ESPECIAL 1 – O tempo em que Porto Alegre ousava

O objetivo principal do Blog é lançar notícias/reportagens para discutirmos. Mas uma das maneiras mais formidáveis de vermos o quanto nossa cidade poderia estar melhor, no seu urbanismo, no seu desenvolvimento turístico, é através de fotos. E fotos antigas. As fotos antigas nos dizem que a cidade já foi outra. A cidade já ousou através de seus projetos. Há 50 anos, a cidade aterrava parte do Guaíba para ter mais espaço para crescer. E crescer com qualidade, junto ao centro. Construímos o maior porto fluvial do país na década de 20.  Construímos estádios onde antes era água. Construímos prédios inclinados junto ao morro, num pioneirismo latino-americano. Década de 50, 60 e 70, Porto Alegre mudou de cidade para metrópole. Como muitas outras cidades no Brasil, claro. Mas a partir de 1980/90 a cidade parou em termos de arquitetura/urbanismo. Raros projetos tiveram destaque. A cidade parou de ousar. E continua parada. Os projetos mais ousados encontram resistência enorme para ir adiante. Outras capitais se embelezam, se tornam mais atrativas, em busca de qualidade de vida, em busca de turismo, em busca de sua auto-estima rejuvenescida. Não que Porto Alegre não tenha se tornado uma metrópole grande e bonita, como outras. Mas deixou de ousar. E agora começam, devagarinho, algumas pessoas a quererem reagir face a esta inércia.

Agora aqui, uma galeria de imagens de uma outra época da cidade.

Claro, estaremos aqui discutindo o que falei aí em cima.

Nesta foto, é possível ver-se o início do aterramento da orla, onde iria ser o futuro Parque marinha do Brasil

Os mesmos aterros

Num estado mais avançado...

O aterro do Beira-Rio

O Beira-Rio sendo construído

O aterro do Hipódromo do Cristal

O Hipódromo era referência arquitetônica na época

Os aterros, em 1975.

Canalização do Arroio Dilúvio e construção da Av. Ipiranga. Uma das maiores obras da América Latina na época e a maior intervenção urbana da cidade até então.

Construção da Av. Ipiranga

Construção da Av. Ipiranga

Av. Ipiranga em construção

Abertura da Av. Salgado Filho

Construção do Viaduto da Borges de Medeiros, na déca de 1920. Uma das obras mais ousadas do país na época

Construção das elevadas da Conceição, década de 70

Construção do Túnel da Conceição. Uma grande obra de engenharia brasileira na época. Destaque em todo o país.

O edifício Santa Cruz, o edifício mais alto da Região Sul, na época. Década de 60

O Planetário da UFRGS sendo construído, em 1971. Em 20 de outubro de 1972, já concluído mas não inaugurado, o prédio foi visitado pelos astronautas norteamericanos James Lovell e Donald Slayton.

Edifícios inclinados do Morro Santa Teresa. O primeiro deles, à direita, foi o primeiro inclinado da América Latina. O segundo, à direita, foi construídos alguns anos mais tarde, já na década de 80.

Edifícios inclinados do Morro Santa Teresa

Rodoviária de Porto Alegre. A maior e mais moderna da América latina - Década de 70.

Construção da Ponte do Guaíba - década de 50. A cidade ousava e crescia.

Estádio Olímpico recém sendo construído, ainda num entorno vazio da cidade.

Porto Alegre na década de 50 já era uma grande cidade. Nesta imagem, se vê o edifício do INSS sendo construído.

Década de 50. O INSS ainda em construção.

1982 - começa a construção do primeiro shopping center de Porto Alegre. Shopping Iguatemi, com 110 lojas.

Vista aérea da cidade em 1990, mostrando o Parque da Harmonia.

PRÓXIMO POST ESPECIAL (2): OS PROJETOS OUSADOS QUE NUNCA SAÍRAM DO PAPEL



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , , ,

51 respostas

  1. kkkkk

    Obrigado, Jake. Hehe.

    Todos nós lutamos pela cidade e isso tem o seu mérito, por não ficarmos parados e ainda preservarmos algum poder de indignação! Você e os demais com certeza também estão de parabéns!

    Acho que um livro é só mais papel. No caso de Gilberto e do Blog e Site PortoImagem tudo bem, a história é diferente.

    Acho que o que precisamos mesmo é de ação, pois a Copa já está aí e nem é mais em 2014, pois em 2013 tem Copa das Confederações.

    Confesso que estou apostando TODAS as minhas últimas fichas nessas conversas que o Gilberto e o Blog terão com os representantes da Secopa e da Secretaria do Turimos de POA. Sugeri à ele que também tentasse falar diretamente com Fortunati e com algum representante de ZH, pois o blog e o site dele têm reconhecimento notório na cidade e são uma carta-convite para ser bem recebido em qualquer mesa de discussão. Falar diretamente com o prefeito, que é o executor-mór da cidade elevaria todas as sugestões e iniciativas e críticas do blog à um outro nível, pois alçaria ao nível do plano de ação, saindo do plano do pensamento e da discussão/debate. E falar com ZH acabaria fazendo com que a mesma se engajasse nisso e cobrasse o prefeito, que teria um nível de comprometimento assegurado diante da imprensa (= toda a sociedade).

    Se tivéssemos mais tempo, poderíamos pensar em livros e mais rodadas de discussões, mas com a Copa batendo à porta, oportunidade única de crescermos, não podemos nos dar ao luxo de não partirmos já para o plano da ação.

    Já o blog/site sim, um livro com as belas imagens do PortoImagem sim, mas daí seria uma outra proposta.

    Curtir

  2. Por quê o Porto Imagem não lança algo como um livro.. ? Um livro de apelo à renovação de Porto Alegre. Todos podem cooperar. Cada um escreve um pouco. Acho que cairia muito bem.

    Curtir

  3. Matador o último posto do Portofan.

    Devíamos escrever um livro, sem brincadeiras.

    Curtir

  4. Porto Alegre precisa voltar on track.

    Curtir

  5. As pessoas em POA parecem terem medo do novo e se apegam ao velho, mas esquecem que o velho algum dia necessariamente também já foi novo, caso contrário sequer existiria.

    Vejam o que temos, Redenção, aterro Gasômetro e sua orla, Marinha, cais e etc. Tudo das décadas de 50/60/70, em especial a gloriosa década de 60.

    O que POA nos deu na atualidade? O Iberê é obra “privada” e o parque germânia também, pois foi criado pela Goldsztein dentro do terreno que ela possuia em contrapartida para poder construir o Jardim Europa.

    É isso que eu acho engraçado, as pessoas ficam extasiadas com a nossa orla do aterro, com a redenção, ficam maravilhadas, mas esquecem que isso tudo está aí porque alguém ergueu as mangas das camisas, se levantou da cadeira e foi fazer algo concreto. E se gostaram tanto do que hoje está aí, porque tanto preconceito pelo que poderá estar aí junto para complementar e também extasiá-las. Essas mesmas pessoas, se existissem no passado, teriam sido do contra e POA não seria nem o que hoje é, uma cidade vivendo da glória que um dia foi na década de 60.

    Curtir

  6. A Redenção era muito bonita!!! Na foto postada percebe-se q foi sim um parque planejado, coisa q atualmente não parece.

    E a orla poderia muito bem ter tido alguns prédios (podem até ser baixinhos como os de Montevidéu), pelo menos o local estaria mais vivo e bem-cuidado.

    Curtir

  7. Guilherme, isso vem de pessoas que vieram do interior, fizeram o contrário. Nada contra, tbm sou do interior, mas muitos pensam que Porto alegre não tem mais pra onde crescer, e não precisa subir pra cima (criar prédios altos), porque tem que ter cara de cidade do interior…

    É lamentavel a nossa cultura. Passei ontem pela Carlos Gomes e Dom Pedro II. Nossa avenida paulista esta sempre bonita, mas pena que é um pequeno pedaço da capital.

    Curtir

  8. obs. acho que uma dessas fotos foi tirada de uma revista que tenho aqui em casa, tenho umas revistas dos anos 20/30/40/50… acho que isso, e uma delas mostram cidades, uma das cidades, Porto Alegre.

    Adoro ver essas fotos antigas.

    Curtir

  9. Nossos avós tinham pensamentos muito maiores do que muitos de nós (nós não, vocês sabem quem)

    Porto Alegre ja foi grande, infelizmente, o povo com pensamentos pequenos ferrou com a cidade.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: