Brizola é um viaduto que não funciona

Eduardo Tessler

De Porto Alegre (RS)

Viaduto Leonel Brizola. Eduardo Tessler

O engenheiro Leonel de Moura Brizola deixou um legado gigantesco na política brasileira. No Rio Grande do Sul, então – seu Estado natal -, nem se fale. A sombra do ex-governador ainda está presente nos corredores das instituições públicas e pela ruas de Porto Alegre.

No dia 27 de agosto comemora-se 50 anos do maior ato de resistência e civismo que se tem notícia na história recente do Brasil: a Cadeia da Legalidade. Durante 10 dias o então governador Brizola entrincheirou-se no Palácio Piratini e de lá comandou uma rede de rádios, defendendo o que estava previsto na constituição. O presidente Jânio Quadros havia renunciado ao mandato e a lei garantia ao vice, João Goulart (cunhado de Brizola), a posse. Mas as oligarquias preferiam uma nova eleição a ver um simpatizante das políticas de esquerda no poder.

A Legalidade venceu e o Brasil cumpriu o que dizia a Lei. Jango virou presidente, até o golpe de 64.

Brizola morreu em 2004. Em Porto Alegre há um viaduto com o seu nome, a poucos passos do Laçador, estátua símbolo da cidade. Pelo viaduto Leonel Brizola passam carros entrando e saindo da cidade, mas…há um semáforo no viaduto! Sim, um semáforo que castiga com a insistente luz vermelha os motoristas que tentam vir do aeroporto para os bairros residenciais.

A inteligência de trânsito de Porto Alegre conseguiu criar o primeiro viaduto do mundo em que o fluxo de carros não é contínuo. Por um erro de projeto – ou economia de última hora – duas avenidas se cruzam por baixo e não estão contempladas nas alças de acesso. A solução foi colocar um semáforo, que provoca engarrafamentos contínuos.

Leonel Brizola não merecia tamanho absurdo. O trânsito provocado pelo sinal vermelho faz com que o tempo para percorrer a distância do aeroporto até o bairro Bela Vista ou Petrópolis tenha triplicado. Os táxis reclamam, o turista reclama, o porto-alegrense reclama.

E a culpa por tamanho absurdo, para quem não conhece a história, parece ser de Leonel Brizola, o nome do viaduto inútil.

Pelo menos esse erro não foi de Brizola.

Terra Magazine – por Bob Fernandes

Eduardo Tessler é jornalista e consultor de empresas de comunicação. Edita o blog Mídia Mundo



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

13 respostas

  1. Esse descobriu a América… hehe

    Curtir

  2. Enquanto o viaduto está vazio, pois leva do nada a lugar nenhum, há congestionamento entre a Av. dos Estados e a Ceará.
    E sempre tem um azulzinho ali pra multar……
    Uma coisa que poucos sabem, o viaduto Leonel Brizola corta a rampa de aproximação por instrumentos de aviões, e IMPEDE a instalação do ILS cat 2 no aeroporto (para diminuir o fechamento nos dias de neblina). Se não fosse ele, já teríamos o ILS-2, agora tem que esperar o aumento da pista pra conseguir instalar.

    Curtir

  3. O viaduto da Nilo Peçanha também tem uma sinaleira de pedestre porque não puseram uma passarela?

    Curtir

  4. faz parte, nem sempre é possível deixar o fluxo livre em todos os sentidos. isso é normal.
    mas só para complementar, a prefeitura pretende construir uma passagem de nível (eu acho que é um túnel por baixo) no cruzamento com a farrapos, vide obras para copa 2014, é esperar pra ver

    Curtir

  5. Outra coisa que não entendo… pq não liberam a conversão livre a direita?

    Nos EUA na Califórnia, mas acredito que em outros estados tbm, em um cruzamento com semáforo por definição a conversão a direita é livre bastando verificar se não vem carro à esquerda (como se fosse um cruzamento com uma rua preferencia sem semáforo). Desta forma, a sinaleira seria apenas para quem vai cruzar a rua, e não para que apenas vai dobrar.

    Isto agilizaria um monte o transito…

    Curtir

  6. Na boa… precisavam tanto assim puxar o saco do Brisola?

    Curtir

  7. Demora-se uma barbaridade para decidir quanto à necessidade de um viaduto, mais alguns anos entre projeto, licitação e construção. E depos de todos esses anos, e para espanto de todos, o viaduto foi mal projetado, ou já nasceu com a capacidade esgotada e pior, não resolveu o maior problema daquele local que á justamente o cruzamento entre duas vias principais de acesso à cidade para quem vem da grande Porto Alegre. Dá vontade de olhar e chorar….de raiva

    Curtir

  8. Viaduto com semáforo em baixo é marca registrada de Porto Alegre. Vide viaduto da Obirici, na Assis Brasil, zona Norte da Capital.

    Curtir

    • Não são os únicos viadutos de Porto Alegre “premiados” com semáforo…O da João Pessoa também. Na mesma cidade, deve ser um novo recorde p/Guinness Book!

      Curtir

      • Porto Alegre está no Guinnes Book com sinaleiras… Dizem que é record mundial as 72 que existem, em cada sentido, nos menos de 15km da mais nova perimetral, que só veio atrapalhar o trânsido, antes, se fazia muito mais rapido os 15km entre a Eduardo Prado e o Aeroporto… Quem planeja o trânsito?
        Servidores que obedecem o interesse de suas chefias.
        Quem manda?
        Políticos que querem aumentar a arrecadação a fim de terem bastante dinheiro para obras…
        Antigamente, havia um PF (por fora) e sempre ouvi que chegava a 10%.
        Eu já achava muito, pois ganhar 10% de uma obra (cara) sem fazer nada?!?!?!
        Pois inflacionou a corrupção:
        Ouvi 30% nas obras do Pan2007.
        Contudo, tudo indica, esse record será batido na Copa2014 e Jogos2016.
        Tanto que os Deputados Federais aprovaram uma lei imposdo “silencio” nos gastos!

        Isso se liga a não efetividade da Justiça.
        Trevas armadas pelas corporações mancomunados aos corruptos, que não querem efetividade do poder judiciário:

        Qual é o mais forte fator, ao qual se rende QUALQUER EMPRESÁRIO, pagando o PF (por fora)?
        Imagina:
        O fornecedor de bem ou de serviços, chega, para receber e lhe dizem:
        Cadê o PF?
        Senão pagar o PF, e tu quiseres receber, entra na Justiça para procurar teus direitos?…
        Obviamente que a empresa vai quebrar, se esperar pelo Poder Judiciário onde – só para o processo iniciar, com a citação do Estado, pode levar dois anos! Ai, ao fim e ao cabo, depois de todos recursos (e o poder público recorre quase sempre), entra na fila do precatório…

        O constante CONGESTIONAMENTO de trânsito provoca um enorme desperdício de combustíveis.
        Sem os congestionamentos, haveria uma sensível redução das receitas de impostos sobe os combustíveis!
        Pior:
        Sem os congestionamentos, as pessoas ficariam menos irritadas, e haveria menos acidentes (nos quais o poder público fatura nos impostos sobre peças e serviços).
        Alô!
        Acorda Porto Alegre: http://blogln.ning.com/forum/topics/cultura-da-superficialidade-e/

        Curtir

  9. hmmm então não sou só eu que nunca entendeu aquilo! haha

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: