Sobre velhos prédios

Na Avenida Independência, a poucos metros um do outro, dois exemplos marcantes de como tratar nosso patrimônio arquitetônico.  Um é a Casa Firmino Torelly. Firmino Torelly adquiriu a casa da Avenida Independência em 1908. Estava situada em um dos pontos mais requintados da cidade, procurado pelas famílias da burguesia industrial e comercial da época.  Hoje, completamente restaurada, abriga parte da SMC.

A segunda foto mostra dois prédios de estilo semelhante, completamente abandonados.

Esta foto abaixo mostra o prédio recentemente pintado da Faculdade de Medicina da UFRGS. Ficou bom, mas está há meses com uma placa, agora desbotada e capenga, na sua frente, estragando a fachada renovada. A cerca de ferro à frente também acho desnecessária: poderiam ter colocado grades por dentro das portas.

Nossa cidade tem poucos prédios antigos que sobreviveram à monstruosa tempestade demolutiva dos anos 40 e 50 que colocaram no chón boa parte de nossa arquitetura européia: temos obrigação de restaurar essas relíquias que aqui e ali ainda povoam nossas ruas.

Clique nas imagens para ampliá-las.



Categorias:Sustentabilidade

Tags:, , ,

32 respostas

  1. Adriel.

    Porque há ou havia um prefeito safado na tua cidade, não devemos nos supor que todos os prefeitos são safados. Achamos criaturas de má índole em todas as profissões e todas as ocupações, se seguirmos o raciocínio que fazes, não poderemos ir ao médico nem poderemos morar numa casa construída por engenheiros.

    Curtir

    • O que citei que aconteceu conosco foi apenas um exemplo. No meu ponto de vista, o respeito a vontade do dono por si só já deveria ser suficiente para impedir qualquer tipo de intervenção pública, já que o mesmo não está cometendo nenhum crime/ilegalidade. Como disse, a liberdade tem o seu preço. O mundo perfeito não é igual para todo mundo.

      Intervenções como tombamento gera mais problemas do que soluções.
      Outro exemplo foi um amigo nosso que comprou um prédio em Pelotas para reformar e construir um estabelecimento comercial e no dia seguinte a prefeitura tombou o prédio dele (prédio este que não tinha absolutamente NADA demais) fazendo-o engolir um enorme prejuízo também pois ficou com o imóvel encalhado.

      Claro que alguém poderia dizer que tombamento é um caso de bom senso, e que há muitos exageiros por aí, mas acontece que mesmo nos casos em que há bom senso, há autoritarismo escondido. O que a prefeitura poderia fazer é manter apenas os incentivos para os prédios tombados, acabando com a proibição.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: