Porto Alegre recebe as últimas tubulações do emissário subaquático

Previsão é de que nas próximas semanas sejam instalados os tramos dentro do Guaíba. GUILHERME SANTOS/PMPA/JC

Chegaram a Porto Alegre no início da tarde desta quinta-feira (7) as últimas quatro tubulações do emissário subaquático do Projeto Integrado Socioambiental (Pisa). O prefeito da Capital José Fortunati e o diretor-geral do Dmae, Flávio Presser, acompanhados de líderes comunitários e moradores da região, foram ao canteiro de obras localizado no antigo Estaleiro Só verificar a recepção dos equipamentos que permitirão o transporte dos esgotos desde a Estação de Bombeamento do Cristal (Mirante) até a Estação Serraria, onde serão tratados.

Maior conjunto de obras contratado pela prefeitura nos últimos 40 anos, o Socioambiental tem 65% da execução concluída. No emissário subaquático, 40% das intervenções já foram realizadas. Serão ao todo 22 canos instalados no fundo do lago. Com o término desta operação, em agosto de 2012, o emissário estará pronto para interligar a Estação de Bombeamento Cristal com a Estação Serraria.

Para o prefeito, o Pisa estabelecerá um novo paradigma de qualidade do tratamento do esgoto. “O Socioambiental é antes de tudo uma obra de saúde pública. Investir no saneamento básico é investir na qualidade de vida do cidadão”, disse.

Fortunati exaltou ainda a economia dos recursos públicos que o conjunto de obras representará. “Os cidadãos contarão em casa com água da mesma qualidade já existente hoje, mas os procedimentos empregados pelo Dmae na coleta e no tratamento da água terão custos muito menores”, reforçou o prefeito.

Com a conclusão da ETE Serraria, Porto Alegre será uma das poucas capitais brasileiras com capacidade para tratar o esgoto de 77% da cidade. O esgoto tratado atenderá a todos os padrões de emissão exigidos pelas leis ambientais. Entre os benefícios esperados estão a retomada da balneabilidade do Lago Guaíba, a redução de doenças de veiculação hídrica, melhoria do IDH da população diretamente beneficiada geração de emprego e renda e das habitações para a população que vive às margens do arroio Cavalhada. O esgoto que hoje é lançado na Ponta da Cadeia será conduzido por um emissário até a futura ETE Serraria, onde irá receber tratamento antes de ser lançado no Guaíba.

Cada tubulação do emissário, fabricada na cidade paulista de São Vicente, tem extensão de 515 metros e 1,60 metro de diâmetro. O trabalho diário de montagem dos blocos de ancoragem e dos flanges, e de dragagem do leito do lago, é feito para prepar a instalação dos tramos dentro do Guaíba. Essa operação ocorrerá nas próximas semanas, com o acompanhamento de mergulhadores.

Jornal do Comércio



Categorias:Programa Sócio Ambiental

Tags:,

%d blogueiros gostam disto: