O prefeito tá certo. Mas tem sempre um mas…

O nosso prefeito de Porto Alegre, José Alberto Fortunati, está fazendo a coisa certa. Perfeito.

Já que a cidade vai ser uma das sedes da Copa do Mundo, nada como não aproveitar a chance de fazer ainda mais – obras viárias, saneamento básico, cais Mauá, ampliação do aeroporto e de hospitais, metrô entre outras de menor porte. Ainda não li nada sobre a melhoria de pontos turísticos, como tornar civilizados o Belvedere de Santa Teresa e a tal da “orla do Guaíba”.

Tudo tem o seu tempo.

—–

Fico pensando no sorteio das chaves da Copa. Imagine se Porto Alegre é “contenplada” com quatro seleções de segunda ou terceira linha. Imagine, assim, sem critério: Moçambique, Sérvia, Equador e El Salvador. Já imaginou o azar? Lógico que a infraestrutura tem que ser perfeita, mas duvido muito que turistas invadam a capital gaúcha. Quatro países desse quilate, sei lá, mas não vem quase ninguém, a não ser os aspones da própria Fifa e CBF. Alguns jornalistas, tal e coisa, mas nada excepcional.

Aí leio sempre que estão sendo planejados e construídos hotéis e mais hotéis para Porto Alegre e região.

Hoje, a taxa de ocupação da rede hoteleira mensal fica em torno de 50 por cento. Com variações, é claro, mas esta é a média.

Aí o que vão fazer com estes novo hotéis?

—–

Ontem recebi uma matéria da France Presse.

Dá uma olhada:

Por falta de hóspedes, os hotéis sul-africanos estão tendo problemas para enfrentar a temporada de inverno, um ano após a Copa do Mundo sediada pelo país. Muitos estabelecimentos fizeram importantes investimentos para o evento na época.

A taxa de ocupação (TBI) informada pelo Conselho da Indústria Turística da África do Sul (TBCSA, na sigla em inglês), estava em 74,5% no segundo trimestre do ano. A previsão era de 94%.

“O último índice TBI confirma o que observamos no dia a dia”, lamenta Mmatsatsi Marobe, diretora-geral do conselho do setor.

Enquanto muitos hotéis baixaram os preços para tentar contornar a situação – especialmente na Cidade do Cabo, capital turística que está vazia neste inverno – um dos grandes hotéis de Johannesburgo recentemente anunciou que fechará as portas no final de agosto.

“O hotel sofreu uma drástica redução no número de turistas, tanto estrangeiros quanto locais. A queda foi ainda maior em relação aos visitantes a negócios”, revela o grupo Hyprop, proprietário do Grace Hotel.

Entre as causas, ele destaca principalmente “as pressões contínuas da recessão mundial, que afeta negativamente a indústria do turismo sul-africano”.

“Pensávamos que, após o Mundial [que aconteceu de junho a julho de 2010] teríamos um aumento no número de turistas. Mas as dificuldades econômicas continuam, não temos tantos turistas como esperávamos”, explica Marobe.

“Os estrangeiros não visitam o país e os empresários locais tomam o último avião ao invés de passar a noite em um hotel”, analisou Marobe, destacando que os estabelecimentos mais modestos também são vítimas da tendência.

MAIS OFERTA

Marobe afirma ainda que a a situação se agravou porque, para o Mundial, foi ampliada a oferta hoteleira no país, aumentando a concorrência.

De acordo com um estudo de uma empresa especializado, a capacidade hoteleira aumentou em 17,4% entre 2007 e 2010 na África do Sul, com 28,5% para os de cinco estrelas e 19,7% para os de quatro.

Os hotéis também tiveram que enfrentar nos últimos meses um aumento nos gastos devido aos salários de seus funcionários, na eletricidade e nos impostos municipais.

A previsão não aponta números para 2011, mas as perspectivas do turismo, que representa 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, não são muito positivas, ainda que o ministro da área, Marthinus Van Schalwyk, se mostre otimista.

“Temos como objetivo aumentar o número de visitantes estrangeiros. Em 2009 foram 7 milhões e esperamos que em 2020 chegue a 15 milhões”, afirmou Van Schalwyk, em uma recente coletiva de imprensa na Cidade do Cabo.

Ele espera ainda que, até o final deste ano, cerca de 18 milhões de sul-africanos escolham viajar pelo país. Em 2009 este número foi de 14,6 milhões.

O governo também espera que o setor de turismo arrecade 499 bilhões de rands por ano (R$ 113 bilhões) para a economia do país. Caso este valor seja alcançado, ele irá gerar 225 mil empregos no setor.

Van Schalwyk pretende sobretudo fortalecer o turismo de negócios, um setor que, em sua opinião, é muito importante para combater os problemas da sazonalidade, que geralmente marca o turismo de lazer no país.

Outras alternativas apontam para a diversificação, a promoção do turismo desportivo, ecológico e gastronômico: a Cidade do Cabo, por exemplo, tem previsto para setembro de 2012 seu primeiro salão dedicado ao turismo do vinho.

Do Blog do José Luiz Prévidi



Categorias:COPA 2014, Rede Hoteleira, TURISMO

Tags:, , , ,

12 respostas

  1. O mesmo absurdo estão fazendo em Belo Horizonte, Estão ampliando a rede hoteleira absurdamente.

    Os unicos beneficiados são as construtoras que estão vendendo para os clientes que estão mal informados sobre a situação de mercado pós copa.

    Atualmente a taxa de ocupação é proxima de 70% , sei pois tenho varias unidades, agora imagina o desastre que vai ser após esta ampliação absurda de mais de 50% so na classse economica alem da classe 4 e 5 estrelas, são mais de 20 Hoteis que serão inaugurados.

    Não comprem é fria.

    Curtir

  2. Perfeito ele será só quando demonstrar que está interessado na construção do Teatro da OSPA!

    Curtir

  3. Temos a original cultura gaúcha, temos um centro imponente em rara escala no país… e uma ORLA ESPETACULAR com baias, enseadas, pínsulas, ilhas, altos morros, mirantes, fazendo da beleza natural de Porto Alere poder ser comparaa com a do Rio de Janeiro ou Florianópolis, tranquilamente.

    Se Porto Alegre aprendesse como Gramado como ter turismo… nem parece que essas duas cidades são do mesmo Estado: uma, um sucesso no turismo, invejadas, ousada, competente, criativa, limpa…. a outra, não aproveitada, com mentalidade retrógrada, parada, jogada.

    Curtir

  4. Eu concordo com o Guilherme. Acho q o maior beneficiado com a Copa será o Rio de Janeiro mesmo, é a única das sedes que tem atrativos de sobra, que fariam um turista voltar mais adiante (e certamente voltará devido às Olimpíadas de 2016). Vi uma estatística que 60% dos turistas estrangeiros que vem ao Brasil têm como destino a capital fluminense.

    Curtir

  5. Olha, posso até estar errado, mas Porto Alegre já recebe bom número de visitas para turismo e eventos, agora imagina ela mais arrumadinha, com a lenda Urbana “orla do Guaiba” pronta, com lugares limpos, pintados e outras opções que poderão surgir graças a copa, e sem contar a proximidade com paises da América do Sul, é um total diferencial a cidade do Cabo. Isso sem falar em nossa gastronomia (churrasco), a nossa hospitalidade étnica(decendentes de vários países) assim como a nossa hospitalidade.

    Curtir

  6. Muitas coisas terão que ser feitas em Porto Alegre para que a demanda continue alta após a Copa. O principal seria a Revitalização da Orla, do cais e o do Morro Santa Tereza. Um Centro de Convenções de grande porte deverá ser construído também.

    Curtir

  7. uma vez li que, dada a proximidade com a argentina, porto alegre sediaria os jogos do grupo em que os hermanos fossem cabeça-de-chave (caso eles se classifiquem para a copa, claro!). não sei se isso faz algum sentido.

    Curtir

  8. Poizé, mas não temos o que apresentar, só os jogos durante a copa, mas, e depois?

    NAAAAAAAAADA….

    Não só Porto Alegre, mas quase todas as cidades do Brasil, falta algo diferenciado… O Rio tem o cristo, suas praias e tudo mais… Mas e o resto? São Paulo no maximo pela fama, tamanho e tudo mais…. tem algumas que por sorte, tem sua natureza… mas e o resto?
    Deixar a cidade bonitinha e limpa é importante, mas quem vem de outros paises pensam que isso é o basico….
    Estatuas? Ta, é legal, mas quem que vai bater uma foto no lado do laçador? Vão postar no facebook e quem ver a foto vai rir e perguntar do que se trata…

    Curtir

  9. Pode acontecer de jogarem aqui Itália, Venezuela, Coréia do Norte e Marrocos, ou talvez Holanda, Senegal, Japão e Chile. Seria uma boa.
    Mas não sei se o local do jogo depende da chave que a seleção esta.

    Curtir

  10. Creio que o maior fluxo de turistas ocorrerá se alguma seleção sul-americana vier a Porto Alegre, especialmente Argentina, Uruguai e Chile.

    Curtir

    • Mas entre a quantidade (argentinos e uruguaios – torcedores de um dia apenas) e a qualidade (alemães, ingleses, italianos… – turistas de todo o torneio) eu preferiria seleções do segundo grupo, mesmo que sejam em menor número.

      Curtir

  11. Existem várias Seleções boas (com muitos turistas) alguma terá quer vir para POA.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: