Para o turista, é difícil se orientar em Porto Alegre

Prefeitura promete investir R$ 1,4 mi em sinalização turística até a Copa

O alemão Raphael Reklats usa um mapa para se guiar em Porto Alegre - Foto: Alexandre de Santi/Portal 2014

Como a maioria das cidades brasileiras, Porto Alegre deixa a desejar quando o assunto é a recepção ao turista. Embora a cidade receba mais de 1 milhão de visitantes ao ano, a sinalização das rotas e pontos de interesse ainda é insuficiente.

Mas, de olho na preparação da cidade para receber bem o turista da Copa de 2014, a Secretaria Municipal de Turismo vem desenvolvento três projetos, já em fase de elaboração de editais para licitação, de melhoria da sinalização.

Norton Lenhart, presidente do conselho curador do Porto Alegre Convention & Visitors Bureau, acredita que a capital gaúcha não está entre os piores casos do país, mas precisa de melhorias. “Na verdade, ainda temos que evoluir bastante. Se o visitante está sozinho e não possui ninguém para orientar, ele passa um pouco de trabalho. Porto Alegre ainda está se preparando para os eventos importantes”, diz Lenhart.

Visitantes como o alemão Raphael Reklats, de 21 anos, que está em Porto Alegre desde o início de março, reclamam da sinalização. “Quase não vi placas na cidade. Quando quero ir a algum lugar e não sei onde fica, acabo perguntando para as pessoas na rua”, afirma.

Reklats também apela para os mapas virtuais. Para chegar ao local da entrevista, um importante ponto turístico da capital gaúcha, o estudante de Ciências da Computação localizou o endereço na internet. No entanto, precisou complementar as informações com orientações de pedestres, já que não havia indicação de direção.

Sinalização na prancheta

O secretário municipal de Turismo de Porto Alegre, Luiz Fernando Moraes, admite a necessidade de ampliar a sinalização na cidade. E informa que há três projetos na prancheta da secretaria, destinados ao bairro central, onde se localizam os principais pontos turísticos, e às vias de acesso à cidade.

O primeiro projeto prevê a instalação de 141 placas indicativas a pedestres de 51 pontos turísticos do centro histórico. Museus, centros de cultura e teatros serão mais facilmente reconhecidos a partir da iniciativa. “A sinalização do centro histórico é a fase mais importante, porque é o principal ponto turístico da cidade”, fala Moraes.

Paralelamente a isso, a sinalização viária também está sendo planejada. “Serão 59 placas no centro, totalizando um investimento de R$ 600 mil”, afirma o secretário. As principais ruas do bairro, como as avenidas João Pessoa e Farrapos, ganharão nova identificação.

O terceiro projeto em andamento prevê a instalação de quatro pórticos de boas-vindas nas entradas de Porto Alegre. Os visitantes que chegarem pelas BRs 116 e 101, Viamão ou avenida Castelo Branco serão recepcionados por placas indicativas. Juntos, os três projetos devem representar um investimento de cerca de R$ 1,4 milhão.

Todas as placas terão versões em português e inglês. Porém o espanhol, idioma falado por uruguaios e argentinos, os estrangeiros mais próximos do Rio Grande do Sul, não foi contemplado. Para o dirigente do Porto Alegre Convention & Visitors Bureau, a ausência desta língua ainda é um ponto a ser discutido.

“Pela proximidade com o Uruguai e a Argentina, achamos que quem fala espanhol também entende o português. Mas não é bem assim. Se vai fazer em inglês, por que já não colocar as informações em espanhol? Seria o ideal, já que atingiremos o maior grupo de turistas de Porto Alegre”, diz Lenhart.

Já o secretário de turismo Moraes afirma que o acréscimo de um terceiro idioma aumentaria bastante o custo das placas, provocando o adiamento da instalação da sinalização.

Bairros turísticos fora do eixo aeroporto-centro, como o Moinhos de Vento e a Cidade Baixa, não serão contemplados neste primeiro momento. O secretário afirma que estas regiões ganharão atenção mais adiante.

“Depois vamos analisar onde mais precisa. Pretendemos sinalizar a orla até os caminhos rurais –essa rota já foi sinalizada a partir do centro em 2009. O caminho Centro-Estádio Beira-Rio também precisa de atenção especial, mas esses são projetos menores, complementares aos três primeiros citados.”

Mapas digitais

O dirigente do Convention & Visitors Bureau também alerta para a necessidade de atualizar mapas digitais utilizados por aparelhos de GPS. “O turista olha no mapa, mas as mãos das vias indicadas já podem ter mudado. Muitos estrangeiros vêm de carro da Argentina e Uruguai e se guiam por esses equipamentos”, diz Lenhart. A iniciativa, nesse caso, depende do setor privado.

A alternativa para o visitante, nesses casos, é passar em um dos cinco centros de informações turísticas e solicitar um mapa da capital gaúcha. Nele não estão indicadas os sentidos das ruas, mas já é uma boa ajuda.

Portal 2014 – Matéria de Alexandre de Santi – Porto Alegre

_________________________________

Eu tenho uma briga histórica com quem é responsável pelos diversos mapas turísticos de Porto Alegre. Eles simplesmente não mostram a zona sul da cidade. Existe apenas uma seta mostrando pra onde é. Invariavelmente os mapas não tem a zona sul. E nós sabemos que a única parte da orla da cidade que é possível se frequentar é a praia de Ipanema. Por que então não mostrar ? Por que não tem nada pra ver lá ?

Mapas: SEM A ZONA SUL

_________________________________________

Olhem um post que fiz no endereço antigo do Blog, em 29/10/2007:

OS MAPAS DA CIDADE – PARTE II

Como eu já comentava aqui no dia 2 de outubro sobre os mapas turísticos incompletos da cidade, resolvi ir no novo SAT da Secretaria de Turismo de Porto Alegre, no Mercado Público, para visitar as instalações.

Qual não é a minha surpresa, lá existe um mapa na parede, recentemente confeccionado, exatamente da forma como eu falava. Sem a zona sul! E mais: sem o bairro Cristal, onde importantes empreendimentos de cunho turístico/cultural estão em construção!!! O Museu Ibere Camargo e o BarraShoppingSul.

Neste mapa, a cidade vai até o Estádio Beira Rio!

Veja a foto que eu mesmo tirei na sexta-feira, dia 26/10.

SAT - Mercado Público - 26/10/2007 Foto: Gilberto Simon



Categorias:COPA 2014, TURISMO

Tags:, ,

7 respostas

  1. Porto Alegre de fato odeio o Guaíba: faz questão de não integrá-lo à parte central da cidade, enquanto que a parte da orla que está minimamente bem cuidada e atrativa é excluída dos mapas. Vai entender!

    Curtir

  2. O ideal seria termos, em todas as paradas de onibus, mapa da cidade, mapa completo das linhas e horarios em que as linhas passam naquela parada. É disso que o rapaz da alemanha sentiu falta (pois lá é assim no país todo). E ele teve que se virar como qualquer porto alegrense, perguntando para pessoas aleatorias na rua (sorte que ele conseguiu se fazer entender e sorte que não era tarde da noite).

    Estes mapas em todas as paradas nunca vão acontecer, pois seria necessario algum compromentimento das empresas de onibus, e elas pagam bem demais pra isso.

    Acho impressionante que conseguem pensar numa solução de forma tão pontual. Eu cheguei a pensar depois de ler o titulo que teriam que fazer algo que contemplasse a necessidade dos moradores da cidade, mas não deu.

    Curtir

  3. Na cabeça da maioria dos portoalegrenses a zona sul é outra cidade com o mesmo nome de Porto Alegre. Vi uns comentários falando que lá não há tantos pontos de interesse, mas para mim é mais uma vez a cidade esquecendo do rio, pois não sei o que o Partenon e o Três Figueiras (por exemplo) tem para um turista.

    Claro que concordo que nossa orla é uma vergonha, com exceção de Ipanema, mas a Assunção tem um trecho bonito, o próprio Gilberto mencionou o Iberê, etc.

    Curtir

  4. Se até para os moradores é difícil se orientar em POA, imagina para os turista.

    Curtir

  5. Eu acho que Porto Alegre é a única cidade do mundo onde o ônibus que vai tem o mesmo nome que o ônibus que volta! É incrível isso. Como um turista vai saber se a linha “Carlos Gomes” esta indo ou voltando, por examplo?

    Curtir

  6. Eu discordo dessa opinião. Porque o mapa turístico de NY apenas tem Manhattan? Vai dizer que não tem lugares legais para conhecer no Brooklyn?
    Acho que para a escala do mapa e detalhamento, tem que focar onde tem maior número de atrações. Senão fica difícil o entendimento do mapa.

    Curtir

  7. Só os turistas?

    Domingo tive que ir pra zona sul, gastei muuuita gasolina por que não conseguia me achar, não sabia pra onde ir… foi terrivel, um caminho que eu poderia fazer do marinha até la em 30 minutos, demorei mais de uma hora por que me perdi.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: