Vereadores debatem espera máxima de 10 minutos para ônibus da Capital

Proposta quer diminuir lotação dos veículos nos horários de pico

A Câmara de Vereadores iniciou os debates, nesta quarta-feira,  sobre um projeto que define a espera máxima de 10 minutos no horário de pico para os ônibus de Porto Alegre. O texto, dos vereadores Pedro Ruas e Fernanda Melchionna, do PSOL prevê esse limite para todas as linhas, entre 6h30min até 8h30min, e das 17h às 19h.

Nos demais horários, a espera poderá subir para 20 minutos. Com a proposta, Ruas e Fernanda definem mais qualidade ao atendimento dos usuários do transporte coletivo. “É preciso diminuir o tempo de espera nas filas das paradas de ônibus de nossa cidade, incentivando o aumento do número de viagens das linhas de ônibus já existentes”, argumentam os vereadores sobre a mobilidade urbana.

Eles acreditam que a medida vai reduzir a lotação dos veículos e facilitar a organização dos usuários, com o menor tempo de espera. A Câmara discutirá se há necessidade de compensações para as empresas, viabilidade e necessidades de adaptação.

Correio do Povo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

18 respostas

  1. Boa proposta dos vereadores do PSOL. Certeza que boa parte dos problemas de atraso dos ônibus é por decisão das empresas em segurar os veículos e não botá-los na rua. Agora, se verão obrigadas a prestarem um bom serviço por força de lei.

    Curtir

    • Não entendi, foi uma ironia isso?

      Curtir

    • É como se os supermercados colocassem menos caixa funcionado, só para gerar filas e irritar os consumidores.

      Curtir

    • Bem, eu tenho a impressão que o BIG faz exatamente isso com os clientes, mas pode ser neurose 😀

      Curtir

      • Os supermercados da rede Walmart fazem isso por avareza mesmo, para não ter que contratar mais operadores de caixa e empacotadores. No caso dos ônibus o problema me parece estar mais ligado ao uso de veículos inadequados à demanda de algumas rotas. Chega a ser cômico ver uma quantidade tão pequena de ônibus articulados (ou mesmo aqueles “trucados” de 15 metros), de maior capacidade, circulando pelos corredores.

        Curtir

        • “Os supermercados da rede Walmart fazem isso por avareza mesmo, para não ter que contratar mais operadores de caixa e empacotadores.”

          E está correto. Empresa se administra com seriedade e não com oba oba. Não é a troco de nada que a Wal Mart é a maior rede de supermercados do mundo. Só quem tem uma empresa sabe onde aperta o sapato. Não tem nada de avareza, ilegalidade nem imoralidade amigo. A Wal Mart emprega centenas de milhares de pessoas…todas livres pra pedir demissão e procurar emprego em outro lugar. O choro é livre…e o recalque continua rondando.

          Curtir

          • Seriedade é uma coisa, mas às vezes haja paciência para enfrentar fila no Nacional… Não que o Zaffari/Bourbon nunca tenha esse problema, mas o atendimento nos caixas costuma ser mais ágil. E o consumidor às vezes acaba preferindo pagar um pouco a mais para não ficar tanto tempo “preso” numa fila ou, no caso dos ônibus, andando em pé igual gado a caminho do abatedouro…

            Curtir

  2. Grande post, Giba. O contraste entre a Neverland’s coast e as demais ficou uma delícia. O nosso off shore é mais off que o dos outros.

    Curtir

  3. Metrô por tudo não é uma possibilidade. Faixas exclusivas de ônibus nas principais deveriam ajudar (não digo resolver) também, mas o pessoal quer é tranqueira mesmo.

    Curtir

    • Os corredores de ônibus já existem nas principais avenidas da cidade e, mesmo assim, os horários dos ônibus são incontroláveis.

      Curtir

      • Engraçado, a Ipiranga, Pe Cacique, Goethe, 24 de outubro, etc tem faixas? Ah, nenhum ônibus importante passa lá né…

        Curtir

        • A questão é: as pessoas que usam o transporte coletivo nessas avenidas que citastes, onde não tem corredor segregado, se deslocam com mais ou menos dificuldade das que usam o ônibus com corredores exclusivos?

          Curtir

        • Como eu te disse, eu ia de ônibus quando trabalha na PUC por que era a opção mais rápida de transporte. O que tinha de diferente nesta rota? Corredor segregado, um carro a menos poluindo (o meu).

          Curtir

        • Na 24, considerando uma linha importante, passa pelo menos o 520. Eu até já peguei o 520 em horário de pico e nunca me incomodei, mas é óbvio que eu seria favorável ao uso de veículos mais adequados a padrões de acessibilidade para deficientes físicos, considerando que passa próximo a hospitais. Me lembro que em Florianópolis uma linha de ônibus que tinha uma parada próxima a 2 hospitais e ainda passava em frente a outro de igual importância só operava com ônibus adaptados.

          Curtir

  4. Não tem como, os onibus saem acho que de 15 em 15 minutos, mas as avenidas trancadas trancam tudo, não tem o que fazer
    Só um metrô pra resolver mesmo..

    Curtir

  5. Se querem transporte público regulares de 10 em 10 minutos ou 5 em 5 minutos, implantem linhas de METRÔ por toda cidade. Em qualquer outro sistema de transporte coletivo é impossível estabelecer um tempo de espera máximo.

    Curtir

  6. Exato, em horários de pico é impossível garantir o tempo sem pistas exclusivas para ônibus (em toda rota).

    Curtir

  7. Ok, ideia legal, mas no horário de pico o trânsito já esta engarrafado e isso é uma grande fonte de atrasos. Daí vem a pergunta, será que o aumento do número de ônibus vai resolver o problema?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: