Salvador terá linha do aeromóvel em 2012 (com 3 Km)

O prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, e o chefe da Casa Civil municipal, João Leão, conseguiram, nesta terça-feira (24), R$ 90 milhões para construir três quilômetros de linha de aeromóvel (um tipo de VLT), para ligar a Calçada ao Comércio.

O feito, obtido na Transurb – órgão vinculado ao Ministério dos Transportes – terá a primeira etapa do projeto concluída até o ano que vem, segundo Leão.

Cada vagão do aeromóvel transporta 180 passageiros. O Calçada-Comércio vai operar em dois vagões, e completa a conexão do subúrbio até o Terminal da França.

“Vamos trabalhar para pelo menos iniciar segunda etapa, que interliga o Comércio à Estação da Rótula do Abacaxi, ainda na gestão de João Henrique”, completa.

Fonte: Bahia Notícias – com informações da coluna Tempo Presente, de A Tarde.



Categorias:Aeromóvel

Tags:, ,

50 respostas

  1. De Edgard Coelho.

    Não conheço Salvador ainda mas, o Rio muito bem. Aqui o custo do BRT da Transcarioca já está passando de R$ 57 milhões o km. Um absurdo. Se optássemos pelo Aeromóvel estaríamos gastando em torno de R$ 30 milhões com uma capacidade muito maior, num projeto moderno, de pequena intervenção urbana, com construção rápida, pois é pré-moldada e não poluente.
    Devido ao baixo custo de sua implantação e baixo custo operacional, devido a simplicidade do sistema, é possível praticar uma tarifa barata e acessível a população trabalhadora.
    Para se ter uma idéia o Governo do estado do Rio de Janeiro está sangrando os cofres publicos para subsidiar algumas empresas que fazem a ligação intermunicipal da Baixada Fluminense para a Barra da Tijuca em mais de R$ 300 milhões por ano.
    Se ônibus fosse solução de transporte nossas cidades não estariam como estão. Curitiba que tem o sistema que os defensores do BRT apresentam como modelo não estaria prestes a construir suas linhas de metrô.
    No Estado Rio de Janeiro só a Cidade de Nova Iguaçu teve a coragem e já está com o edital publicado para a implantação do Aeromóvel, incluive aprovado pelo Ministério das Cidades.

    Curtir

  2. RicardoUK, não se faça de desententido.

    Só não xingas abertamente os nordestinos porque isso tem dado complicações jurídicas para quem tem feito, vide casos de comentários racistas de pessoas no twitter. Mas sempre que podes tu chamas eles genericamente de favelados e famintos, dá a entender que eles são um povo atrasado, burro, ignorante. Só falta fazer uma apologia clara aos nossos genes europeus, fala pouco para defenderes abertamente a suposta superioridade branca. Daí depois se faz de desentendido, que só disse que lá tem pobres, quando mesmo a classe média e as iniciativas positivas das cidades e estados nordestinos sempre são desqualificados e postos por ti todos no mesmo balaio. Se tu achas que está enganando alguém, estás te auto-enganando. E o pior é que há muitas pessoas no RS que ainda pensam como tu.

    E quando falei em favelas, falei em favelados. Arredondando, POA tem 1,5 milhão de habitantes e Salvador 3 milhões. Quis dizer que percentualmente não deve ser muito diferente a quantidade de gente que vive nas favelas de lá e as pessoas que vivem nas “vilas” de POA. A diferença é que muitos pobres de lá em algumas regiões da cidade não tem acesso aos mesmos serviços públicos dos pobres de POA e isso se reflete nos índices. Mas tu falas como se Salvador fosse uma favela disfarçada de cidade e POA fosse a perfeição em forma de cidade.

    Concordo que lá exista mais favelas que POA, talvez um pouco mais que o dobro de favelados, mas eles não estãoa ssim tão abaixo do rabo do cachorro como tu dizes. Pelo jeito só visitastes o Pelourinho e Elevador Lacerda.

    Aí vai uma foto de Salvador/BA:

    Como vê, a terceira perimetral não é uma exclusividade nossa, e lá a diferença é que ainda por cima ultrapassa o limite de uma única avenida e forma um grande centro financeiro que envolve diversos bairros (Pituba, Iguatemi, Itaigara, Rio Vermelho, …). Já em POA temos um ou outro prédio comercial no Praia de Belas/Menino Deus, um prédio ou outro comercial na Mostardeiro e mais um ou outro raro caso pontual, o resto mesmo é na 3ª perimetral (e dá para contar os prédios comerciais grandes ou médios que tem lá).

    Paro por aqui. Daqui para frente ignorarei qualquer comentário que se refira ao nordeste. Não dá para debater a região com gente que só ouviu falar ou que não viu a cidade como um morador vê. Pergunte aos turistas o que acham de POA. Se formos considerar os da CBC, que só visitam a mauá e o gasômetro, caharam terrível, falo porque conheço inúmeros casos. Mas que mora conhece os encantos de POA. O mesmo vale para SSA.

    Curtir

  3. Pois e’ Phil, tens razao sobre a (falta de) qualidade da brasileirada no exterior, mas o meu comentario foi apenas sobre prioridades, nem falei nada sobre o povo daqui, de la’ ou de acola’. O portofan e o felipex utilizaram-se de taticas do tempo da ditadura pra distorcer o que foi dito e falar de superioridade branca, etc. Acho que eles estao um pouco confusos.

    Sobre o comentario de que Salvador tem o dobro de favelas que POA, e’ uma afirmacao que talvez tenha cara de verdade (nao sei) mas com corpo de mentira (certeza). Numero de favelas nao interessa, o que importa e’ numero de favelados. E em numero de favelados Salvador tem varias vezes mais que POA, nao e’ so’ o dobro, mas isso nao vem ao caso neste topico de aeromovel (o qual sou amplamente a favor).

    Curtir

  4. Beleza, João! Também quero em POA todos os tipos de modais possíveis! Apenas quis mostrar que de repente o aeromóvel pode ser mais vantajoso que um BRT, mas toda a iniciativa é válida! Totalmente apoiado!

    Phill, te entendo perfeitamente. Se moras Há 28 anos fora do Brasil (ou seja, desde 1983), os porto-alegrenses ainda não sabiam que nos trinta anos seguintes POA pararia no tempo, que sua época gloriosa teria terminado em 1970. E o nordeste de 30 anos atrás com certeza não era o mesmo de hoje, pois lá ocorreu o inverso.

    Quanto à vergonha que brasileiros fazem outros brasileiros passarem no exterior, geralmente quem vai morar no exterior é gente das classes mais baixas (sem ofensa, pode não ser o seu caso, pois muita gente vai para estudar) que quer tentar uma vida melhor, e nesse meio tem muita gente que teve uma criação muitas vezes inexistente ou com valores invertidos, mas isso independe de região. Gente sem vergonha e sem cultura existe em todo lugar. Falo do nordeste que vejo hoje, pois vejo as suas cidadse evoluirem faz algumas décadas, mesmo período em que POA parou. Mas é claro que POA ainda tem índices melhores e não te culpo por ter uma visão do nordeste de 30 anos atrás, já que não a visitaste depois disso. Mas te convido a visitar a região agora em 2011, verás outra realidade, te garanto. Ainda haverá pobreza, favelas, mas isso já não é mais novidade nem em POA. Mas as cidades estão se desenvolvendo rapidamente. Só nos últimos tempos que me fixei na região as cidades se tranformaram consideravelmente, te garanto, ei vivi essa realidade.

    Curtir

  5. Portofan, acho q não deixei muito claro nos meus posts, mas eu sou completamente a favor a qualquer meio de locomoção q seja uma alternativa ao transporte individual, e aí entra melhores calçadas (deslocamento a pé é considerado “viagem não-motorizada” em pesquisas de tráfego), ciclovias, VLT’s, monotrilhos, aeromóveis, BRT’s e metrôs.

    Como se vê, há diversas opções de transporte coletivo, sendo uma muito mais cara que as demais (metrô – US$ 100 milhões/km), mas enfim, discussão sobre modais de transporte são sempre bem-vindas.

    Curtir

  6. Só corrigindo meu último coment, quis dizer que Salvador e Rio tem uma área boa maior do que a área boa de POA, mas é claro que a área ruim de salvador e do Rio são maiores do que as respectivas áreas boas deles.

    A pobreza é maior que a riqueza em qualquer cidade brasileira, sempre haverá mais pobres do que ricos. E lá não é diferente. A diferença é que os índices deles são piores.

    Mas lembro, Salvador tem o DOBRO de favelas, mas igualmente tem o DOBRO de habitantes. POA tem metade dos habitantes e por isso talvez metade das favelas, mas não deixamos de tê-las, só que não ficam tão à mostra. Nossos índices que ainda são melhores, ainda bem.

    Curtir

  7. Ok, Ricardo.

    Havia lido notícias que ligavam o metrô da Bahia também ao Governo do Estado e à União, mas devem ter se equivocado, pois a tua fonte é bem clara quanto à gestão exclusivamente municipal do mesmo, me rendo à esse fato.

    Todavia, as gestões municipais mudam a cada 4 anos e um metrô no país não sai em menos de uma década, o que é claro que não justifica a corrupção e nem a incompetência de lá. Mas o que quero dizer é que um aeromóvel pode sair em bem menos tempo, em um ano no máximo já daria, por isso não duvido da possibilidade da atual gestão municipal soteropolitana consiga implantá-lo, ainda mais com a proximidade da Copa.

    João, sei que o aeromóvel não tirará todos carros dsa ruas, mas ele pelo menos não ocupará uma pista que podia ser mais uma pista a mais para os carros.

    RicardoUK, se te parece tão difícil a simples implantação de um simples aeromóvel nos moldes australianos, nosso parâmetro tem que ser mesmo João Pessoa e, não, qualquer cidade do mercosul. Buenos Aires e Santiago, com seus metrôs e VLT’s, são coisa de 1º mundo. João Pessoa já está de bom tamanho. No dia em que tivermos as iniciativas pontuais deles já seremos MUITO melhores do que somos atualmente. A orla deles e o pensamento turístico deles está anos luz à frente de POA. E por favor, nem se d~e ao trabalho de procurar dados socioeconômicos pessoenses, pois sei que a cidade é mais pobre que POA e, por isso mesmo, veja só, impressionantemente consegue fazer mais do que o bar flutuante e o mirante enferrujado da bienal. E não quero que os pobres se explodam, por isso estamos falando em transporte público, que servirá aos ricos, mas principalmente aos pobres.

    MariaLopes, também quero um metrô que cubra a cidade INTEIRA, seria um sonho, mas isso custa MUITO caro. Se nem o aeromóvel temos, que custa infinitamente menos, imagine então uma obra bilionária subterrânea passando e cortando a cidade inteira. Sejamos realistas, a linha 2 do metrô será ótima e é bem-vinda, mas resolverá apenas o problema pontual daquela região, precisaremos de mais intervenções em outras áreas e para isso o aeromóvel está aí. Nunca teremos uma malha metroviária igual à de NYC, nem as outras cidades americanas o tem. E Salvador tem muita favela sim, inclusive na orla. É igual ao Rio. Mas, assim como o Rio, tem uma imensa e maior área boa. Mas os dados socioeconômicos de lá são piores que os de POA. De qualquer forma, favelados ou não, quero o aeromóvel deles em POA.

    Curtir

  8. Acho que entendo o RicardoUK. Eu tambem moro fora do Brasil, no meu caso a 28 anos, e eu tambem estranho muito esta “pagacao de pau” (sem ofencas) para com lugares do nordeste, tipo salvador. E acho que os problemas sao dois, 1) no tempo que eu estava por ai, nordeste nao era la estas coisa, era sempre usado como exemplo, so’ que exemplo do que NAO fazer, alem do bairrismo meu daquela epoca . 2) Morar fora do brasil, tu ve o quanto os brasileiros sao sem cultura, educacao e ATRAZADISSIMOS, chega a ser constrangedor a coisa, e’ dificil mesmo ser “comparado” com…hmmm…digamos brasileiros de outras regioes, tenho que estar sempre me desculpando pelos outros e foi morando fora do brasil que comecei a simpatizar com o separatismo do RS, no brasil numca pensei a respito, mas fora…. Entao eu pelo menos e acho que RicardoUK tambem, nao sei parece, temos ainda um pe’ atraz quando e’ usado exemplos de outras regioes do brasil. acho que e’ isso!!!

    Curtir

    • Ya conoci brasileños en Japón, incluso portoalegrenses, y muchos decianme que no tenian ganas de volver a Brasil nunca, mientras muchos de los que dicense ciudadanos permanecieran a actuar de forma animalesca.

      Curtir

  9. Portofan, as informações q te passei têm como fonte Luis Antonio Lindau, phD em transportes e professor da UFRGS. Ainda, outra informação bastante interessante: para acomodar todos os veículos que circulam na Av. Assis Brasil na hora-pico seriam necessárias 13 faixas (!), ou 39m, isto somente para UM sentido.

    Curtir

  10. RicardoUK, transporte de massa não é usado pelos pobres?

    Curtir

  11. Porque, meu caro FelipeX, para se fazer VLT ou o que seja tem de se passar por todo esse processo administrativo, que não raras vezes está eivado de irregularidades. Foi o que se verificou no metrô de Salvador, e como o assunto era Salvador…De qualquer maneira, foi apenas uma contribuição.

    Curtir

  12. Nao falei que so’ tem famintos no Nordeste, falei que a prioridade deles deveria ser dar melhores condicoes de vida para a populacao de la’. Nao da’ pra pensar so’ em habitacao popular mas tambem nao se pode ser igual muitos aqui que seguem o lema “os pobres que se f….”.

    Joao Pessoa e’ o padrao de desenvolvimento do Portofan, nada contra, mas eu prefiro pensar em cidades como Santiago, Buenos Aires ou, ate’ mesmo, Montevideo, todas relativamente perto de POA. Nao to citando Londres, Paris ou Berlim. Tambem nao vou querer comparar POA com Sydney, como pretende o Portofan, porque o Brasil jamais chegara’ perto da Australia em termos de desenvolvimento e riqueza.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: