CONTRASTE NA 3ª PERIMETRAL: Skate no lugar de ônibus

Enquanto motoristas sofrem com o trânsito lento, jovens aproveitam corredor ocioso em Porto Alegre

Faixas exclusivas a ônibus servem para jovens andarem de skate e bicicleta em horários de pico

Aos finais de tarde, enquanto a fila de veículos abarrota as vias laterais da Terceira Perimetral e testa a paciência dos motoristas, no miolo, skatistas e ciclistas rodam livremente. Aproveitam a calmaria do corredor de ônibus.

Registrado entre as avenidas Benjamin Constant e Cristóvão Colombo, na Rua Dom Pedro II, o contraste tira do sério condutores, usuários da via que, em tese, deveria ser uma ligação ágil entre as zonas sul e norte da Capital. No entanto, observa-se o contrário. Com a reduzida circulação de ônibus, jovens em skates passam tranquilos ao lado de carros com dificuldade em superar a segunda marcha.

Enquanto padecem na tranqueira, rotina das 17h30min às 19h30min, motoristas clamam por solução. Sugerem o exemplo da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) na Avenida Sertório, onde o corredor é liberado a veículos em horários de pico e com orientação de agentes.

Para a EPTC, a solução não é o uso compartilhado. Diferentemente da Sertório, separada por tachões, a Terceira Perimetral tem canteiro, que demarca o espaço dos ônibus e o dos veículos de passeio.

– É uma questão de segurança, pois o canteiro dificulta o acesso e a saída do corredor – avalia Vanderlei Cappellari, diretor-presidente da EPTC.

A empresa cogitou liberar o corredor para taxistas, com ultrapassagem proibida e local determinado de entrada e saída, porém concluiu que o ganho de tempo é pequeno. A EPTC pretende aumentar o número de linhas de ônibus para desafogar o Centro, e aproveitar melhor a Terceira Perimetral.

Corredor deve ser reavaliado

Professor de Trânsito e Transporte da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), João Hermes Junqueira concorda que a presença de canteiro dificulta a liberação do corredor da Dom Pedro II, mas acredita ser necessário rever o espaço.

– É temerário simplesmente abrir o corredor. Mas, se ele é ocioso, é preciso reavaliar o uso. Em último caso, acaba-se com o corredor e o tráfego ganha mais vias para escoar – opina Junqueira, que evita usar a via.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, espera ter em mãos, em junho, o resultado de um estudo com soluções de curto prazo para o contraste de trânsito na Terceira Perimetral.

Doutor em transportes e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), João Fortini Albano é contrário ao uso compartilhado dos corredores na Capital – ambulâncias e viaturas já os utilizam em emergências:

– A Sertório é um exemplo a não ser seguido. Descaracteriza o corredor de ônibus. Mesmo sendo pouco usado, serve de reserva para o futuro, quando mais coletivos estiverem nas ruas.

Para o especialista, se os porto-alegrenses usassem mais ônibus, a lentidão diminuiria. Outra alternativa seria a retirada das sinaleiras da via, mediante a construção de passarelas.

Alerta da EPTC
Apesar da circulação de ônibus ser pequena, por questão de segurança a EPTC orienta que os skatistas evitem usar o corredor de ônibus da Terceira Perimetral, exceto nos domingos e feriados, quando a área é liberada para atividades de lazer.


Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

37 respostas

  1. Adoramos nos espelhar em paises de primeiro mundo, de comparar que na europa, nos eua…. é melhor isso aquilo.

    na europa me lembro de governos oferencendo benefício para pessoas e famílias que deixassem de ter um carro, e com isso tinha direito a uso de transporte público de graça.

    nos estados unidos em são francisco nasceu o car sharing (compartilhamento de caronas)

    E aqui, querem 1.409.939 carros nas ruas, ou seja, um para cada habitante, hoje já temos 700mil, fora os que vem de outras cidades.

    Lastimável que o Brasil não tem visão.

    Em tempo, em países da europa algumas áreas do centros das cidades foram fechadas para carros.

    Curtir

    • Fontes:
      Car Sharing: http://www.citycarshare.org/

      Em Los Angeles, avenidas com dez faixas estão entupidas. As ruas de algumas cidades européias chegaram ao limite de circulação.
      http://www.cicloviavel.org/Artigos/Super.html

      UNIÃO EUROPEIA
      UE quer eliminar carros a gasolina e a diesel de suas cidades até 2050
      http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/03/110328_transportes_ue_pai.shtml

      Curtir

    • Querer 1 carro por pessoa ou 2 carros por família ninguém quer, mas a escolha entre o transporte individual, o coletivo e os alternativos é sempre de cada pessoa, conforme suas necessidades e objetivos. Portanto, antes de querer que as pessoas deixem os carros de lado é preciso oferecer condições adequadas, principalmente investindo nos modais públicos de transporte. Outra opção seria restringir o uso ou a compra de carros através pedágios e aumento de impostos, obrigando que mais pessoas migrem para o sistema público, mas, da mesma forma, seria algo ilegítimo, se a opção do transporte coletivo não fosse no padrão adequado.

      Como eu digo sempre desde o Forum Social Mundial, “um outro mundo é possível”, mas antes de querer viver nesse mundo dos sonhos é preciso criá-lo, adaptando o atual pouco a pouco. Viver num mundo que não existe é coisa de alienado.

      Curtir

  2. “Lembrem-se: “Quanto mais estrutura viária para carros, mais carros aparecem, e maior será o inferno para todos na cidade!”

    Por esse raciocínio exdrúxulo, quanto menos vias, menos carros. Fantástica conclusão!

    Façamos o seguinte, seguindo a tua linha de raciocínio; Quanto mais helipontos, mais teremos helicópteros, que são bem mais rápidos para se chegar do ponto A ao ponto B.

    O inferno da mobilidade urbana é quando essa cidade não possui estrutura para suportar os meios de transporte que seus cidadãos usam…notadamente o meio de transporte que a maioria usa.

    A prioridade tem que ser a tendência do consumo. Se a população está cada vez mais uisando os carros, tem que ser as vias para veículos. se a população está usando cada vez mais o transporte público, tem que ser no transporte coletivo.
    No caso de Porto Alegre..assim como em todo o Brasil…todos sabem que é NÍTIDA e INSOFISMÁVELMENTE os automóveis.
    Quanto mais carros forem despejados nas ruas, mais ruas tem-se que ter para que o trânsito escoe a contento. Tudo o que não for isso, é INVENCIONICE e ALQUIMIA SOCIOLÓGICA.

    Curtir

    • Por sorte helicópteros não custam apenas R$10.000 e podem ser parcelados em 60x 😉

      Curtir

  3. Quando eu falei que “aqui tambem tem solução” eu estava me referindo ao que o RicardoUK escreveu (que aqui no Brasil nenhum carro respeitaria faixas exclusivas pra onibus com apenas uma pintura no chão delimitando-a)

    Curtir

  4. Há solução para isso até mesmo no Brasil
    SP tem mil problemas, mas também tem soluções boas: lá também há faixas pra õnibus só pintadas – e sem essas muralhas horriveis que tem nos corredores portoalegrenses – e os carros não caem na malandragem fácil de entrar na faixa exclusive. Como? Essas faixas tem câmeras tipo caetano: se algum espertinho entra de carro ali, e camera tira foto e manda uma multa. Resultado: todos obedecem as faixas exclusivas em SP, que tem uma aparência super clean, sem muralhas.

    Ah, e lá tem vários (bonitos e elegantes) corredores cujas paradas (tambem elegantes) tem um painel eletronico dizendo que linhas passam e que HORÁRIO tá previsto passar ali. Tipo: linha Sarandi vai passar ali as 9:25.

    _______________________________________________________________

    Ah, e o que falta no corredor da terceira perimetral não é extamente mais onibus: falta mais LINHAS de onibus, e que façam a maior parte possivel do corredor. O que acontece hoje é que tem uma linha tipo a Carlos Gomes, que entra no corredor, anda uns 700m no e já sai do corredor; num outro trecho diferente, a linha T2 anda um pouco, e sai do corredor; noutro trecho diferente, entra a linha X, anda um pouco, e sai…
    Acho que só aquele T que vai pro aeroporto que anda quase todo o corredor da Perimetral… mas esse onibus a gente tem que esperar uns 20 minutos ou meia-hora… é uma piada de mau gosto.

    Tenho carro mas eu ando MUITO de ônibus, na zona norte, sul e leste, então conheço muito bem como é andar de ônibus, em cada parte desta cidade.

    Curtir

    • Muito bom depoimento Ricardo !

      Curtir

    • Se os ônibus usam o corredor da Terceira Perimetral em trechos e não de ponta a ponta, ele não se justifica, pois as paradas poderiam ser feitas na calçada, como o mesmo aproveitamento e como acontece em qualquer parte do mundo.

      Corredor de ônibus só é valido, no meu ponto de vista, quando funciona como um metrô, sendo “abastecido” por outras linhas de ônibus. Ou seja, quando uma linha rápida com ônibus de grande capacidade é usada para diminuir o número de viagens de outros ônibus.

      Do jeito que fizeram na Terceira perimetral, parece que foi feito só para tirar espaço dos carros, como querem os anti-automóveis, o que uma coisa burra.

      Curtir

      • Foi feito pra justificar à população pobre a grande obra, assim gerando expectaviva e votos desde a classe A até a E. Simples.

        Curtir

  5. Já postei aqui, a Av. Assis Brasil precisaria de 13 faixas por sentido para dar conta de todo o tráfego na hora-pico. Ou seja, destinar aos automóveis a faixa para ônibus não fará diferença!!! Continuará faltando espaço.

    Uma faixa para ônibus suporta muito mais passageiros do que uma faixa para automóveis, já que há uma média de 1,2 passageiros/veículo.

    Que insistência da Zero Hora em causar polêmica!!! Estudos já provaram a importância dos corredores de ônibus e demais modais de transporte coletivo, seria um retrocesso liberar aos veículos particulares a faixa especial para ônibus.

    Curtir

  6. Será que não se dão conta que não adianta simplesmente liberar corredores e todo espaço para os carros circularem? Isso seria apenas paliativo e momentâneo, voltando a termos o mesmo problema em pouco tempo.

    Na Sertório onde é “liberado” o corredor de ônibus, e mesmo assim as filas em todas as pistas chegam a 3 km (da Assis Brasil até os correios da Sertório) e ainda atrapalham a livre circulação dos ônibus prejudicando a boa fluidez dos ônibus que estão com mais de 60 pessoas por conta de alguns carros que estão com SOMENTE 1 ou 2 pessoas.

    Desculpe, mas não adianta alargar as ruas, investir milhões e milhões de reais preciosos para a área de educação e saúde, para que daqui poucos anos estejamos enfrentando mais uma vez o mesmo problema devido a um uso desenfreado e irrarcional dos veículos particulares.

    Claro, devem haver melhorias nos transportes públicos e espero ver isso para que as pessoas pensem em deixar os carros em casa e utilizem o ônibus, táxi, lotação e trem, ou quem sabe fazer parcerias e compartilhamento de caronas.

    TODOS GANHAM

    Curtir

  7. Corredor de onibus e’ uma estupidez, mas necessario no Brasil. Em Londres ha’ faixas de onibus pintadas no asfalto na cor vermelha (sem barreiras fisicas) e os carros geralmente podem usa-la fora dos horarios das 7-10am e 4-7pm. Digo geralmente porque varia um pouco, ha’ faixas em que nao e’ permitido carros em nenhum horario. Em todas faixas de onibus ha’ cameras, entao se um carro usa a faixa fora do horario permitido e a camera registra tu recebe a multa pelo correio, £60, por isso ninguem usa quando nao pode. No Brasil isso nao funcionaria, primeiro que a maioria do povo e’ estupida e nao ia entender a sinalizacao e os horarios permitidos e, segundo, que nao haveria dinheiro pra comprar cameras e punir os infratores, por isso ninguem obedeceria. Entao, o unico jeito e’ fazer esses corredores mesmo.

    Curtir

    • Ou se a prefeitura comprasse as câmeras logo algum nóia de crack iria roubar ou danificar deliberadamente como “retaliação” por não conseguir roubar.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: