o mesmo encontra-se desempregado e encostado no INSS por problemas de saúde e que também merecia ser indenizado pelas autoridades ou ao menos ser reconhecido como cidadão e que pagem ao mesmo sua área construída p/ que o mesmo possa dar ao menos uma entrada em alguma casa digna p/ morar com sua filha.
    Sendo assim, agradeço pela atenção!!!
    Sinceramente,John P.Dias

    Curtir

  2. Quem é Paulo Paim pra querer um aeroporto ??? ou melhor… pra argumentar alguma coisa… ?

    Curtir

  3. Eu também não quero um novo aeroporto, por isso mesmo falei naquela área contígua ao terminal para que se faça uma segunda pista, se necessário for.

    Mencionamos o tal novo aeroporto porque aqui noticiou-se que Paulo Paim quer fazer um novo aeroporto lá na conchinchina. Só por isso. Também achamos que ainda há muito para se fazer no nosso salgado filho.

    Curtir

  4. Segundo o novo governo estadual, o rombo no caixa do estado do PR chega aos R$ 4 bilhões.

    Curtir

  5. parece que agora tudo certo, obrigado Gilberto.

    Curtir

  6. os comentários estão tardando a aparecer após a publicação

    Curtir

  7. meus comentários não estão aparecendo após a postagem.

    Curtir

    • Jake, não estou vendo nada de errado nos teus comentários. Qualquer coisa, se continuar isso, me fala. A propósito, concordo plenamente contigo: não tem sentido algum pensar e discutir um novo aeroporto em Poa. Isso é pra daqui 30 a 40 anos. Tem que ampliar este primeiro.

      Curtir

  8. vocês estão igual os políticos.. debatendo & debatendo questões urgentes.. ora, construir novo aeroporto agora ?? QUE AMPLIEM ESSA FUKIN PISTA, CONSTRUAM UMA PARALELA E AMPLIEM O TERMINAL… PRONTO…O AEROPORTO FICA BOM…E JÁ ESTÁ TUDO PRONTO…TEM ATÉ AEROMÓVEL.

    Curtir

  9. Falaste exatamente o que eu esperava sobre o ALS. Acho que deve ser bem complicado sair essa “PPP” para instalar um ILS3 devido aos entraves tradicionais. Talvez seria mais prático construir em algum lugar “no pé da serra”. Maringá tem uma aeroporto estadual ótimo por que fica no Paraná, que não é o estado que anda de lado que nós somos, rico e quebrado.

    Curtir

  10. O uso da base aérea é muito boa mesmo até porque vamos ter um metro indo naquela direção.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: