ARTE URBANA NO DILÚVIO: publicado edital para patrocínio

A partir do dia 27  de junho e até 8 de julho as empresas e produtores culturais, pessoas físicas e jurídicas,  poderão apresentar manifestação de interesse para patrocinar a execução de projetos de arte urbana nos taludes do Arroio Dilúvio, conforme edital publicado ontem no Diário Oficial de Porto Alegre. 

No mesmo período estarão à disposição dos interessados os critérios gerais para o encaminhamento das propostas, na Rua Jerônimo Coelho, 107, 4º andar. O projeto tem por objetivo conservar e valorizar o espaço de cerca de 20 km com trabalhos de arte urbana em pintura e todas as suas formas de expressão.

Prefeitura de Porto Alegre

__________________________________

Lá vem mais um projeto em descompasso com o restante dos projetos. Agora se fala em despoluição e recuperação paisagistíca do Dilúvio, totalmente sem integração com este outro projeto de arte urbana. Até que um dia, aprovam um projeto diferente para o Dilúvio e desconsidera este outro… E assim vai a Prefeitura desencontrada, como sempre…. Tomara que seja algo decente…  pobre Porto Alegre….



Categorias:Outros assuntos

Tags:

26 respostas

  1. “Nesse raciocínio, deveríamos também demolir aquela inutilidade que é o Parque Moinhos de Vento e construir um novo distrito financeiro de fazer inveja à Wall Street?”

    Onde anda a tua visão de planejamento sustentável, Fmobus?

    Com a grana de Wall Street, se constrem uns 10 parques iguais ao Moinhos, muito mais bem cuidados…e ainda sobra grana pra metrô,, aeromóvel, aeroporto e o escambau.
    Um centro financeiro, um shopping, um empreendimento comercial de envergadura não são excludentes com parques, praças, ciclovias e áreas verdes. É isso o que eu quis dizer. Olhe o estado em que está o Mrinha do Brasil. Um lixo! A PMPA não tem grana (nem competância) pra manutenção nem dos banheiros.
    Com a grana gerada pela indústria e comércio, dá pro setor público fazer mais PISAS e mais despoluição do Guaíba e orla. Dá pra bancar mais saneamento básico na cidade.
    Não dá mais pra encarar iniciativa privada e setor público de modo estanque…como se fossem óleo e água. A sinergia entre capital privado e público é essencial para o progresso e desenvolvimento das cidades.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: