Obras contra alagamentos são prioridade em Porto Alegre

Na Ipiranga, uma das obra de drenagem pluvial do DEP Foto: Divulgação/PMPA

A rede de drenagem de Porto Alegre está sendo ampliada em várias regiões. Atualmente o Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) executa diversas obras contra alagamentos simultaneamente.

Em janeiro de 2011 foi entregue a obra de reforma das 14 comportas de vedação do Muro da Mauá. Agora, os portões que impedem que as águas do Guaíba invadam o Centro, em caso de cheias, estão novos e funcionam com acionamento hidráulico. Esta foi a primeira reforma total dos portões da Mauá desde sua construção, pelo extinto Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS) ,na década de 70.

Neste mês de abril, foi entregue a obra de drenagem Santa Terezinha no bairro Santana. A nova casa de bombas tem capacidade para bombear 5.500 litros por segundo de água da chuva em direção ao Arroio Dilúvio através de mais 1.270 metros de redes pluviais com galerias de até 2 metros por 1,20 metro de seção, além da rede já existente.

Teste – A primeira chuva após a inauguração da obra, ocorrida no dia 14, comprovou que, após 30 anos, os moradores do bairro Santana estão seguros de que não haverá mais alagamentos em conseqüência da construção. Nos próximos dias, o Departamento deverá inaugurar a obra de reforma da casa de bombas 5 no bairro Humaitá. A capacidade de bombeamento foi ampliada de 7.750 litros por segundo para 10.250 litros por segundo de água da chuva. Além disso, com a instalação de um gerador, as bombas poderão operar mesmo em casa de corte de energia na rede.

Lindóia – O DEP executou a primeira parte da obra do Jardim do Salso, que fica no trecho da avenida Cristiano Fischer, desde a avenida Ipiranga até a rua Professor Pedro Santa Helena. A segunda etapa deverá iniciar no decorrer de 2011. No bairro Lindoia já está pronta a primeira parte da obra da avenida Panamericana, trecho entre a avenida Sertório e a rua Quito. Também está em andamento a segunda parte, que fica na avenida Panamericana, trecho da rua Quito até a avenida Assis Brasil.

Continuam em execução as obras de recuperação dos taludes do Arroio Dilúvio na avenida Ipiranga, a obra da avenida São Pedro no bairro São Geraldo, a elaboração do Plano Diretor de Drenagem Urbana, a reforma das casas de bombas 3 (avenida Castelo Branco próximo da avenida São Pedro) e da casa de bombas Vila Farrapos na rua Frederico Mentz.

Sarandi – Na Vila Minuano, bairro Sarandi, também está sendo executada uma grande obra contra alagamentos com 1.265 metros de redes de 1,50 metro de diâmetro em fase final nas avenidas Rocco Aloise e Dos Gaúchos e rua Francisco Pinto da Fontoura. Está em construção uma casa de bombas ao longo do Arroio Sarandi / Passo da Mangueira, no final da avenida Rocco Aloise, 950.
Esta casa terá cinco bombas com capacidade de bombear 8 mil litros de água da chuva por segundo em direção ao arroio Passo da Mangueira. Outra parte desta obra, também em execução, compõe-se de 767 metros de diques em terra e em concreto na margem esquerda do Arroio Passo da Mangueira para impedir que as águas do arroio invadam a Vila Minuano.

Asa Branca – Em fevereiro teve início, na Zona Norte, a drenagem da Vila Asa Branca. Esta grande obra de drenagem contará com 3.249 metros de tubos e galerias com seções variadas, uma casa de bombas com capacidade de bombear 1.900 litros por segundo de água da chuva na rua B-2.
Também serão executados 1.653 metros de diques (880 metros de diques e 773  metros de valas) que deverão ser implantados em toda divisa da Vila Asa Branca. Estes diques, feitos de argila compactada, protegerão a área baixa, onde está inserida a comunidade, do extravasamento de dois valos existentes no local.

Ipanema – A Zona Sul da cidade também está sendo beneficiada com obras importantes. A drenagem na rua João Mendes Ouriques em Ipanema, estende-se pelas avenidas Cel. Marcos e Arlindo Pasqualini, ruas Manoel Leão, João Mendes Ouriques, Jigoro Kano, Homero Prado e José Kanan Aranha e Travessa Pedra Redonda. Estão sendo executados 1.937 metros de redes pluviais com galerias de até 3 metros por 1,30 metro de seção e tubos de até 1,20 metro de diâmetro.

Em função de tantas obras, Porto Alegre destaca-se entre as grandes capitais como a cidade com maior investimento per capita na área de drenagem urbana no país.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

1 resposta

  1. Atenção, em drenagem pluvial há um princípio básico que tem que ser respeitado, as obras devem ser feitas sempre de jusante para montante (de baixo para cima), quando não se faz isto muitas vezes tu arrumas a situação de quem está em cima e estraga a vida de quem está embaixo.

    As obras que estão sendo feitas supõe que o arroio Dilúvio vai dar conta de tudo, entretanto a cada obra que se faz a montante (como a da foto) mais se aumenta a vazão de pico do Dilúvio, podemos chegar a situação de todos os condutos que alimentam o Dilúvio estarem bem dimensionados e a água passar por cima da avenida Ipiranga alagando o que está abaixo desta cota.

    Muito cuidado.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: