GM planeja 2ª fábrica no RS

Norte-americana Grace Lieblein visitou unidade da montadora em Gravataí Crédito: Mauro Schaefer

Após assumir a presidência da General Motors (GM) no Brasil no mês de junho, a norte-americana Grace Lieblein fez a sua primeira visita pelas unidades da empresa no Brasil. Ela esteve ontem no Complexo Industrial Automotivo da GM em Gravataí, que está sendo ampliado e terá a capacidade de produção elevada de 230 mil unidades para 380 mil ao ano até 2013, com a chegada dos novos carros do Projeto Onix. A ação não só consolidará a maior montadora da GM no Hemisfério Sul como também poderá representar a criação de uma segunda unidade em Gravataí.

A informação não é confirmada pelos executivos da GM, que tratam o assunto com cautela. Acontece que com a fabricação de dois novos modelos do projeto Onix – além do Celta e do Prisma, que já são produzidos em Gravataí -, a unidade chegará próxima do teto de produção recomendado pela técnica, que é de 400 mil unidades. “Está definido que aqui serão produzidos dois modelos da família Onix. Outros dois modelos ainda estão em discussão e poderiam ser também fabricados em Gravataí. Mas qualquer decisão futura deverá ser avaliada”, afirmou a presidente. Os novos veículos deverão chegar ao mercado em outubro de 2012.

Bem-humorada e arriscando um “portunhol”, a presidente da GM Brasil chegou cedo na Capital, por volta das 7h, e teve uma agenda cheia. Além da visita à fábrica, conversou com a imprensa e depois seguiu para o Palácio Piratini, onde foi recebida pelo governador Tarso Genro. Ela evitou fazer anúncios quanto a futuros projetos, mas revelou que a fábrica gravataiense deverá começar a operar em terceiro turno a partir de janeiro de 2013.

Segundo o vice-presidente de Comunicação, Relações Públicas e Governamentais da empresa, Marcos Munhoz, essa ampliação representará um acréscimo de 2,5 mil funcionários, que se somarão aos 6 mil hoje em atividade. Grace, que antes de chegar ao Brasil dirigiu a GM do México, tem nas mãos a tarefa de comandar a última etapa do projeto de ampliação da empresa no país até 2012, num total de R$ 5 bilhões em investimentos. Para a unidade do Rio Grande do Sul foram destinados R$ 2 bilhões, entre desenvolvimento de novos modelos e perfil do parque industrial, sendo esta a segunda expansão da GM no município gaúcho desde a sua instalação, em 2000. Questionada sobre o avanço dos chineses no mercado automotivo brasileiro, ela se mostrou otimista. “A concorrência é uma coisa boa. Todos necessitamos dela para melhorar. O segredo é a excelência dos produtos, com serviços extraordinários e preços competitivos. Vamos enfocar nisso”, enfatizou.

Correio do Povo



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

6 respostas

  1. Segunda fábrica??? Para mim é ampliação da atual. Segunda é só para enrrolar a torcida.Quanto as ruas, é só as prefeituras usarem o cerébro e ampliar, pois se cair a produção cair, cai o emprego, os impostos. E e taxa de autos/cabeça no Brasil ainda é baixa

    Curtir

  2. eu acho carro muito barato no brasil… quase todo mundo tem um. isso é um reflexo da falta de prioridade pro transporte público. planejamento urbano que é bom, nada né.

    Curtir

  3. É isso aí, depois não reclamem de engarrafamento e cidade perigosa!

    Curtir

  4. Toda vez que passo por aquela zona fico abismado com número gigantesco de carros estacionados lá, aí fica a pergunta: onde (em que ruas, avenidas) esses veículos circularão? Vamos transformar o trânsito já caótico de nossa cidade em alguns horários, em um trânsito intenso de carros como o da Cidade de São paulo? Me desculpem as pessoas que fazem o bom uso do veículo, mas onde ficará o espaço em nossa cidade, em que não se respeita nem o pedestre? METRÔ DE PORTO ALEGRE: UMA URGÊNCIA.

    Curtir

  5. Só espero que faça carros novos, por que Celta e Prisma dos anos 90 é fróid….

    Curtir

  6. E tem gente que desdenhou tanto estas montadoras..

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: