Prefeitura de Salvador anuncia novo modelo de transporte: aeromóvel

São três quilômetros de linha, ligando o bairro da Calçada ao Comércio.

Mesmo sem o metrô de Salvador ter saído do papel, a prefeitura anunciou que o Governo Federal vai investir R$ 90 milhões em um novo tipo de transporte público em Salvador. O aeromóvel.

Pelo projeto, seriam três quilômetros de linha, ligando o bairro da Calçada ao Comércio. O problema é que o único aeromóvel existente no Brasil, está em Porto Alegre, nunca passou da fase de testes e está parado.

Uma linha de teste do aeromóvel foi criada na capital gaúcha em 1983 com apenas duas estações e um quilômetro de extensão. O sistema é movido a ar soprado por ventiladores em um duto que fica nos trilhos colocados sobre torres de concreto elevadas. Os testes provaram que o aeromóvel é rápido, seguro e não polui.

Mas o projeto, desenvolvido e executado pelo engenheiro Oskar Coester, está parado e nunca foi usado como alternativa de transporte público. Atualmente, a única linha comercial de aeromóvel no mundo funciona em Jakarta, capital da Indonésia.

G1 e TV Bahia



Categorias:Aeromóvel

Tags:, ,

22 respostas

  1. Qualquer calçadazinha de rua estreita comporta o aeromóvel, vide as estreitas ruas do Centro de Sidney.

    E com vias e estaçœs ambas pré-fabricadas e portanto de fácil e rápida montagem/instalação, bastaria adquirir os veículos (que são rapidamente fabricados) e teríamos uma solução para ontem. No ano que vem já poderíamos ter inúmeras linhas circulando por dentro das mais diversas regiœs da cidade, inclusive nas ruas internas do centro, e até poderia haver integração com o TRI. A iniciativa privada com certeza adoraria entrar com parceria.

    Poa seria a cidade dos Jetsons, com a população se locomovendo pela cidade pelos ares.

    E uma passagem de um veículo movido a ar é infinitamente mais barata do que um movido à petróleo ou eletricidade e dá para administrar muito melhor os recursos decorrentes das tarifas quando elas podem permanecer estáveis, por se manterem indiferente às constantes altas do petróleo e das tarifas de energia elétrica. É bom para quem administra, que tem um retorno constantemente estável, já que não está engessado sem poder reagir à alta do combustível, e é bom para o usuário, que tem uma tarifa barata e não-sujeita à variaçœs externas.

    Curtir

  2. Londres é muito rica para eu me espelhar, Salvador é muito pobre. Poa é única e não deve ser comparada com nada (sarcasmo).

    Curtir

  3. Porquê não pode ser usado como tranporte de massa? Seattle e Sydnei, só para exemplificar, usam, e os veículos de Seattle já na década de 60, como já mostrei no por aqui, eram gigantes, bem maiores que os bondes elétricos, que ainda precisam se misturar aos carros nas ruas. Mas reconheço que eles também tem seu charme e são bem-vindos.

    Lembrando que as estaçœs dos monorais estrangeiros são simples, pequenas, de fácil instalação – podendo serem pré-fabricadas e acopladas nas vias e se misturam bem ao equipamento urbano, até meio camufladas, não sendo dispendiosas como as faraônicas estaçœs subterrâneas de metrô.

    Já eu quero saber de todas as iniciativas inovadoras pelo mundo, inclusive de Salvador, pois todo e qualquer exemplo pode acrescentar algo se estivermos despidos de preconceitos tolos.

    Quem sabe copiamos uma idéia originalmente nossa e implantamos o aeromóvel antes dos baianos.

    Curtir

  4. Aeromovel nao e’ viavel pra transporte de massa. Se e’ pra investir em transporte nao poluente a solucao ja’ existe ha’ muito tempo e e’ o bonde eletrico, o qual e’ melhor e mais barato que o aeromovel. Este, porem, tem seu espaco tambem em trechos como o do Aeroporto-Trensurb, onde esta e’ a melhor solucao. Outro local onde o aeromovel poderia ser usado seria sobre o Arroio Diluvio pela Ipiranga. Quanto a Salvador nao sei onde, como e quando sera’ construido e, particularmente, nem tenho interesse em saber.

    Curtir

  5. Poderíamos chamarmos de “AirMonorai” na divulgação para o mundo, já que é um monotrilho movido a ar.

    O aeromóvel ainda não foi testado comercialmente em linhas urbanas fora de parques, mas o irmão dele (monorail), movido à eletricidade, já, exitosamente.

    Com a vantagem de que as vias elevadas do aeromóvel e do monorail são pré-fabricadas e, portanto, de fácil e ágil instalação. Já o metrô, que é igualmente válido e bem-vindo, demora décadas na sua completa escavação de toda a extensão de suas vias, e à um custo estratosfericamente bem maior.

    Curtir

  6. “…e o que vamos ter vai ser a implantação da avenida Tronco, que devia estar pronta para a copa.”

    Eu acho que não vamos ter a Tronco. Nem antes, nem depois da Copa. É um palpite.

    Curtir

  7. É totalmente inaceitável que nossa cidade, que foi a metrópole incubadora de um projeto tão arrojado e original como o aeromóvel, vá perder a vanguarda de inaugurar a primeira linha urbana regular de transporte de massa do referido modal de transporte no Brasil, uma idéia genuinamente gaúcha e porto-alegrense.

    E vejam que ironia, novamente perderemos algo para a “favelizada” Bahia da Ford.

    E a linha do aeromóvel do aeroporto não conta para esse fim vanguardista e ineditista de transporte urbano, pois não circulará pelas vias da cidade, será apenas uma ligação aeroporto-trensurb, o que nos coloca no máximo como vanguardistas em acesso aeroportuário.

    Sepois não adiante chorarmos quando a Curitiba das estações tubo for substituídas pela Salvador do não-poluente e amigo da natureza modal movido a ar. Já estou vendo os jornais estrangeiros, como a BBC e NYTimes, comentado que os irreverentes e boa-vidas baianos criaram um meio de transporte inovador e não-poluente, totalmente ecologicamente correto, já que movido a ar. Acabarão levando a fama. E será mundial, já que o aeromóvel de Jakarta circula dentro de um parque.

    Curtir

    • É uma vergonha mesmo. A propósito: se Jacarta tem um aeromóvel turístico num parque chega a ser vergonhoso não haver um na Redenção, por exemplo.

      Curtir

      • Uma época queriam botar um trenzinho lá… haha

        Curtir

        • Eu lembro que em 2000 cheguei a andar num carrinho elétrico com reboque na Redenção, como aquele que usam na rodoviária mas com mais bancos e um reboque para levar mais passageiros.

          Curtir

  8. Não Luis… vão querer fazer aqui, mas vão dizer que o turbilhão do aromóvel altera os ventos da cidade, e os trens enfeiam o gasômetro. No final, vamos ficar 30 anos discutindo e o que vamos ter vai ser a implantação da avenida Tronco, que devia estar pronta para a copa.

    Curtir

  9. Garanto que vai acontecer o seguinte. Primeiro outras cidades vão ter o aeromóvel como transporte e depois POA vai começar a pensar na idéia de aumentar a linha do centro e faze-la funcionar definitivamente… porque aqui tudo demora…

    Curtir

  10. Que bom que eles tem políticos que além de roubar conseguem trazer algo para a cidade, hein?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: