Porto Alegre não tem política para o mobiliário urbano

Foto: Felipe Mobus - As atuais paradas estão assim.

Há tempos Porto Alegre abandonou qualquer política em relação ao mobiliário urbano, Alguns anos atrás, houve uma tentativa de qualificar o espaço público através de licitação que previa um conjunto de paradas de ônibus padrão, inclusive com um pequeno banco e espaço para publicidade, como contrapartida ao empreendedor. Podia não ser o modelo mais bonito, mas tinha a grande vantagem de manter a parada iluminada à noite, justamente devido ao espaço publicitário que tinha luz. Havia sombra em dias de sol, abrigo para a chuva e vento.

Hoje em dia as paradas estão abandonadas. Há quem ainda tenha humor para fazer a crítica, como um grupo de cidadãos que transformou um ponto de ônibus em galinheiro, em plena avenida Goethe.

Quando cobrado sobre o assunto, o Poder Público se omite, deixando sem resposta ou perspectiva aqueles que sofrem diariamente, esperando no sol ou na chuva, em pé, por ônibus que não costumam cumprir seus horários.

As novas bancas de jornal que estão sendo colocadas na cidade são fruto de legislação oriunda da Câmara Municipal. O projeto prevê pintura anti-pichação e limpeza realizada mensalmente, além de iluminação por publicidade. Mas, nem todas as bancas foram renovadas, ainda restam muitas das amarelinhas antigas.

É preciso ousar no mobiliário urbano. Criar totens onde a prefeitura disponibilize informações culturais, turísticas e de cidadania; paradas de ônibus iluminadas esteticamente, proporcionando conforto ao cidadão que aguarda; banheiros públicos adequados; telefones públicos instalados de forma ordenada, nos locais necessários, mas sem atrapalhar a circulação, principalmente respeitando deficientes físicos e visuais. Tudo isso pode ser feito através de parceria com a iniciatva privada, que terá na publicidade o retorno de seu investimento. Muitos outros equipamentos poderiam ser pagos com publicidade, como briquedos e praças de esportes, manutenção de espaços de lazer, preservação de espaços públicos.

Trecho do livro de Adeli Sell – Porto Alegre – A Modernidade Suspensa, páginas 55 a 57.

____________________________________________

O livro pode ser solicitado ao Vereador, pelo seu e-mail: adelisell@camarapoa.rs.gov.br

PROTESTO: galinheiro aparece em parada de ônibus em Porto Alegre

Novas Estações de Ônibus

Prefeitura suspende licenciamento de diversas atividades até o reestudo do mobiliário urbano



Categorias:Mobiliário Urbano

Tags:, ,

15 respostas

  1. Teu primeiro post tá matador Jake..

    Curtir

  2. Será que é tão dificil ter senso de design, do quê é harmonioso ou não ? Eles tem que simplesmente jogar uns ferros pintado de verde e amarelolá ? Acham que ninguém dá a mínima ? Ora, aquilo é feio, baixa a estima da pessoa, denigre a imagem do lugar, que poderia ser MUITO MELHOR simplesmente com um pouco de bom gosto. Inteligência é de graça. Bastaria alguém com bom senso assumir a questão. Os gastos seriam os mesmos. Quem deve projetar as paradas são os próprios fabricantes, ao pedido pela opção mais econômica. Não existe sequer alguém que supervisione a qualidade e o impacto visual. Simplesmente mandam fazer, jeitinho brasileiro, tudo pelo mais fácil, só que poderia ser fácil e bonito, mas é fácil e ridículo.

    Curtir

  3. Estas paradas “atiradas” são um prato cheio para que que se possa fazer as estantes públicas:
    http://www.estantepublica.com.br/

    Aqui perto de casa estou verificando para fazer uma com madeiras encontradas na rua:
    https://picasaweb.google.com/daniel.serafim/20110130GuardaRoupa?authkey=Gv1sRgCJDui_fw2uBm#

    Cada um pode fazer um pouco pela sua cidade.

    Curtir

  4. A administração pública na maior parte dos setores (não apenas prefeitura e não apenas de Porto Alegre ou RS) é tocada através de “espasmos” de idéias, as quais não tem em geral quase nenhuma conexão com um plano maior em direção a um futuro como um todo mais qualificado. Pelo jeito o assunto do momento é mobiliário urbano. Daqui a pouco pode ser outra coisa.

    Claro que o mobiliário urbano de Porto Alegre é ridículo, assim como são boa parte das paradas novas também, como aquela aberração no triângulo da Assis Brasil. A única explicação para isso é que a administração (secretarias municipais) é gerenciada por pessoas que são nomeadas e substituidas sem critério. Fossem elas profissionais de carreira com especialização na área e compromisso com os valores da cidade o descaso não ocorreria com tanta frequência. Fosse ela sujeita a crítica de uma população bem informada isso também não ocorreria.

    Alias, limpeza mensal chega a ser engraçado. Limpeza tem que ser semanal, senão nem adianta. Cores tem que ser mais sóbrias, senão o mobiliario urbano (como na perimetral) torna mais feia a cidade. Design tem que ser um pouco mais discreto e mais moderno (sem colunas circulares estranhas como temos). Paradas, orelhões, bancas de jornal, sinaleiras, enfim, todos os itens do mobiliário urbano tem que ter coerência no design, o que torna uma cidade pitoresca e muito mais turística. Isto está ao alcance financeiro de qualquer cidade. Coerência no design não custa mais caro. Planejamento, organização, visão de futuro, comprometimento com valores também não é mais caro que o que temos. Feudos políticos e nomeação de acessores infelizmente tornam o custo político disto inviável.

    Curtir

  5. As paradas estilo “Protásio” foram instaladas há pouco ali ao lado do Barra Shopping, por exemplo.

    Curtir

  6. Essa parada da foto é das melhores ! Porque tem alguns lugares que botaram uns módulos da paradado corredor da Protásio, Osvaldo, Bento e Farrapos: aquele telhado baixinho, uma lata dobrada fazedo uma curva.

    Foi o modeno NOVO de parada implantado em Poa em 2001 na remodelação da Farrapos, Protásio e cia.

    Curtir

  7. O vereador Adeli ja’ ta’ em campanha pela prefeitura pelo jeito? O PT ficou 16 anos no governo e nao teve tempo de melhorar o mobiliario urbano nao?

    Curtir

    • RicardoUK, este livro saiu no ano passado, lá por outubro. Eu que tomei a iniciativa agora de transcrever um trecho do livro para voltar a falar neste grande problema de urbanismo que já existe há bastante tempo. Independente dele poder estar em campanha ou não, ele está falando uma mentira ?

      Curtir

  8. Concordo com o Augusto. Só quero lembrar que entre os dias 15 e 28 de junho acontecerá a I Copa do Catador no parque da Redenção. o evento contará com catadores de até 9 cidades gaúchas entre elas Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Carazinho, Camaquã, Viamão, Alvorada, Esteio e Portão. Inédita, a Copa do Catador possui 4 modalidades, são elas;

    1. Golden Egg: Em todo o parque, 5 ovos dourados serão postos no meio das lixeiras, o primeiro que encontrar melhor de 3 ovos vence a etapa.
    2. Esconde-Esconde: Aqui os catadores devem jogar esconde-esconde pelo parque inteiro. Vence o que melhor se esconder.
    3. Is all about Destruction: Nessa modalidade, os vencedores serão os catadores que mais destruirem o parque da Redenção em 15 minutos.
    4. Hard Sleep: A modalidade considerada a mais radical, onde vencerá o catador que mais tempo conseguir ficar dormindo sobre o concreto.

    Novidade boa essa Copa, vale a pena conferir.

    Curtir

  9. Abrigos de ônibus temáticos…em forma de lata de lixo seriam perfeitos para Poa. Nada mais a ver com a Porco Alegre do que os refugos residenciais.
    Também poderíamos erguer um monumento gigante em homenagem ao catador de lixo …personagem tão típico aqui da cidade.
    Está na hora desta cidade homenagear suas classes mais representativas.

    Curtir

  10. Vão dizer que tem coisas mais importantes para se preocupar.
    Óóóóóó….

    Porto, por que algumas noticias estão com os comentarios desativados?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: