Porto Alegre recebe os primeiros contêineres da coleta de lixo

A previsão é de que os 1,1 mil contêineres estejam na rua até o dia 18 Foto: Francielle Caetano/PMPA

A Praça Marechal Deodoro (Matriz) foi escolhida pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) para ser o cenário da implantação dos primeiros contêineres da nova coleta automatizada de lixo orgânico domiciliar. Nesta terça-feira, 12, às 9h30, o prefeito José Fortunati e o diretor-geral do DMLU, Mário Moncks, estarão junto à rua Jerônimo Coelho para marcar oficialmente o início do trabalho, que se entenderá até o final da semana a um ritmo médio de 200 contêineres por noite. A previsão é de que os 1,1 mil contêineres estejam na rua até a segunda-feira da semana que vem, dia 18.

“A partir da colocação dos contêineres o uso passa a ser imediato, 24 horas à disposição. Em menos de uma semana a área-piloto estará completamente equipada e, com certeza, muito rápido teremos um outro visual do Centro Histórico e dos 12 bairros que, total ou parcialmente, compõem a primeira região da cidade contemplada com essa modernização”, ressalta Moncks.

Trabalhando basicamente à noite, para atrapalhar menos o trânsito e encontrar os locais sem a ocupação de automóveis, o DMLU terá o apoio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para instalar os contêineres que, na sua maioria, ficarão estacionados em via pública, ocupando o espaço de um carro de médio porte. A ordem dos locais de instalação tem como ponto de partida a Usina do Gasômetros e será orientada por cada um dos dez roteiros da coleta domiciliar atual na região. Dessa forma, a coleta domiciliar atual será desativada por setores a cada dia.

Durante esta semana, onde estiverem sendo colocados contêineres, uma equipe da  Assessoria Comunitária do DMLU estará presente divulgando detalhes dos novos equipamentos, distribuindo informativos, conversando e esclarecendo os moradores e a população em geral. Nenhum contêiner ficará a mais de 100 metros de outro, de modo que ninguém precisará andar mais do que 50 metros para descartar o lixo orgânico. Atenção: coleta seletiva não está incluída na mudança. Por ser nacionalmente reconhecida como exemplo e ter características muito específicas, a coleta seletiva continuará sendo feita como é hoje, duas vezes por semana em todos os bairros da cidade e fora dos contêineres.

A coleta automatizada será implantada em cinco bairros (Centro Histórico, Independência, Bom Fim, Cidade Baixa e Farroupilha), e em parte de outros oito bairros (Praia de Belas, Menino Deus, Azenha, Rio Branco, Santana, Santa Cecília, Moinhos de Vento e Floresta), numa área limitada pelo Guaíba a oeste, pela avenida Ipiranga a sul, pelas avenidas Silva Só, Goethe e Dr. Timóteo a leste e, a norte, por um contorno que da Dr. Timóteo seguirá pela Cristóvão Colombo até a Ramiro Barcelos e desta Voluntários da Pátria até a Mauá.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

8 respostas

  1. Achei um bom começo. Mas, precisaremos de muitas palestras nas comunidades para concientizar as pessoas da importância da separação do lixo orgânico do reciclável.

    Curtir

  2. Eu não posso acreditar que não vá haver coleta seletiva mecanizada! Sério, não dá pra fazer um projeto completo uma só vez? É a repetição do Sócioambiental: parecia que ia resolver os problemas de tratamento de esgoto até descobrirmos que vai cobrir só 70% de 70% de alguns bairros ou algo do gênero…
    A prefeitura é cega? É só olhar pelas ruas, para perceber os pedaços de papel e plástico emporcalhando praças, canteiros, calçadas e meio-fios. Não são folhas e material orgânico que entopem boeiros e se acumulam dentro do Dilúvio, são sacolas, papelões…
    Eu entendo que muitas pessoas dependem da reciclagem para sobreviver, mas basta propiciar a esses catadores vagas de trabalho em centros de reciclagem, oferecer a eles novas e mais dignas oportunidades. A coleta precisa melhor e não causar a sujeira que hoje causa na cidade.

    Curtir

  3. como assim a coleta seletiva “Por ser nacionalmente reconhecida como exemplo”…? ela não passa na minha rua. passa nas duas laterais. os coletores passam pelas duas esquinas de minha rua que é pequena, de apenas uma quadra (longa) e não entram aqui, apesar de ser ocupada por vários prédios residenciais que TENTAM contribuir, e colocam o lixo seco no horário indicado. depois de passar horas, preciso recolhê-lo novamente para dentro de casa, sem saber o que fazer com ele e os prédios vizinhos passam pelo mesmo problema.
    eu, sinceramente, esperava que a coleta seletiva NÃO CONTINUASSE a ser como é. eu não me importaria em caminhar até a esquina para despejá-lo em um contêiner, sabendo que ele seria recolhido. mas temo por deixá-lo na esquina, em frente a outros edifícios, sem saber se a coleta já passou e se será recolhido ou se ficará lá, novamente, abandonado.
    mais de uma vez já foram feitas reclamações por telefone e através do site/e-mail do DMLU. as respostas vem, durante uma ou duas semanas eles passam em frente ao prédio inclusive gritando pelo nosso nome ou chamando no porteiro, como se realmente tivessem sido chamados atenção para recolher o lixo. mas está correto isso? será mesmo preciso chamar pelo nome? e como nem sempre há o que recolher ou sequer estamos em casa, eles desistem e na semana seguinte já retornam ao itinerário antigo.

    tenho minhas dúvidas quanto à substituição da mão de obra no emprego de contêineres, o que até agora não foi abordado. mesmo assim pergunto: onde estão os contêineres que farão a coleta seletiva?

    Curtir

  4. Por aqui ainda tem gente que acha que ser catador de lixo é uma questão de empregabilidade. Enquanto isso, continuamos emporcalhando as ruas e importando pedreiros do norte do país.

    Curtir

  5. pooo, pensei que ia ter coleta seletiva.
    Ai é fogo, como que vão evitar a sujeira deixada pelos carroceiros e catadores assim?
    Não vai mudar em nada….

    lamentavel.

    Curtir

  6. Marcelo, infelizmente teremos pessoas que irão misturar o reciclável no contêiner do orgânico. Ou pior, ficará no chão como sempre… Acho ótimo o serviço, mas é falho desde o principio básico. Por que Caxias do Sul consegue ter dois contêineres (orgânico e reciclável) e Porto Alegre não?

    Curtir

  7. Valeu, mas infelizmente é só para lixo orgânico, o lixo reciclável continuará a ser revirado e espalhado pela cidade.

    Curtir

    • Pelo menos é um primeiro passo. Será bom desde que os outros passos sejam dados logo ali adiante. Aliás, existe um lei que proibirá a circulação de carroceiros e carrinheiros em Porto Alegre em 8 anos (desde a lei). Se nesse prazo consolidarmos o uso de conteineres para o lixo comum, podemos adotar o mesmo sistema para o lixo seco.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: