Os camelôs estão voltando ao centro

Os camelôs estão invadindo nossa Praça da Alfândega novamente.

O Comitê de Libertação da Praça da Alfândega mandou este e-mail para todos os vereadores:

Email enviado aos vereadores de Porto Alegre

Ilustríssimo vereador
Estamos presenciando a volta de uma praga que acreditávamos estar extinta  em Porto Alegre. Os camelôs estão voltando com força á Praça da Alfandega. Já são 19 bancas instaladas no Largo dos Medeiros .E não estão vendendo artesanato , não. Estão vendendo produtos chineses e outros produtos que concorrem com lojas estabelecidas , mas sem pagar impostos ou aluguel , sem empregar ninguém com carteira assinada, Não podemos deixar isto acontecer. Por isso , um grupo de cidadãos de Porto Alegre  criou o  Comitê de Libertação da Praça da Alfândega com o objetivo de combater estes camelôs ilegais que só fazem mal á cidade. Esta praga  deve ser  contida imediatamente porque tende a crescer e tornar-se um problema muito maior do que já foi no passado.Por isso , precisamos conhecer sua opinião a respeito do assunto e contamos com sua prestigiosa  colaboração para combater esta ilegalidade que esta piorando a cidade em que vivemos.
Visite nosso Blog.
Obrigado
Atenciosamente
Comitê de libertação da Praça da Alfândega
Carlos Frederico Schmaedecke
Coordenador
– O Comitê de Libertação da Praça da Alfândega luta pela saída dos comelôs da Praça da Alfândega de Porto Alegre. Nos últimos meses assistimos a retomada desta atividade ilegal que havia sido extinta mas agora retorna e se reproduz rapidamente. Precisamos devolver a Praça da Alfândega ao povo de Porto Alegre.
Post sugerido por Vitor Diel


Categorias:Outros assuntos

Tags:,

30 respostas

  1. oi.tenho loja no camelodromo,não sou contrabandista porque fabrico minhas proprias roupas,pago meus impostos,pago aluguel e funcionarios,não sou marginal e me sinto muito ofendida com certos comentarios anteriores,NA MINHA OPINIÃO oque gera camelôs é a falta de empregos,o sujeito não tem estudo,não tem experiencia em carteira,tem mulher e filhos para sustentar,conheçe um amigo camelô e ele diz tenho um emprego pra vc ganhar dinheiro rápido,o sujeito vai indo e quando vê ja ta la.NEM TODOS CAMELÔS SÃO MARGINAIS,TEM MUITOS PAIS DE FAMILIA.

    Curtir

  2. Fizeram aquela tremenda poluição visual na cidade(Camelódromo) para nada, e bem na saída do centro da cidade, para enfeiá-la nas recordações dos que deixam a cidade pela Júlio de Castilhos! Logo a cidade estará cheia deles (camelôs e quem sabe novos camelódromos) por todos os lados se a Prefeitura não tomar medidas mais enérgicas!

    Curtir

  3. Tudo bem ser contra camelôs nas praças e largos, mas precisa fazer tanta incitação à violência?

    Curtir

    • Trate-se eles com carinho, então.
      Aqui ninguém está incitando à violência. Eu AFIRMEI que sem puní-los severamente (físicamente e pecuniariamente), eles não vão sair das ruas. É só isso. Se ficarem com peninha, deixa-se tudo como está. Nada muda. É a imutável realidade….sem volteios sociológicos e altruístas.
      Quem burla a lei TEM que ser punido…caso contrário, de nada servem as leis. Não há ordem sem punição…e o cumprimento das leis é diretamente proporcional ao grau de severidade como a lei é fiscalizada.

      Curtir

    • “Contrabandista e contraventor se trata na porrada”
      “Senta a lenha neles”

      Tu acha que isso não é incitar violência? O que é incitação à violência, então? Existe um meio termo sensato entre o que tu propõe e “tratá-los com carinho”, nem 8 nem 80.

      Curtir

      • Não incitei coisa alguma. Disse que sem o uso da força e do rigor da lei, não há ordem. Essa é a minha opinão. Pergunta pro teu pai, o Comissário Gordon, se malandro se trata com afago e cafuné. Até a Batgirl dava uns cascudos nos pilantras.

        Curtir

      • Você é tão contraditório.

        Curtir

  4. Eu até não sou tão radicalmente contra os camelôs, o problema é que como toda atividade informal falta organização. Nunca me incomodei com nenhum desses “profissionais” nem com os produtos que eu já comprei de alguns deles, embora eu não possa negar que alguns são de índole duvidosa.

    Curtir

    • “Nunca me incomodei com nenhum desses “profissionais” nem com os produtos que eu já comprei de alguns deles”

      Viu como eles são bonzinhos! Eu também nunca fui espancado nem esfaqueado por um camelô. Que bela e profunda análise da questão. Povo burro é povo que morre feliz.

      Curtir

      • Nunca ter me incomodado com eles não significa que eu seja totalmente favorável a uma baderna. Era feio aquele amontoado de barracas na praça 15, ruim de passar por lá até, devido ao pouco espaço que sobrava livre, mas eu realmente me incomodo mais com outros problemas da cidade do que com os camelôs.

        Curtir

  5. RicardoUK…Vc querer comparar a praca da Alfandega com Camden Town!?!?….nada a ver!
    Tem que comparar com Trafalgar Square….e tenho certeza que vc jamais viu um camelo por la.

    Curtir

  6. Ninguem devia se preocupar com a merreca que os camelos fazem trabalhando duro sem pagar impostos, e sim com o pessoal das Alfandegas que recebem o deles pra deixar passar tudo que e’ pirataria e artigos ilegais, o resto e’ lambari tentando sustentar a familia honestamente.

    Curtir

    • Eu queria ver a tua opinião se tu tivesses uma loja no centro…pagando funcionários, aluguel caro, impostos altíssimos pra sustentar a máquina pública e ainda por cima, ver a tua fachada coberta por aproveitadores vendendo bugigangas contrabandeadas do Paraguai sem pagar um centavo de imposto e espantando a tua freguesia.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: