Setor calçadista terá socorro do governo

Conjunto de benefícios, que prevê redução do ICMS, será lançado este mês

Enfraquecido pelo câmbio e pela concorrência desleal com a China, o setor coureiro-calçadista do Estado será socorrido por uma política já batizada de Programa de Desenvolvimento Competitivo do Rio Grande do Sul. Desoneração de impostos e financiamentos será a principal iniciativa.

Inspirado na nova política industrial do governo Dilma Rousseff, o Programa de Desenvolvimento Competitivo – que deverá ser lançado este mês pelo governador Tarso Genro – disponibilizará a diversos setores, entre eles o coureiro-calçadista, um conjunto de benefícios acompanhado da exigência de contrapartidas. No caso específico da indústria do calçado, fortemente instalada nos vales do Sinos e do Paranhana, está confirmada a possibilidade de redução da alíquota do ICMS – hoje de 12%. O tamanho da desoneração ainda é negociado entre o presidente do Badesul, Marcelo Lopes, coordenador do processo de elaboração das medidas que serão apresentadas ao ramo do calçado, e o secretário da Fazenda, Odir Tonollier, que calcula o limite de renúncia fiscal. “Nessa política industrial gaúcha vamos dar uma resposta ao setor calçadista. A questão tributária prejudicou o ramo aqui”, reconheceu.

As reduções de ICMS estarão vinculadas ao desenvolvimento regional. Empresas que se instalarem e gerarem empregos na deprimida Metade Sul terão benefícios. “As medidas incidirão sobre o Estado inteiro, mas algumas serão focadas no desenvolvimento regional”, disse Lopes, ressaltando que uma empresa já instalada no Sinos ou no Paranhana poderá usufruir das isenções ao abrir filial na Metade Sul, desde que não reduza a produção ou o quadro de pessoal na matriz. “Não adianta ir para a Metade Sul e diminuir operações em outra região. Não queremos criar guerra fiscal interna. Tem que manter aquilo que já existe.”

Correio do Povo



Categorias:Economia Estadual

Tags:, ,

%d blogueiros gostam disto: